sábado, 30 de abril de 2016

Pr. Sérgio Pereira assume como Pastor Presidente em Candeias do Jamari - RO


É com satisfação que registro, que o amigo e pastor SÉRGIO PEREIRA, por decisão da CEMADERON - Convenção Estadual de Ministros das Assembleias de Deus no Estado de Rondônia, assumiu a Liderança, na função de Pastor Presidente na Assembleia de Deus, no município de Candeias do Jamari - RO. Até aquela data o pastor Sérgio Pereira estava pastoreando na cidade de Cacoal-RO, quando se despediu para assumir esse novo desafio.

O pastor Sérgio Pereira é Bacharel em Teologia (FACEL), especializado em Teologia Prática. Conferencista, escritor e professor. Casado com Rosângela, pai de Andressa e André.

O Culto de Posse aconteceu no último dia 21.04.2016 - Quinta-feira, dirigido pelo pastor Nelson Luchtenberg, Presidente da Cemaderon, quando o empossado recebeu a oração com imposição de mãos, ao lado de sua esposa e filhos, na presença do templo completamente lotado, com alegria por todos os presentes.

Pastor Sérgio Pereira também é blogueiro, portanto também nosso companheiro aqui na Blogosfera cristã. -  (veja aqui).

Desejo todas as bênçãos celestiais ao nosso irmão e amigo, nessa nova etapa da sua vida ministerial. 






AD Curitiba realiza Encontro da Família e Seminário para Casais em Vila Camargo


AD CURITIBA EDIFICA CASAIS E FAMÍLIA EM VILA CAMARGO


Aconteceu entre os dias 21 a 24 de abril o 5º Encontro da Família e o 1º Seminário Para Casais na Congregação da Vila Camargo, em Curitiba que é dirigida pelo Pb. Genival Miranda e que tem como líder o pastor Wagner Gaby.

O evento teve seu objetivo alcançado, pois vários casais passaram por momentos de reflexão, instrução e confraternização, trazendo aos presentes o verdadeiro sentido do casamento, afirmou o Pb. Geraldo Guimarães que é o coordenador do DECADC local.

O evento iniciou na igreja, passou pelo restaurante, para o momento de socialização e retornou para templo para a conclusão do seminário.

Os palestrantes convidados foram a irmã Ester de Oliveira Gomes e os pastores Ademir Pereira e Wilton de Oliveira Junior, que abordaram inúmeros assuntos que esclareceram muitas dúvidas, pois o intuito do encontro era justamente este, disse a irmã Serzelina.

"Temos a convicção que as palestras ministradas, trouxeram aos casais um renovo espiritual e também os votos do matrimonio, reafirmando o fora dito a tempos atrás. Sabemos que a família tem sido muito bombardeada e, portanto temos que estar vigilantes para juntos e aos pés do calvário vencermos as investidas do inimigo. Este foi o 1º Seminário e  já estamos focados no 2º, pois a família será sempre a nossa prioridade", concluiu o Pb. Genival Miranda.

Texto de fotos de Ulisses Camargo


Pb.Geraldo


Pb. Ademir


Jantar no Restaurante



Muitos pastores sofrem com problemas financeiros


Muitos pastores sofrem em silêncio por conta desse tipo de problema


Instituto norte-americano de pesquisas entrevistou mais de 4 mil pastores, dos quais cerca de 90% assumiram enfrentar algum tipo de problema financeiro e 30% confessaram a necessidade de um segundo emprego para cobrir suas despesas.

Essa nova pesquisa mostra que a maioria dos pastores que servem em pequenas igrejas evangélicas enfrentam dificuldades financeiras e muitos estão relutantes em falar sobre essas lutas.

Leia a matéria na íntegra no site SEARA NEWS

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Bancada Evangélica quer "diálogo" com possível governo Temer


O rótulo de “conservador” vem sendo usado pela mídia no Brasil com uma conotação negativa, o oposto do “politicamente correto”, que parece mais desejável e tem como berço o marxismo cultural. Quando se fala da atuação de deputados e senadores evangélicos, já se tornou comum colocar todos dentro da chamada “Bancada da Bala, da Bíblia e do Boi” (BBB).
Embora tenham em comum aspectos bastante pontuais, com um ou outro parlamentar fazendo parte de mais de uma delas, acabam todos sendo equivocadamente jogados na mesma vala comum. O jornal O Estado de São Paulo publicou uma matéria nesta segunda (25) dando conta que a ala conservadora do Congresso está pressionando Michel Temer (PMDB), que pode ser em breve o presidente do Brasil.
Segundo o diário paulista, os evangélicos foram decisivos para a aprovação do processo de impeachment de Dilma. Sendo o placar final do plenário da Câmara 367 votos a favor e 137 contra, a proporção foi de 2,6 a favor para cada voto contrário. Entre a Frente Parlamentar Evangélica, a proporção foi a maior dentre as bancadas.
Em entrevista ao Estadão,  o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM/RJ), tesoureiro da Frente Parlamentar Evangélica, explica que, caso assuma, Temer precisa ter mais diálogo se quiser apoio no Congresso. “Já fomos até ele e sugerimos que ele crie uma interlocução oficial com a bancada BBB. Ele tem que entender que não é só interlocução com os líderes partidários que adianta”, alerta Cavalcante.
Para o democrata carioca, esse foi um dos principais erros dos governos do PT. No final da era Lula e, especialmente desde que Dilma assumiu o Planalto, “nunca mais houve uma interlocução para equilibrar a pauta da esquerda com as nossas. Pelo contrário, sempre fizeram questão de fazer confronto ideológico”, lamenta Sóstenes.

Mais de 90% da bancada evangélica votou pelo impeachment

Quando a mídia fala de “Bancada da Bíblia” inclui muitos deputados que afirmam ser católicos praticantes. A Frente Parlamentar Evangélica é composta de 92 membros. Durante as semanas que antecederam o voto pela continuação do processo de impeachment, a maioria de seus membros já sinalizava ser favorável.
Uma análise dos votos no dia 17 de abril aponta que mantiveram sua posição Benedita Da Silva (PT/RJ), George Hilton (PROS/MG), Fernando Torres (PSD/BA) e Sergio Brito (PSD/BA). O “indeciso” Fernando Torres (PSD/BA) ficou a favor de Dilma. Os baianos possuem compromissos (cargos de confiança) com o governador Rui Costa, que é do PT.
Alguns casos chamam atenção por sua postura. O deputado Hissa Abrahão (PDT/AM), por exemplo, foi contra a orientação do partido, votou “sim” e deve ser expulso da legenda por isso. Já Aguinaldo Ribeiro (PP/PB), mudou de ideia em um curto espaço de tempo. Quando foi avaliado o relatório da comissão especial (11/04) votou “não”, acabou seguindo seu partido no domingo e votando “sim”.
Entre as abstenções, a questão mais polêmica foi a ausência de Clarisse Garotinho (PR/RJ). Por estar grávida, pediu licença-maternidade e não estava em Brasília para a votação. Porém, sua decisão de requerer o afastamento por 120 dias, impossibilitou que seu suplente Marcelo (DEM/RJ) assumisse. Ele havia declarado que era favorável, mas segundo O Globo, foi por imposição de seu pai, Anthony após reunião com líderes do PT.
Sendo assim, com 5 votos contra e uma abstenção – que na prática ajudaria Dilma -a Bancada Evangélica teve 86 dos votos (93,5%) pelo impeachment e apenas 6 contrários (6,5%)
Fonte: Gospel Prime
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...