sexta-feira, 24 de março de 2017

Ofertante anônimo quita dívida de US$ 4 milhões e livra igreja de problemas com banco

Uma oferta generosa e anônima se tornou notícia recentemente depois que os detalhes foram revelados à imprensa. Uma igreja centenária devia US$ 4 milhões de um empréstimo e o banco informou que os valores haviam sido quitados completamente, de forma antecipada, por um benfeitor.
A First African Baptist Church em Sharon Hill, no condado de Delaware, Pensilvânia (EUA), havia feito um empréstimo vultoso com o Citizen Bank, no modelo de hipoteca, dando a propriedade onde está o templo como garantia de pagamento.
Fundada em 1903, a denominação cresceu ao longo dos últimos 114 anos em tamanho de membros e também ampliou seu templo. O pastor Richard Dent informou à emissora Fox 29 que, apesar de a situação financeira não ser crítica, as despesas da igreja são altas, o que exige grande cuidado com as contas.“Recebemos um telefonema do Citizens Bank, que dizia: ‘Sua hipoteca está paga’. Isso é uma bênção. É inesperado, mas não podemos deixar de dar o crédito disso ao Senhor Deus. Isso não poderia ter sido feito sem Ele”, disse o pastor à emissora de TV.
O pastor explicou que, muitas pessoas, ao olharem para uma igreja, não têm noção de quantas despesas estão inerentes à manutenção do templo. A administração da igreja inclui o pagamento de contas de água, luz, ar-condicionado nos meses de verão e aquecimento nos meses de inverno, entre outras coisas.

Quando foi à agência e confirmou que a hipoteca da igreja estava completamente quitada, o pastor Richard Dent reuniu os membros da igreja e queimou o documento do empréstimo, comemorando a quitação da dívida.

Pastor queima o contrato de empréstimo durante celebração no templo
Referência
“Na comunidade negra, a igreja é a única coisa que sempre tivemos para chamar de nossa”, disse o pastor. “Quando não podíamos ir ao Centro Cívico ou à Liga da União, sempre tínhamos a igreja. É aqui onde os nossos filhos aprendem a se desenvolver, a falar diante do público”, acrescentou, sublinhando o importante papel social que a igreja cumpre.
Richard Dent sabe que sua responsabilidade à frente da igreja é conservar o legado construído ao longo dos últimos 114 anos: “Somos distintos porque temos o privilégio de estar na comunidade há muito tempo, e estamos muito, muito orgulhosos do que fazemos”.
Como a igreja é uma comunidade sem fins lucrativos, os valores que antes eram destinados ao pagamento do empréstimo, agora serão usados para comprar vans que serão usadas no transporte de membros da igreja, inclusive para consultas médicas. Outras iniciativas sociais também estão sendo planejadas.
Fonte: Gospel+

Pastor Paul Washer tem melhora clínica e deve receber alta hospitalar em breve

O ataque cardíaco sofrido pelo pastor e escritor Paul Washer no começo desta semana representou um sério risco, já que foi necessária uma cirurgia para desobstrução de uma artéria. Mas agora, ele se recupera bem e deverá ser liberado em breve.
Paul Washer, renomado pregador internacional, sofreu um infarto na última segunda-feira, 20 de março, e foi socorrido às pressas a um hospital. Os médicos responsáveis pelo atendimento consideravam grave seu estado de saúde, e enxergavam risco de morte.
Kevin Hite, um diretor do ministério fundado e liderado por Paul Washer, HeartCry Missionary, informou, no entanto, que o pastor poderá receber alta já neste final de semana: “Eu suspeito que ele vá sair nos próximos dias. Eu estive com ele há alguns minutos”, disse, em entrevista ao portal The Christian Post.
“Nenhum médico esperava, com base em sua saúde, que ele sofresse um ataque cardíaco”, acrescentou Kevin Hite.
Na manhã da última quarta-feira, 22 de março, a página do ministério no Facebook acalmou os internautas que acompanham as atividades através da rede social e que vinham manifestando solidariedade ao pastor e reiterando o estado de oração.
“Estamos muito felizes em relatar que Paul está muito melhor hoje! Ele ainda está um pouco cansado devido à provação que passou, mas está melhorando”, dizia o texto.
Há aproximadamente dois meses, Paul Washer relatou um problema de saúde durante sua participação na Conferência G3 2017, realizada em janeiro na cidade de Atlanta, Geórgia (EUA). No entanto, o pastor não especificou o que tinha sentido.
“Antes de tudo, gostaria de dizer que é um tremendo privilégio estar aqui e louvo a Deus por isso. Eu preguei na Costa Oeste na semana passada e quando eu estava voltando para casa, comecei a ficar muito doente”, contou o pastor.
“Hoje foi o primeiro dia em que eu saí de casa depois de quatro dias, eu deveria estar aqui ontem, mas eu tive que cancelar meu voo e eu acordei esta manhã e por volta das 02h00 da manhã. Pensei comigo mesmo: ‘Bem, logo que amanhecer, vou chamar o pastor White e dizer-lhe que não há como eu participar”, acrescentou.
Porém, quando acordou, sentiu que Deus havia intervido na situação, dando a ele condições de ir ao evento e pregar.
Esse episódio foi comentado por Kevin Hite na entrevista ao Christian Post: “Eu não sei o que teria causado especificamente… ele teve um ataque cardíaco. Havia algum bloqueio em uma artéria do coração. Pode ou não ter alguma relação, mas não há como dizer que aquilo era indicativo ou de alguma forma um precursor [para um ataque cardíaco]”.
“Ele tem uma série de problemas, dores particularmente crônicas e isso não é segredo para ninguém. Mas ele teve algumas questões totalmente independentes depois disso. O ataque cardíaco foi uma surpresa completa”, finalizou o diretor.
Fonte: Gospel+

Lula ataca procurador: “acha que a Bíblia dele dá solução para tudo”

‘Nem Moro, nem Dallagnol, nem PF têm a honestidade que eu tenho’, desafia ex-presidente

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a atacar o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol nesta sexta-feira (24). Durante a abertura do seminário que o PT promoveu em São Paulo, com o nome “O que a Lava-Jato fez pelo Brasil”.
Para Lula, os principais elementos da força-tarefa que investiga a corrupção no país não tem a honestidade que ele tem. “Nem o Moro, nem o Dallagnol, nem o delegado da Polícia Federal têm a lisura, a ética e a honestidade que eu tenho nestes 70 anos de vida”, bradou o político, que na prática já está fazendo campanha para as eleições presidenciais do ano que vem.
No encerramento do evento, ele defendeu também a aprovação da lei de abuso de autoridade no Congresso.
Para Lula, os integrantes magistrado e os policiais federais fizeram “a coisa mais sem vergonha da história deste país”. Ele se referia à condução coercitiva de que foi alvo em março do ano passado.
“A Polícia Federal, que é uma instituição que eu aprendi a respeitar e a fortaleci, mas na hora que ela invade a casa de uma pessoa. Na minha casa, entraram com máquina fotográfica no peito, máquina de filmar, e deram para a Veja fazer um filme com as filmagens que eles fizeram na minha casa”, reclamou.
Numa tentativa de inverter os argumentos, mesmo não conseguindo se desvencilhar das centenas de vezes que seu nome aparece nas delações, asseverou:  “A Lava-Jato não precisa do crime. Primeiro, ela acha o criminoso e depois coloca o crime em cima do criminoso”.
Partindo para a forma mais baixa de argumentação, Lula atacou o procurador Dallagnol, chamando-o de “moleque” e debochando da fé evangélica professada por ele. “Aquele Dallagnol (vem) sugerir que o PT foi criado para ser uma organização criminosa… O que aquele moleque conhece de política? Ele nem sabe como se monta um governo. Não tem a menor noção. Ele acha que sentar em cima da Bíblia dele dá solução para tudo”.
Essa não é a primeira vez que o pré-candidato do PT mostra desprezo pelos valores cristãos do magistrado. Um ano atrás, a Polícia Federal divulgou uma conversa do ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e de Lula onde o ex-presidente já ridicularizava o fato de alguns dos membros da força-tarefa serem evangélicos.
“Esses meninos da Polícia Federal e esses meninos do Ministério Público se sentem enviados de Deus”, disse Lula. “Os caras do ministério público são crentes. É uma coisa absurda”, respondeu Paes.
Com informações O Globo via Gospel Prime

Thalles pede perdão a evangélicos por declarações infelizes sobre a música gospel: “Falei bobagens”

Thalles pede perdão pela forma como tratou seus colegas cantores no passado. Esse foi o grande assunto dos evangélicos nas redes sociais nesta quinta-feira, 23 de março. Arrependido, o artista mineiro disse que passou por um período de aconselhamento e reflexão, e decidiu se retratar.
A polêmica começou em julho de 2015, quando o cantor anunciou que daria mais atenção ao mercado secular, pois no meio gospel só tinha “gente fraca” musicalmente falando, e que cantar nas igrejas era “bater em bêbado”.

“Eu sou diferente no meio gospel. Senhor, eu estou acima da média. ‘Você está acima da média porque você está no meio de gente fraca. Quero ver você ficar acima da média lá fora, na frente de Ben Harper, Usher, quero ver você lá fora’”, afirmou o cantor na ocasião, reproduzindo o que teria ouvido de Deus.
A repercussão foi ampla, cantores, pastores e principalmente o público repudiaram a postura do cantor, que demonstrava estar com o ego inflado. Desde então, Thalles tornou-se um artista esquecido pelo público, sem agendas. A Igreja Renascer abriu as portas a ele e sua esposa, e desde então, o cantor vinha atuando apenas como pastor na denominação, sem holofotes.
Nesta quinta-feira, ele veio a público em uma transmissão ao vivo pelo Facebook, pedindo perdão aos que se ofenderam com suas declarações, e fazendo um mea-culpa, disse que não tentaria justificar seu erro.
“Eu não quero me justificar. Eu quero assumir o meu erro diante de todas as pessoas. Assumir o meu erro diante de todos os meus irmãos cantores, às pessoas que eu falei todas aquelas bobagens”, disse.
À época, Thalles ensaiou um pedido de desculpas após ser duramente criticado pelo cantor Leonardo Gonçalves, que publicou um artigo sucinto e contundente. No entanto, na ocasião, disse apenas que tratava-se de um mal entendido. Não havia admitido seu erro.
“Hoje eu entendo que chegou um tempo muito especial. Um tempo de pedir perdão às pessoas que ficaram magoadas porque, há um tempo atrás, um vídeo foi divulgado na internet de umas declarações que eu fiz. E machucou muita gente”, afirmou Thalles.
“Pude falar com Anderson Freire, falei com André Valadão, falei com Fernandinho, falei com a Bruna Karla, eu chamei os meus irmãos e falei, pedi perdão a eles. Pedi perdão a alguns pastores e vou continuar fazendo isso. Mas eu não podia fazer isso sem vir publicamente gravar este vídeo”, acrescentou, demonstrando consciência das consequências.
Fonte: Gospel+

Assista ao vídeo na íntegra com o pedido de perdão de Thalles Roberto:


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...