terça-feira, 3 de março de 2015

Impeachment: pastor Silas Malafaia convoca evangélicos para manifestação contra Dilma


Impeachment: pastor Silas Malafaia convoca evangélicos para manifestação contra Dilma - Você concorda?

O pastor Silas Malafaia convocou seus seguidores nas redes sociais para se juntarem às manifestações populares do próximo dia 15 de março, quando espera-se que milhões de pessoas, em diversas cidades do país, saiam às ruas para pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Malafaia é conhecido por sua oposição ferrenha e aberta à administração Dilma, e nas últimas eleições, apoiou candidatos de oposição nos dois turnos.

"Um governo que engana o povo nas eleições, [faz um] aumento absurdo da conta de luz e da carga tributária para empresas, só podemos dizer: FORA DILMA! Nunca na história desse país [houve] um governo cínico que não assume seus erros e tanta roubalheira. Dia 15 de março manifestação fora DILMA, apoio”, escreveu o pastor.

Para o pastor, um dos principais motivos para cobrar a presidente é a diferença entre o discurso apresentado durante a campanha eleitoral e as medidas adotadas durante o início de mandato.

"Apenas 2 meses de governo e todas as mentiras da campanha caíram por terra. VERGONHA! Afronta ao povo brasileiro!”, criticou Malafaia.

A omissão do governo brasileiro em relação ao terrorismo praticado pelo Estado Islâmico também foi abordada pelo líder evangélico: “Milhares e milhares de cristãos sendo massacrados esse governo de esquerdopatas não se manifesta. Se fosse um homossexual [sendo perseguido], já tinham falado”, disparou o pastor, utilizando a retórica da simpatia do Partido dos Trabalhadores pela militância homossexual.


Impopular

A presidente Dilma enfrenta uma das maiores desaprovações de um chefe de Estado em início de mandato. Pesquisas realizadas no começo deste ano mostram que ela não seria reeleita se as eleições acontecessem entre o final de 2014 e o início de 2015, época em que ela anunciou as medidas econômicas que limitaram benefícios dos trabalhadores, como o seguro-desemprego, e cortaram o aumento do valor do programa social Bolsa-Família.

Fonte: Texto de Thiago Chagas no Gospelmais

Meu comentário:

O Pr. Silas Malafaia tem prestado um trabalho excelente de comunicação da Palavra de Deus entre os evangélicos desta nação, ao mesmo tempo em que distoa quanto alguns aspectos dos pentecostalismo clássico e histórico que é a sua origem, ao flertar e se tornar um divulgador e incentivador de ideologias neopentecostais, mas isso é o meu pensamento em particular, e nem por isso desqualifico ou denigro seu trabalho como um todo.

Agora, tenho também que fazer justiça, parabenizando sua voz profética em apontar os erros cometidos pela nação e seus respectivos governos, utilizando-se para tanto da televisão, que é a ferramenta que dispõe, bem como sua grande influência. Creio que tem prestado um serviço relevante para a nação, como voz do povo de Deus, senão de direito, mas o sendo de fato.

No entanto, entendo que exagera na dose, quando tem uma postura como essa, de fomentar, incentivar e vir a público colocar o povo contra uma autoridade governamental recém eleita, e isso de forma democrática.

Essa fase já passou. O povo foi alertado de todas essas questões durante a campanha eleitoral, e mesmo assim arriscou para ver, agora o pagamento da fatura é inevitável. A chance de mudança só daqui a quatro anos.

Por outro lado, entendo que a orientação bíblica que nos leva a orar pelas autoridades constituídas, nesse caso fica relegada, substituída por um movimento que não é caraterístico do povo evangélico, pelo menos não é nossa cultura.

Meu comentário não deve ser lido como apoio político ao governo de plantão, mas como uma crítica ao "modus operandis" de um líder espiritual, que entendo estar agindo muito mais como um ativista político.

Se não tivermos cuidado, perderemos nossa condição profética, fazendo com que a mesma seja confundida com ativismo político.

Penso que a Igreja do Senhor, neste momento deve se mobilizar em intercessão pela nação. Estamos pagando o preço da nossa escolha, senão da totalidade, pela maioria, o que é democrático. Na próxima eleição, a palavra estará com o eleitor através do voto, e assim vamos em frente.

Sou mais adepto do pensamento do pr. Claudionor de Andrade, que em sua coluna no CPADNews, diz:

"Orar? Sim, orar é preciso; protestar nem sempre é preciso. Afinal, a oração de um único justo muito pode em seus efeitos."

Que Deus tenha misericórdia da Presidenta Dilma e do Brasil.

Pr. Carlos Roberto Silva - Cubatão - SP


Divórcio e Novo Casamento: Uma Declaração - Por John Piper




Divórcio e Novo Casamento: Uma Declaração - Por John Piper


Agradeço à Missionária Lídia Fernandes de Recife - Pe, editora do Blog A amiga do Amigo,  pela indicação de tão brilhante artigo, sôbre assunto de tamanha relevância e seriedade em todos os tempos, porém, mormente neste tempo, onde a instituição casamento tem sido banalizada e atacada em todas as formas possíveis.

A própria Igreja, como instituição que deveria ser a guardiã dos princípios divinos, tem se sentido amedrontada e acuada em face do levante do inimigo contra o caráter indissolúvel instituído por Deus à união conjugal, e por essa causa tem relativizado a  questão, se dobrando assim aos costumes contemporâneos e ao afrouxamento das leis humanas. Tudo isso conspira contra o decreto de Deus sôbre a família.

O artigo abaixo de John Piper, traz conselhos àqueles que mantém seu casamento, bem como àqueles que por acidentes da vida, já se divorciaram e contraíram novo casamento

Creio que, à todos,  vale a pena essa leitura e reflexão:

21 de julho de 1986

Pano de fundo e Introdução

Em toda a minha vida adulta, até o momento em que encarei a necessidade de lidar com divórcio e novo casamento no contexto pastoral, sustentei a visão protestante prevalecente, que afirma que o novo casamento após o divórcio é sancionado biblicamente em casos em que o divórcio foi resultado de uma deserção ou de adultério persistente. Somente quando eu fui compelido, alguns anos atrás, ao estudar Lucas, a lidar com a afirmação absoluta de Jesus em Lucas 16.18, comecei a questionar esta posição inerente.

Continue lendo no site de origem: MONERGISMO

Programa CPAD News - Matéria especial sobre os 40 anos do CAPED

Pr. Antônio Gilberto
Para uma boa audição,
Desligue o som do Stúdio Rhema
No canto superior esquerdo do blog.




Para uma boa audição,
Desligue o som do Stúdio Rhema
No canto superior esquerdo do blog.


Programa CPAD News - Matéria especial sobre os 40 anos do CAPED (Curso de Aperfeiçoamento para Professores da Escola Dominical).

A 100ª edição do curso aconteceu em Natal/RN nos dias 3 a 6 de setembro de 2014.

Fonte: Cpadnews

Neto de Edir Macedo conta como se envolveu com as drogas


Filipe Cardoso, Neto de Edir Macedo conta como se envolveu com as drogas


O jovem de 21 anos resolveu voltar para a igreja há pouco tempo

O bispo Edir Macedo entrevistou na TV Universal o seu único neto, Filipe Cardoso, filho adotivo do casal Cristiane e Renato Cardoso.
O jovem de 21 anos contou seu testemunho, dizendo que enquanto morou sozinho nos Estados Unidos passou por diversos problemas, chegando a se tornar viciado em drogas.
Filipe relata que começou a fumar para agradar os colegas de trabalho que o convenceram que para mostrar que era homem ele teria que fumar. Logo na primeira experiência ele se tornou viciado e passou a fumar três maços de cigarro por dia.
A maconha veio logo em seguida e depois ele experimentou algo ainda mais forte: cocaína. “Depois da maconha eu fui pra cocaína. Um levou pro outro, a gente sempre quer uma nova experiência, uma coisa que faça o efeito mais forte”, revelou.
O fundo do poço na vida do neto de Edir Macedo foi quando ele resolveu fazer um trabalho de macumba para poder ter um emprego. “Eu recebi um emprego bom, mas o diabo dá e tira. Eu tive epilepsia, e do nada eu fiquei doente”, relata.
Nos seus piores momentos de vida, Filipe Cardoso não quis pedir ajuda de seus pais. Chegou a morar na rua e se envolver com gangues. “Eu pensava assim: minha família me abandonou, vou ter uma outra aqui (nas gangues). Na verdade não era isso, eu era tão orgulhoso, tão mente fechada que eu não quis chamá-los”.
O orgulho fez com que ele se afastasse da família e ainda relutasse em voltar a frequentar a igreja. Foi pelas crises de epilepsia que ele resolveu falar com seus pais e recebeu apoio.
“No dia que eu coloquei minha vida no altar é que começou a mudar”, disse o jovem. Nessa época a Igreja Universal do Reino de Deus estava em campanha e ele resolveu participar da campanha e fazer sacrifícios financeiros e a ler a Bíblia.
“Eu ia no altar todos os dias e orava. Foi quando começou a mudar, me converti e me batizei”, relembra ele que após tudo isso ele recebeu o Espírito Santo.
Fonte: Gospelprime

Para uma boa audição
Desligue o som do Stúdio Rhema
no canto superior esquerdo do blog.
Assista:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...