sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Guilherme de Pádua vira pastor de Igreja Evangélica em Belo Horizonte



Após 15 anos de conversão, Guilherme de Pádua se tornou pastor de uma igreja evangélica.

A cerimônia aconteceu em Belo Horizonte, onde ele mora, no último fim de semana. As fotos foram postadas pela mulher do ex-ator, Juliana Lacerda, nas redes sociais. 

Uma semana antes, Guilherme e Juliana se formaram em Teologia com direito a colação de grau, beca e festa. Juliana e Guilherme se casaram em março deste ano. Juliana postou emocionada sobre a nova profissão do ex-ator. “Enfim, agora Pastor Guilherme! Ele esperou mais que 15 anos para que esse dia chegasse, mas como nós dizemos, tudo no tempo do Senhor. Chegou o seu tempo meu amor”. 

Guilherme de Pádua e a então mulher, Paula Tomaz, assassinaram a atriz Daniela Perez a tesouradas em 28 de dezembro de 1992. Eles foram condenados, cinco anos depois do crime, por homicídio qualificado, a 19 anos e seis meses de cadeia. Posteriormente, a pena foi reduzida a seis anos.





Teólogo reformado R. C. Sproul morre aos 78 anos


O teólogo reformado Robert Charles Sproul, 78 anos, faleceu na última quinta-feira, 14 de dezembro, em decorrência de problemas respiratórios,após doze dias de internação.

Pastor e escritor, o teólogo ficou conhecido por suas iniciais, R. C., e serviu como ministro na Igreja Presbiteriana de St. Andrews Chapel, na Flórida (EUA). Ele também fundou o ministério Ligonier e tornou-se mundialmente conhecido por seus livros. 

Profícuo escritor, publicou mais de 60 livros, deu aulas e palestras em seminários e congressos ao redor do mundo, além de também se dedicar, ao longo de décadas, ao programa de rádio Renewing Your Mind ("renovando vossa mente", em tradução livre), transmitido nos Estados Unidos e reproduzido em outros sessenta países.

No Brasil, aproximadamente 20 livros do autor foram publicados, e seu trabalho influenciou gerações de teólogos e líderes cristãos.

"R.C. foi usado pelo Senhor para proclamar, ensinar e defender a santidade de Deus em toda a sua plenitude. Através de seu ministério de ensino, muitos de nós aprenderam que Deus é maior do que pensávamos, nosso pecado está mais profundamente enraizado do que imaginamos, e a graça de Deus em Jesus Cristo é esmagadora", contextualizou uma nota no site do ministério Ligonier.  

"[Ele] foi para casa para estar com seu Senhor na tarde do dia 14/12, cercado por sua esposa, Vesta, e sua família. Ele estava internado no hospital de Altamonte Springs, Flórida. Faleceu aos 78 anos de idade", informou a nota.

Legado

Mesmo com toda formação e atividade, R. C. Sproul poderia ser definido em apenas uma palavra: evangelista. Reiteradamente afirmou que sabia que Deus não precisava dele, mas já que estava na jornada, sempre se preocupou em levar uma mensagem que trouxesse um "despertar às pessoas em todo o mundo sobre as verdades do cristianismo clássico".

De acordo com informações do portal Christianity Today, o pastor Russell Moore, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa do Seminário Batista do Sul, comentou a morte de R. C. e afirmou que "é difícil dimensionar sua influência no evangelicalismo evangélico".

-->
"Através de seu ministério de ensino, muitos de nós aprendemos que Deus é maior do que o que sabíamos, nosso pecado está mais profundamente enraizado do que imaginamos, e a graça de Deus em Jesus Cristo é esmagadora", resumiu a nota do ministério Ligonier.

Fonte: Gospel+

Mais de 600 detentos são batizados em um mês em MG

Em 2016, foram cerca de 1 mil presos batizados, mas o número cresceu bastante no final deste ano

Em apenas um mês, 615 detentos do presídio José Martinho Drummond, em Minas Gerais, foram batizados. Durante o ano de 2016, mais de 1 mil homens entregaram suas vidas a Jesus e desceram às águas. Mas, o final deste ano foi de grande avivamento, rendendo um número grande de almas. “Nunca havia acontecido um avivamento tão grande naquele presídio! Os agentes e diretores ficaram boquiabertos. Até mesmo os capelães, acostumados a ir aos presídios, não esperavam um mover tão grande, o que somente o Espírito Santo de Deus pode fazer”, diz a equipe do Ministério Recomeço.
Em um ano de tantas rebeliões e fugas, onde a imprensa acaba dando foco apenas nas coisas ruins sobre o sistema prisional, a Igreja Batista da Lagoinha vem levando a Palavra de Deus aos presidiários há anos. Além dos mais de 1 mil batizados, em 2016 foi implantado o Seminário Teológico Carisma dentro do presídio. Já neste ano, além de milhares batizados, o grupo teve sua primeira turma do seminário formada.
Os trabalhos de Capelania Prisional, que visam chegar até os presídios do interior de Minas Gerais, foram expandidos. “É até difícil explicar como foi o agir de Deus nesses últimos batismos. Nada menos que 615 presos batizados em quatro alas”, comenta a equipe.
Testemunhos e Frutos
A história desse preso é comovente. ele, que teve seu nome suprimido por motivos de segurança, entregou-se a Jesus no dia 7 de novembro. “Deus usou uma nova membra do grupo, para alcançar a vida de um preso que há algum tempo se recusava a aceitar Jesus. Mas ela, com toda paciência, o ensinou sobre a Bíblia, e, quando ele decidiu aceitar Cristo, declarou: ‘Agora tive o entendimento que precisava!’. Como se já não bastasse o milagre da sua conversão, ele passou a jejuar e orar, e a sua liberdade chegou logo em seguida”, conta.
“Foi nesse mesmo batismo que outro membro do Recomeço, que no passado foi criminoso, encontrou um preso que já foi seu ‘parceiro de crime’. E, mais uma vez, dois ex-criminosos choraram abraçados à beira do batistério, um com a vida mudada e o outro decidido a mudar de vida. Um momento de emoção inexplicável”, ressalta a equipe.
A conversão de um satanista
Ainda em novembro, um satanista foi batizado. O homem tinha seu corpo cheio de cicatrizes nos braços, em forma de cruz invertida. Além das pregações, foi a demonstração de amor dos capelães que o fez decidir aceitar Cristo. “Teve ainda um preso, discipulado no início do ano que havia sido transferido de prisão, antes dos batismos naquele presídio. Pensamos até que o tínhamos perdido, mas Deus completou essa obra na vida dele nesses últimos batismos”, conta sobre mais um testemunho.
“Todos os batismos foram surpreendentes, repletos de histórias para contar. Mas, talvez, o mais emocionante tenha sido o do dia 24 de novembro, na ala mais perigosa do presídio. Foi justo ali que houve um mover que ninguém esperava, até pelo histórico de rebeldia dessa ala. Uma das celas ‘de frente’, composta por uma espécie de ‘presos líderes’, já tinha sido evangelizada várias vezes, mas parecia permanecer resistente ao Evangelho. Foi então que Deus usou uma mulher para ganhar essa cela de forma inesperada: dando testemunhos que ela jamais havia contado a ninguém”, conta.
“Nem mesmo ela entendeu porque fez aquilo. O Espírito Santo estava no controle e ainda a usou para a cura da perna de um daqueles presos, que possuía a enfermidade há muito tempo. Esse preso decidiu se batizar ‘porque Deus o curou’. Então, o mover do Espírito Santo se alastrou naquele lugar inicialmente ‘frio’, e praticamente todos acabaram se rendendo a Jesus”, colocou.
Fonte: CPADNews

Por que os pastores estão cometendo suicídio?


Cerca de um terço dos pastores lutam contra a depressão


Por Jarbas Aragão

O Brasil é o oitavo país com maior número de suicídios no mundo, segundo ranking divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), em 2014. Levantamentos mais recentes dão conta que nos últimos dez anos, o número de suicídios no país tem aumentado. A taxa aumentou 60% desde 1980.
Segundo a psiquiatra Maria Dilma Alves Teodoro, presidente da Associação Psiquiátrica de Brasília (APBr), entre 2000 e 2012 houve um aumento de 10,4% na quantidade de morte por suicídio, sendo mais de 30% em jovens. Estima-se que, até 2020, haverá um incremento de até 50% no número anual de mortes por suicídios.

"Isso tudo equivale a aproximadamente 32 casos por dia, 1 a cada 45 minutos, levando em consideração que a gente ainda tem a subnotificação e essa subnotificação está muito vinculada ao preconceito com relação ao portador de algum transtorno mental", afirmou Teodoro em uma audiência pública no Senado sobre o tema.
O Atlas da Violência 2017, lançado em junho pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, apresenta números parecidos. O sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da Área de Estudos da Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso) e que participou dos estudos Atlas, faz um alerta.
"É como se os suicídios se tornassem invisíveis, por serem um tabu sobre o qual mantemos silêncio. Os homicídios são uma epidemia. Mas os suicídios também merecem atenção porque alertam para um sofrimento imenso, a ponto de fazer a pessoa tirar a própria vida", destaca.
No Brasil não há estudos profundos sobre essa questão entre os evangélicos. De acordo com um estudo da Lifeway Research, feito nos Estados Unidos em 2015, 44% dos evangélicos acreditam que o suicídio é uma "decisão egoísta" e 32% disseram que os suicidas vão para o inferno.
De fato, nem os pastores estão imunes ao aumento das taxas de suicídio. Chuck Hannaford, psicólogo clínico que trabalha com a Convenção Batista do Sul, relevou ao The Gospel Coalition que identificou um aumento na taxa de suicídios de pastores durante seus 30 anos de prática. Ele acredita que esse número continuará a aumentar.
"Ser pastor é um trabalho perigoso", assevera. "Especialmente em certos círculos evangélicos, onde há uma orientação teológica reducionista, você encontra pastores que veem a depressão ou processos de pensamento negativos como problemas estritamente espirituais". Uma pesquisa da LifeWay descobriu que 48% dos evangélicos acreditam que a oração e o estudo da Bíblia são suficientes para alguém superar uma doença mental.
Ao mesmo tempo, o Instituto Schaeffer, aponta que "70% dos pastores lutam constantemente contra a depressão, 71% se dizem esgotados, 80% acreditam que o ministério pastoral afetou negativamente suas famílias e 58% dizem não ter amigos bons e verdadeiros". Mais da metade deles (52%) sentem-se incapazes de satisfazer as expectativas da igreja.
Para Hannaford, "Os pastores são muito duros consigo mesmos, muitas vezes julgando-se por pecados de omissão. Mas eles não consideram os efeitos da queda no mundo, afinal a Queda de Adão comprometeu tudo, incluindo o cérebro".
O psicólogo que trabalha com pastores destaca que "Qualquer um de nós sabe que todos os discípulos tinham problemas, mas Jesus os usou. Olhe para os heróis do Antigo Testamento, todos eles tinham vidas bagunçadas em algum momento".
Parte do problema é que a igreja separou o cuidado do corpo, da alma e do espírito, disse Hannaford. "Nos dias da Reforma ou na tradição puritana, o pastor era consultado para qualquer doença e tinha um pouco de experiência em todas as áreas. No mundo moderno, o médico trata o corpo, o psicólogo trata a mente, e o pastor trata do espírito. Só que essa separação pode levar a problemas sérios, pois o espiritual, o emocional e o físico se afetam mutuamente", avalia.
No Brasil, o missionário Marcos Quaresma, que trabalhou com a SEPAL já tratou essa questão. Psicólogo com formação também em teologia, ele afirmou que "a causa mais comum noticiada para o suicídio de pastores e líderes, é a depressão associada a esgotamento físico e emocional, traições ministeriais, baixos salários e isolamento por falta de amigos".
Quaresma, que trabalha com líderes há anos, diz que, via de regra, "pastores têm poucos amigos, e às vezes nenhum… Muitos querem mostrar que possui êxito no exercício ministerial. Entretanto, quando a conversa é íntima, o sofrimento se revela. Boa parte está cansada, desanimada, chateada com a igreja e com a liderança. Muitos possuem dificuldades no cuidado com a família e as finanças de alguns estão desequilibradas".
Fonte: Gospel Prime
MEU COMENTÁRIO:
O artigo acima, faz apenas uma demonstração estatística da situação, o que tem todo o valor para uma análise do que está acontecendo.
O problema é digno de reflexão profunda e exige mudanças e aprimoramento nas relações, por parte de pastores, familiares e das próprias instituições religiosas, no entanto, fica muito claro que está faltando maior equilíbrio por parte de todos.
Pretendo tratar acerca dos últimos casos de suicídios de pastores, seus reflexos para a Igreja e medidas preventivas por parte das instituições, no próximo post deste blog.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...