quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Maduro diz que Jesus, Alá e Iemanjá são “o mesmo Deus”



Presidente da Venezuela deu tom espiritual ao seu discurso

As comemorações do aniversário da chamada “Revolução Bolivariana”, iniciada em 1999 por Hugo Chávez, ocorreram no início do mês na Venezuela. Entre os diversos eventos, o tom do discurso do presidente Nicolás Maduro chamou atenção.
Afundado em uma grande crise econômica e tendo sofrido derrotas importantes nas últimas eleições, o governo Maduro fez um apelo espiritual.
Apelou aos seguidores de todas as crenças, incluindo pastores, dizendo que acredita na diversidade religiosa e respeita todas as crenças. Em seguida, disparou: Alá, Jesus Cristo e Iemanjá são “um único Deus”.
“Eu acredito em todos vocês porque por trás da Venezuela há um poder, o poder do nosso Deus, o criador… uns vãos orar a Alá, outros a Jesus Cristo, ou ainda tocar tambor para Iemanjá”, disse ele, recebendo aplausos do público.
Na Venezuela, assim como no Brasil, as religiões africanas são praticadas por parte da população, que adora e serve aos “orixás”.
Não é a primeira vez que Maduro tenta se utilizar de um discurso religioso para, de alguma forma, atingir uma parcela maior da população. Em 2015 afirmou ter recebido uma “visita” de Jesus Cristo, em uma experiência mística.
Em 2013, o presidente da Venezuela insistiu durante meses que Chávez foi “um tipo de novo Jesus”. Para ele, seu antecessor também teve, como missão na Terra, “proteger aqueles não possuíam nada”. “Cristo fez-se carne, fez-se nervo, fez-se verdade em Chávez”, asseverou Maduro.
No ano seguinte, um encontro nacional do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) ensinou aos membros a fazer uma oração que modificava o “pai nosso”. Ela começa dizendo “Chávez nosso que estás no céu, na terra, no mar e em nós, os delegados” e termina dizendo “não nos deixes cair na tentação do capitalismo, mas livrai-nos da maldade da oligarquia. Porque nossa é a pátria, pelos séculos e séculos. Amém e viva Chávez”.
Com informações de Maduradas via Gospel Prime
Assista aqui:
Para uma boa audição,
Desligue o áudio do Stúdio Rhema no
Canto superior esquerdo do blog.

CGADB: Definida Comissão Eleitoral que conduzirá eleição de 2017


Por Tiago Bertulino

CGADB - Nova Comissão eleitoral foi escolhida em 24 de janeiro em SP por ocasião da 7ª AGE


Em reunião conduzida pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa no período da tarde do domingo, 24 de janeiro de 2016, a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), definiu os nomes que estarão conduzindo o processo para eleição da nova mesa diretora e conselho fiscal que acontecerá em 09 de abril de 2017. A comissão eleitoral, que de acordo com o estatuto vigente da entidade deve ser composta por cinco membros efetivos e cinco suplentes, sendo um efetivo e um suplente de cada região geográfica do país foi escolhida mediante sorteio de nomes indicados por cada presidente de convenção regional filiada nas dependências do futuro templo-central da AD em São Paulo - Ministério do Belém por ocasião da 7ª Assembleia Geral Extraordinária.

Além do Presidente e membros da mesa diretora, a comissão jurídica e diversos presidentes das convenções regionais e seus indicados participaram da reunião que transcorreu dentro da normalidade e foi realizada seguindo na íntegra o que determina o estatuto e regimento interno que pode ser encontrado no site www.cgadb.org.br.

É atribuição da referida comissão: Organizar, fiscalizar, editar resoluções, presidir todo processo eleitoral, apurar, totalizar os votos, proclamar o resultado da eleição e dar posse aos eleitos. Pois bem, como todos nós que estamos ligados diariamente a CGADB sabemos, esta equipe terá um ano repleto de muitos serviços, principalmente reformulando todo processo eleitoral, tendo em vista as significativas mudanças aprovadas por ocasião da 7ª AGE.

Conheça agora por região os nomes que deverão compor a nova comissão:

Região Norte:
Efetivo: Pr. Wilson Pinheiro Brandão
Suplente: Pr. Moisés de Melo e Silva

Região Nordeste:
Efetivo: Pr. Antonio Carlos Lorenzetti de Melo

Região Centro-Oeste:
Efetivo: Pr. Silas Paulo de Souza
Suplente: Pr. José Rodrigues da Silva

Região Sudeste:
Efetivo: Pr. Francisco de Assis Barbosa
Suplente: Pr. Felipe Beni Araújo de Souza

Região Sul:
Efetivo: Pr. David Pereira de Araújo
Suplente: Pr. Dário José Stein

A comissão eleitoral terá um Presidente, um vice-presidente, um secretário e um relator escolhidos dentre os seus membros.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

As Bodas do Cordeiro - LB - EBD/ CPAD - 14.02.2016 - Subsídio Teológico


Apocalipse 19.5-9. Apocalipse 19.5-9E saiu uma voz do trono, que dizia: Louvai o nosso Deus, vós, todos os seus servos, e vós que o temeis, assim pequenos como grandes. E ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! pois já o Senhor Deus Todo-Poderoso reina. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.  E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus. Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou”.

Este texto fala sobre a maior de todas as festas que já aconteceu na história. Será o momento em que Jesus voltar para buscar sua Igreja. A Bíblia compara este momento com uma festa de casamento. Para o povo de Deus as bodas era um momento mais importante na vida de uma pessoa. Assim aprendemos que a volta de Jesus será o marco de nossas vidas, agora quando estamos esperando, no momento que será glorioso e depois quando viveremos eternamente com Ele.
As bodas do Cordeiro ocorrem entre Cristo e Sua Igreja após o arrebatamento desta e a ressurreição dos que dormem em Cristo.
"Regozijemo-nos, e alegremo-nos [em exultação e triunfantes], e demos-lhe glória; porque [finalmente] vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino (radiante), puro e resplandecente; porque o linho fino são (significam, representam) as justiças (a vida, a conduta e a ação divina justa, reta e em comunhão com Deus) dos santos (o Povo justo de Deus)." (Ap. 19:7-8).
Numa festa de casamento atual, o noivo espera a noiva, mas no tempo Bíblico era a noiva que esperava o noivo, como na parábola das dez virgens (Mateus 25.1-13). A noiva deve estar pronta para quando o noivo chegar. Jesus só virá quando sua noiva estiver preparada.
Todos se preocupam com os preparativos de um casamento. Cada detalhe é indispensável para que tudo dê certo. Contudo o mais importante é que os noivos sejam preparados para se encontrar.
O SIGNIFICADO DAS BODAS
Em língua portuguesa, a palavra boda significa “celebração de casamento”, embora seja mais empregada, popularmente, para referir-se ao aniversário da união conjugal, tal como nas expressões “bodas de prata” ou “bodas de ouro”, que são, respectivamente, a comemoração de 25 e 50 anos de aniversário de casamento. A primeira vez que a palavra “boda” aparece na Bíblia é para relatar o casamento de Sansão (Jz 14.12).
A Bíblia utiliza muitas vezes a figura da noiva e do noivo para referir-se ao relacionamento da igreja com Cristo (Mt 9.15; Jo 3.29; 2 Co 11.2; Ef 5.22-33; Ap 19.7-9; 21.1-22.7) e a as bodas do Cordeiro – o casamento de Cristo com a igreja – é a expressão máxima desta relação. Este conceito nupcial enfatiza tanto a lealdade, a devoção e fidelidade da igreja a Cristo, quanto o amor de Cristo à sua igreja e sua comunhão com ela.
Em Israel, o noivado é tão serio quanto o casamento. Na historia bíblica a mulher comprometida em noivado era chamada esposa e, apesar de não estar unida fisicamente ao noivo, ela estava obrigada à mesma fidelidade como se estivesse casada (Gn 29.21; Dt 22.23,24; Mt 1.18,19). A Igreja é a esposa de Cristo porque está comprometida com Ele (Ap 19.7; 21.9; 22.17).
As Bodas do Cordeiro será a consumação da união mística entre Cristo e a Igreja. Acontecerá depois que a Igreja for galardoada no Tribunal de Cristo. Será conduzida ao palácio real, onde se encontra a “Sala do Banquete” (Ct 2.4), quando então, se dará início à celebração da Ceia das Bodas do Cordeiro.
Neste evento, todos os santos estarão presentes, os do Oriente e do Ocidente, tomarão lugar à mesa (Mt 8.11). “Nas Bodas do Cordeiro, a Igreja apossar-se-á de toda a sua herança como a Noiva de Cristo, e Cristo a possuirá, concretizando, assim, de maneira amorosa e eterna, o alvo maior do plano redentivo: Deus entre o seu povo, e o seu povo a desfrutar-lhe de todos os benefícios advindos desta comunhão”.
Apóstolo Paulo se referiu a esta noiva quando escreveu aos coríntios: Estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo (1Co 11.2). Apocalipse também nos chama a atenção para o fato de a noiva já está pronta, vestida de linho fino, puro e resplandecente (Ap 19.7,8).
Jesus, após a última páscoa e pouco antes da sua morte e ressurreição, prometeu que aquele momento se repetiria um dia no reino dos céus: "E digo-vos que, desde agora, não beberei deste fruto da vide, até aquele dia em que o beba novo convosco no reino de meu Pai" (Mateus 26.29).

Entrada triunfal da Noiva com Jesus no céu.

Como dissemos acima, a celebração das Bodas seguirá os acontecimentos do BEMA de Cristo, haja vista, a Igreja já aparecer adornada com “os atos justos dos santos” (Ap 19.8) que certamente se refere aos acontecimentos do tribunal de Cristo. Certamente será grande a alegria de todos os salvos arrebatados, quando juntos ao seu Senhor, adentrarem no céu, lugar preparado por Ele (Jo 14.1-3). Ali serão recepcionados por multidões de anjos (AP5.11),   que os receberão com cânticos de aleluia (Ap 5.9-12), juntamente com a noiva que também cantará (Ap 5.9,10; 15.3,4).

O MOMENTO MAIS SUBLIME NOS CÉUS

Aleluia! Pois já reina o Senhor nosso Deus, o Todo-poderoso. Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa do Cordeiro, a si mesma já se te ataviou. E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino é a justiça dos santos. E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus (Ap 19.6-9).
Aleluia! A salvação, e a glória, e o poder são do nosso Deus:
A palavra “aleluia”, embora comum em expressões de louvor em nossos dias, aparece em apenas dois livros da Bíblia – os Salmos e o Apocalipse. Vem do hebraico e significa “louve a Deus” (Jah ou Yah, uma contração de YHWH, Jeová ou Javé). No Apocalipse, a forma grega da palavra aparece apenas quatro vezes, todas neste capítulo (19:1,3,4,6). Cada vez que pronunciamos esta palavra, falamos o nome de Deus e, por isso, deve ser falada com toda reverência e respeito. Não é uma palavra comum ou uma mera interjeição,.e sim, uma expressão de adoração ao Senhor.
19:1 – "Depois destas coisas, ouvi no céu uma como grande voz de numerosa multidão, dizendo: Aleluia! A salvação, e a glória, e o poder são do nosso Deus".

Depois destas coisas, ouvi no céu uma como grande voz de numerosa multidão: Três vezes neste livro encontramos a numerosa ou grande multidão, sempre no céu e sempre adorando ao Senhor (7:9-10; 19:1; 19:6).

19:3 – “E outra vez disseram: Aleluia! E a sua fumaça sobe pelos séculos dos séculos. Oura vez disseram: Aleluia!: A multidão repete sua palavra de adoração, dando honra a Deus.

O Pr. Hernandes Lopes assim descreve a cerimônia:

O costume matrimonial dos hebreus -

1) Noivado - era algo mais profundo do que um compromisso significa para nós. A obrigação do matrimônio era aceita na presença de testemunhas e a bênção de Deus era pronunciada sobre a união. Desde esse dia o noivo e a noiva estavam legalmente casados (2 Co 11:2).

2) O intervalo - Durante o intervalo o esposo paga ao pai da noiva um dote.

3) A procissão para a casa da noiva - Ao final do intervalo o noivo sai em procissão para a casa da noiva. A noiva se prepara e se atavia. O noivo em seu melhor traje é acompanhado de seus amigos que cantam e levam tochas e seguem em direção à casa da noiva. O noivo recebe a noiva e a leva em procissão ao seu próprio lar.

4) Finalmente, as bodas - as bodas incluem a festa das bodas que duravam sete ou quatorze dias. Agora a igreja está desposada com Cristo. Ele já pagou o dote por ela. Ele comprou a sua esposa com seu sangue. O intervalo é o período que a noiva tem para se preparar.

Ao final desse tempo, o noivo vem acompanhado dos anjos para receber a sua noiva, a igreja. Agora começa as bodas. O texto registra esse glorioso encontro: "Alegremo-nos e exultemos e demos-lhe glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou" (Ap 19:7).

Nos casamentos terrenos, quem recebe a maior atenção e honra é a noiva, mas nestas bodas quem tem toda a glória é o noivo!
Onde será as Bodas do Cordeiro?
No reino de Deus, nos céus: (Ap 19.1; 21.9). Pela ordem normal dos acontecimentos escatológicos, esse evento acontecerá no céu. Quando João declarou “ouvi no céu como que uma grande voz de uma grande multidão que dizia: Aleluia!, ele identificou naturalmente o lugar.
Não haveria lugar mais adequado para esse acontecimento extraordinário. Deus preparou coisas excelentes para nós no céu (1 Co 2.9) e certamente a festa de casamento de Cristo com Sua igreja será um evento de inigualável esplendor e glória.
"Mas eu vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no reino dos céus;" (Mat. 8:11).
"E digo-vos que, desde agora, não beberei deste fruto da vide, até aquele dia em que o beba novo convosco no reino de meu Pai." (Mat. 26:29).
"Para que comais e bebais à minha mesa no meu reino, e vos assenteis sobre tronos, julgando as doze tribos de Israel." (Luc. 22:30).
Quem participa das bodas?

Os que O esperavam (a igreja) e os santos da primeira ressurreição:

"Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possam abrir-lhe. Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá." (Luc. 12:35-37)

"E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. (Mat. 25:10)

Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou”. (Apocalipse 19.7)

E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus”. (Apocalipse 19.9)

Quanto tempo durará as Bodas?

Entre os judeus as bodas duravam sete dias (Jz 14.12,15,17,18 ; Gn 29.27,28). A maioria dos comentaristas bíblicos crê que as bodas do Cordeiro se prolongarão por sete anos, enquanto aqui na Terra acontecerá a grande tribulação. Cada dia corresponde a um ano (Nm 14.34; Ez 4.6).

Havia duas fases no casamento judaico: Na primeira, o noivo ia à casa da noiva para buscá-la e cumprir certos requisitos matrimoniais. Na segunda, ele a levava para sua casa a fim de continuar as festividades.

O mais interessante aqui é que as Bodas do Cordeiro ocorrem enquanto o mundo enfrenta o período de Tribulação, após o Arrebatamento, ou seja, o período de sete anos entre o arrebatamento e a volta de Cristo no fim da Grande Tribulação. Esse é o tema muito debatido entre os estudiosos sobre o assunto.

O que temos que aprender e nunca nos esquecer é que o mundo espiritual é atemporal, ou seja, não está sujeito ao tempo do mundo físico. No mundo espiritual, o tempo é sempre presente. Não existe, portanto, sequência de passado, presente ou futuro no tempo espiritual. Veja o que está escrito em Eclesiastes 3:14-15:

"Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor [de reverência] diante dele [a fim de reverencia-Lo e louva-Lo, sabendo quem Ele é]. O que é já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou [a fim de que a história se repita]."

Portanto, no mundo espiritual não existe o conceito de tempo, mas existem ações consumadas e ações eternas (sem fim). Por isso, para todos aqueles que forem arrebatados, eles não sentirão que no mundo físico já se passaram sete anos entre o Arrebatamento e a Ceia das Bodas do Cordeiro.

Enfim, Jesus comemorará o Casamento com a Noiva verdadeira, a Igreja, que amou mais a Cristo do que a própria vida (Apocalipse 12.11)! As Bodas do Cordeiro são detalhadas aqui através de uma grande ceia de Jesus com o seu povo santo.

Pr. Dr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.;Th.D.;D.Hu.) 
(O Pr. Dr. Adaylton de Almeida Conceição foi Missionário no Amazonas e por mais de 20 anos exerceu seu ministério na Republica Argentina, é Bacharel, Mestre e Doutor em Teologia, Psicologia e Humanidade, Escritor, Pós-graduado em Ciências Políticas, membro da Academia de Letras Machado de Assis de Brasília, Diretor da Faculdade Teológica Manancial).

Facebook: adayl manancial

BIBLIOGRAFIA
  • Adaylton de Almeida Conceição – Introdução à Escatologia Bíblica
  • Carlos Kleber Maia – As Bodas do Cordeiro
  • Elias Ribas  - As Bodas do Cordeiro
  • Ezequiel Barbosa  - Vindas são as Bodas do Cordeiro
  • Hernandes Dias Lopes - Estudos no Livro do Apocalipse, pág. 146).
  • Jesiel Rodrigues – As Bodas do Cordeiro
  • Jânio Santos de Oliveira – Estudo Escatológico: As Bodas do Cordeiro
  • Welfany Nolasco Rodrigues – As Bodas do 

Igrejas estão promovendo “bailes gospel de carnaval”


Pr. Renato Vargens alerta: Entretenimento está substituindo a pregação.


Anualmente, durante o carnaval, uma percentagem das igrejas opta por retiros espirituais. Um outro grupo faz seus próprios “blocos” e vai para a rua celebrar junto com os foliões. Mas nos últimos tempos surgiram celebrações de carnaval dentro dos templos.
Alguns vídeos começaram a circular pela internet em 2016, gerando um acirrado debate. Por um lado, o escândalo daqueles que condenam o fato de o “mundo ter entrado na igreja”. Uma minoria defende, considerando válida essa forma de louvar e atrair pessoas (especialmente jovens) para suas igrejas.
O pastor e blogueiro Renato Vargens publicou um “desabafo” sobre o assunto nesta terça (9).
“A desculpa é que os tempos mudaram e que em virtude disso, tudo também precisa mudar. Ora, Não é porque o mundo mudou que a Palavra de Deus tem que mudar também. Em vez de criar bailes de carnaval, a igreja deveria pregar o evangelho e não promover entretenimento”.
Em entrevista ao Gospel Prime, ele explica por que não acredita que esse tipo de evento tem um resultado válido do ponto de vista espiritual. “Somente quem convence os homens de seus delitos e pecados”, enfatiza Renato. Para o pastor, é algo grave, pois o nome de Deus está sendo “levado em vão”.
Parafraseando a frase célebre de Charles Spurgeon, Vargens acredita que chegou o tempo em que se trocou “a mensagem do evangelho pelo entretenimento”.
Fonte: Gospel Prime
Assista aqui:

Para uma boa audição,
Desligue o áudio do Stúdio Rhema, no
Canto superior esquerdo do blog.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...