quarta-feira, 26 de abril de 2017

[43ª AGO CGADB] - Culto de abertura foi marcado por fervor espiritual


Pastor José Welington Bezerra da Costa destacou o perigo da frieza espiritual na abertura da 43ª AGO da CGADB 


O culto de abertura da 43ª Assembleia Geral Ordinária da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), que ocorre no templo-central da Assembleia de Deus Ministério do Belém,em São Paulo, foi marcado por fervor espiritual.

A abertura foi conduzida pelo pastor Joel Freire, dos Estados Unidos. Na ocasião, ele convidou o pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, para a oração inicial. O veterano pastor declarou aberta a 43ª Assembleia Geral Ordinária na AD paulista.

O pastor Adalberto Dutra, presidente da Convenção das Igrejas e Pastores das Assembleias de Deus no Estado do Rio Grande do Sul (Ciepadergs), fez a leitura oficial em Filipenses 2.10-11, onde está escrito que "todo o joelho se dobrará e toda a língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor".

Em seguida, a Banda Sinfônica do Belém teve a sua oportunidade de engrandecer o nome do Senhor. Os participantes também contemplaram a tradicional entrada das bandeiras. A bandeira do Brasil entrou primeiro, seguida pelas bandeiras de São Paulo, CGADB e demais estados brasileiros. Também foi entoado o Hino Nacional.

O culto teve ainda a participação do Coral do Círculo de Oração que marcou presença com suas 1,5 mil componentes em adoração ao Senhor, e do Coral Jovem, com cerca de 500 vozes que também enlevaram os presentes com exaltação e louvor. Os cantores da CPAD Music, Victorino Silva e Marcelo Santos, também adoraram ao Senhor juntamente com toda a igreja.

 
A Palavra da noite foi ministrada pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, baseada no livro de Atos 28.1-2. O presidente da CGADB abordou os resultados maléficos que a frieza espiritual pode provocar na vida dos cristãos. "Não podemos deixar nos contaminar por qualquer indiferença. Somos crentes pentecostais. Quando Jesus vier buscar a Igreja, Ele deseja arrebatar uma Igreja no fogo", destacou.

A oração final e a bênção apostólica foram impetradas pelo pastor Sebastião Rodrigues, presidente da Assembleia de Deus em Cuiabá (MT).

A 43ª AGO acontecerá até a próxima sexta-feira (28) e tem como tema "Salvação e Livre-Arbítrio".

Fonte: CPAD News
Fotos: Tiago Bertulino

MP/SC quer explicações sobre repasse de R$ 400 mil do governo aos Gideões

Secretaria estadual de Turismo destinou verba pública para a realização do congresso missionário em Camboriú


O Ministério Público de Santa Catarina exige que a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte comprove como será utilizada a verba de R$ 400 mil enviada pelo Governo do Estado para o Congresso de Gideões, que começou neste fim de semana em Camboriú.
A procuradora-geral adjunta, Cibelly Farias, requereu cópias de todos os documentos apresentados pela Associação Rádio Paz do Valle FM, organizadora do evento.
Se contabilizado o recurso do município — que não é repassado diretamente à organização, mas investido pela própria prefeitura em infraestrutura — o evento evangélico recebeu cerca de R$ 720 mil de dinheiro público.
O congresso, ligado à igreja Assembleia de Deus, é realizado anualmente, sendo considerado o maior da América Latina.
No ano passado a procuradora Cibelly Farias recomendou que o Estado e o município não fizessem repasses, por que o edital de liberação não especificava como seria aplicada a verba.
O MP explicou que deseja garantir que o dinheiro seja usado somente em infraestrutura turística, uma vez que o argumento do Estado e da prefeitura é que o evento atrai turistas.
Caso entenda que a destinação do dinheiro não cumpre as regras, a procuradora poderá recomendar o não pagamento.
Com informações Clic RBS via Gospel Prime

terça-feira, 25 de abril de 2017

MEC vai destinar quase R$ 8 milhões para promover o islã para crianças

Exposição quer mostrar o islamismo como "gerador de progresso"


Entre as dezenas de projetos temerários aprovados pelo governo Dilma Rousseff com captação pela via Lei Rouanet está a exposição “1001 Invenções: descobrindo o duradouro legado da civilização muçulmana”.  
A exposição, idealizada por uma organização da Inglaterra, já conseguiu R$ 7.825.451,58 e recebeu do Ministério da Cultura aprovação para que ocorra em São Paulo, no período de 29/08/2017 a 03/12/2017.
A justificativa do projeto, idealizado por Ahmed Salim, um jordaniano radicado em Londres, tem "a finalidade de descortinar esse passado (muçulmano) encoberto pelos acontecimentos atuais e pelo próprio modo como foi contada a história ocidental."
Entre as várias facetas da exposição está a exibição do documentário: "O que o mundo islâmico fez por nós".
Curiosamente, a ideia da exposição foi criada pela empresa 1001 Inventions, responsável por enviá-la para várias cidades do Estados Unidos na era Obama e outras muitas na Europa. O projeto pinta o islã como o grande inventor e criador da civilização moderna na Idade Média.
A mostra prevê a entrega de 115 mil cartilhas para os estudantes de 7 a 17 anos que visitarem o local. Inclui ainda verba para campanhas educativas com as escolas da cidade, visando "despertar o interesse do público, em especial os estudantes a respeito do tema central proposto", no caso, o Islã.
O portal Gospel Prime já havia denunciado isso em meados de 2016.  Mudou o governo, saiu Dilma entrou Temer, mas o apoio estatal a essa forma sutil de doutrinação continua valendo.
A subvenção da religião, é bom lembrar, é proibida pelo artigo 19 da Constituição Federal.


Esta semana, o Ministro da Cultura Roberto Freire fez uma defesa pública da ideia na redes sociais, chamando atenção novamente para o fato de que o governo não vê nada errado em promover, ainda que de forma indireta, a islamização.
Projeto no site do MEC



A íntegra do projeto pode ser lida no site do Ministério da Cultura (aqui). Basta ir no menu Consultar, Projeto e colocar o número 1510875 no Pronac.

MEC responde

Após a publicação da matéria, o Ministério da Cultura (MinC) enviou email ao portal Gospel Prime, afirmando que o projeto em questão é "de caráter educativo" e que foi aprovado "conforme os critérios objetivos técnicos estabelecidos pela Lei Rouanet" visando "propiciar meios, à população em geral, que permitam o conhecimento dos bens de valores artísticos e culturais".
Também esclarece que "1001 invenções" foi aprovado pelo MinC a captar recursos de incentivo fiscal no valor de R$ 7,8 milhões, mas ainda não captou "qualquer recurso até o presente momento". finaliza dizendo que "a aprovação do projeto não garante a sua execução".
Fonte: Gospel Prime

Eleições 2018: “Evangélicos saem na frente, têm presença na mídia”, diz pesquisadora

De coadjuvantes, eles querem agora o protagonismo, afirma Christina Vital

A pesquisadora da Universidade Federal Fluminense Christina Vital é co-autora do livro "Religião e Política: Medos Sociais, Extremismo Religioso e as Eleições", lançado recentemente. Sua análise sobre a situação política do país aponta para uma mudança nas eleições em 2018.
Além da expectativa de aumentarem a bancada na Câmara Federal, que hoje corresponde a 17% dos 513 deputados, eles estariam mirando também o Executivo. Segundo essa perspectiva, de coadjuvantes, eles querem agora o protagonismo, o que incluiria a busca de mais postos nas eleições para o executivo.
Em entrevista para o jornal A Gazeta, Vital é mais uma especialista a acreditar que Jair Bolsonaro (PSC/RJ) poderia ser um nome de consenso dos evangélicos para a corrida presidencial no próximo ano.
Olhando em retrospectiva, ela lembra que 2014 foi a primeira vez que surgiu uma candidatura confessional evangélica para a Presidência, com o pastor Everaldo (PSC). "Era um momento especial, onde eles deixavam de ser massa de manobra, pedintes, para serem negociadores", sublinha.
Embora tenha conseguido menos de 1% dos votos válidos, Everaldo era apontado nas primeiras pesquisas como um fator de desequilíbrio, que poderia influenciar o segundo turno.
"No começo da disputa o pastor estava em empate técnico com o Eduardo Campos (PSB). Eduardo com 7% e ele com 4%, a margem de erro estava em um lugar que apontava para a possibilidade de 2º turno. E com ele se apresentado ao grande público mobilizaria a massa evangélica e os números cresceriam", lembra Vital.
Contudo, entende a pesquisadora, a morte do Eduardo Campos e o ressurgimento de Marina Silva (Rede) acabou dividindo o voto evangélico. Como resultado, nenhum dos dois teve forças para chegar ao segundo turno.
A mudança para 2018 deve ser, principalmente, a nova configuração em torno do financiamento de campanha. Segundo cientistas políticos, ela será mais favorável às pessoas "que têm recursos próprios para investir em suas campanhas e aquelas personalidades muito conhecidas do grande público, lideranças de massa, midiáticos".
Se for assim, os evangélicos sairiam na frente, por que várias lideranças religiosas têm grande presença na mídia. "Em 2018 pode haver uma grande possibilidade de uma nova mobilização em torno de uma candidatura evangélica", aposta a pesquisadora.

STE já pensa em barrar igrejas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está analisando uma cláusula para impedir o uso do poder econômico e a influência das igrejas no período eleitoral, afirmou o presidente da Corte eleitoral, Gilmar Mendes.
"Depois da proibição das doações empresariais pelo Supremo Tribunal Federal (STF), hoje quem tem dinheiro? As igrejas. Além do poder de persuasão. O cidadão reúne 100 mil pessoas num lugar e diz 'meu candidato é esse'. Estamos discutindo para cassar isso", alegou o ministro.
Segundo o ministro, existe o uso da religião para direcionar as eleições, contando ainda com os recursos das igrejas, sejam eles material ou mesmo o uso dos templos.
Gilmar Mendes comentou que existe uma tendência para abuso de poder econômico de "difícil verificação", sendo necessário a intervenção do TSE.
Fonte: Gospel Prime

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...