quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Dilma Roussef sanciona Dia Nacional do Milho

O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,dilma-assina-lei-que-cria-dia-nacional-do-milho,1626013O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, u

A presidente Dilma Rousseff sancionou a lei Nº 13.101, o Dia Nacional do Milho, que passa a ser comemorado no dia 24 de maio.

A nova lei foi publicada na quarta-feira, 28, no Diário Oficial da União. A data foi instituida para "estimular e orientar a cultura do milho, será comemorado anualmente, em todo o território nacional".

Mas não é só o produto agrícola que tem uma dia oficial para ser lembrado, em muito lugares da nação.

Veja algumas outras datas inusitadas comemoradas no Brasil:


25 de outubro - Dia do Macarrão
Criado pelo deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), em 2014, a proposta foi sancionada sob justificativa de firmar um "compromisso de responsabilidade das empresas do setor para divulgar amplamente a importância do macarrão na cadeia alimentar”.

16 de outubro - Semana Nacional do Feijão e Arroz
A data foi proposta e instituida para ser comemorada durante a Semana Mundial da Alimentação, na qual "serão desenvolvidas, prioritariamente, por instituições públicas e privadas, ações de conscientização, sob forma de audiências públicas, sobre a importância desses dois produtos na alimentação humana".  

03 de novembro - Dia Nacional do Quilo
A causa é nobre, apesar de criticada, a lei foi proposta para arrecadar alimentos e usá-los no combate à fome.

20 de janeiro - Dia do Fusca
Muitos estados brasileiros instituiram a data. No dia, a fabricante do modelo, a Volkswagen, celebra o carro mais vendido no mundo.
 
27 de agosto - Dia Municipal da Luta de Braço
A lei é da cidade de Belo Horizonte, está em vigor desde 1996. Ela estabelece que a cidade tem o deve estimular atividades sobre o esporte na data. Foi nesta data que surgiu, em 1994, a Confederação Brasileira de Luta de Braço (CBLB).
 
Redação O POVO Online

Meu comentário:
E eu pensando que isso era coisa de vereador novato...
Sem mais comentários...

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA: Governo Federal vai monitorar redes sociais


A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) anunciou que irá começar a acompanhar mais de perto as manifestações de intolerância religiosa nas redes sociais.

A ministra da pasta, Ideli Salvatti, ressaltou que isso se faz necessário porque “boa parte da intolerância religiosa se propaga pela rede”.

De acordo com o portal iG, o monitoramento será feito pelo grupo de acompanhamento dos crimes de ódio pela internet, formado pela Polícia Federal, pela Ordem dos Advogados do Brasil e pelas defensorias públicas dos estados.

Fonte: Gospelhoje

Pastor assume direção de Pronto Socorro e “espiritualiza” o local


O pastor Rodson, da Igreja Batista Liberdade, foi escolhido pelo governador do Acre, Sebastião Viana, para ser o diretor geral do Pronto Socorro Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (HUERB).
A escolha chamou a atenção da imprensa local e segundo o jornal AC24Horas o pastor já chegou fazendo algumas mudanças no dia a dia dos funcionários do Pronto Socorro.
O site afirma que Rodson tem reunido os servidores do PS para orar e abençoar o local. As reuniões são feitas com meditação da Bíblia, mensagens de autoajuda e coffee breaks.
A escolha do governador petista foi feita para humanizar o PS, mas o pastor estaria além de humanizando, espiritualizando o local com essas reuniões de oração.

Antes de assumir este cargo, o pastor Rodson trabalhava como controlador-geral do Estado nível 5 (CEC 05) com um salário mensal de quase R$ 6 mil. O líder religioso também atua como ponte entre líderes evangélicos e o Palácio Rio Branco.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Marco Feliciano: Ativistas gays cobram R$ 2 milhões de indenização do pastor



As ativistas Joana Palhares, 19 anos, e Yunka Mihura, 21 anos, que ficaram nacionalmente conhecidas por se beijarem durante um evento evangélico em São Sebastião, litoral paulista, e, posteriormente, receberem voz de prisão do pastor Marco Feliciano (PSC-SP), anunciaram que estão processando o deputado federal. As duas cobram uma indenização de R$ 2 milhões. O advogado que representa as ativistas diz que a ação truculenta dos guardas municipais foi motivada pelo pedido do pastor.

Fonte: Gospelhoje

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...