quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Adolescentes que se mantém virgens têm hábitos mais saudáveis e se expõem menos a riscos, aponta estudo


A escolha por esperar o sexo no casamento pode até ser impulsionada pela religião, mas um estudo recente mostrou que existem vantagens práticas nessa abstinência: jovens que se mantém virgens são propensos a adotar hábitos saudáveis para toda a vida.
O estudo foi realizado pelo Center for Disease Control and Prevention (CDC), um órgão dedicado ao controle e prevenção de doenças, e altamente respeitado nos Estados Unidos. Durante os trabalhos, foram examinados os comportamentos relativos à saúde dos adolescentes em comparação com suas atividades sexuais.
Segundo informações do Christian Post, o grupo que confirmou permanecer em abstinência tinha indicativos de saúde melhores em diversas áreas do que os que mantém uma atividade sexual.
O relatório destacava que o universo pesquisado eram alunos do equivalente ao nono ano no Brasil e Ensino Médio. Os pesquisadores se valeram das constatações feitas em outras pesquisas para reforçar o argumento, e frisou que “os estudantes que não tinham contato sexual têm uma prevalência muito mais baixa da maioria dos comportamentos de risco à saúde, se comparados comparação com os alunos que já tiveram ou mantém contato sexual”. Os pesquisadores definiram como risco à saúde hábitos como tabagismo, alcoolismo e drogas, principalmente.
Jennifer Roback Morse, fundadora e presidente do Instituto Ruth, uma ONG cristã, afirmou que “este estudo é notável porque faz perguntas e relata as respostas, ao invés de evitar perguntas ou assumir respostas”.
Os abstêmios têm características de preservação da própria integridade, e estão menos propensos a fazer bronzeamento artificial, consumir bebidas alcoólicas, fumar maconha, pegar carona no carro de um motorista embriagado ou se envolver em brigas, além de dormirem melhor e se alimentar de forma saudável pela manhã.
“Nossos filhos devem saber que há evidências científicas muito convincentes em tantos níveis mostrando sobre como preservar o presente precioso, que é a sexualidade, até chegar ao porto seguro do casamento. Isso não tem nada a ver com o moralismo antigo ou a repressão sexual insalubre”, afirmou Glenn Stanton.
O mesmo raciocínio foi seguido por Jennifer Morse: “Tenho notado que os alunos castos com quem trabalhamos ao longo dos anos no Instituto Ruth não têm a angústia que muitas vezes é atribuída à juventude. Eu acho que isso se explica porque evitar a atividade sexual evita diversos dramas psico-sociais, que a acompanham [no caso de ocorrer ainda no namoro], como: ‘Ele ainda gosta de mim?’; ‘O que ela está realmente fazendo com esse outro cara?’ ou ‘Eu realmente sou importante?’. Além disso, é importante dizer: ninguém nunca morreu por não ter relações sexuais”, contextualizou. “Mas as pessoas às vezes sentem como se fossem morrer diante da ideia de permanecer sem sexo [mesmo se for por apenas um período]. Se você se sentir assim, pode significar que você é viciado”, concluiu.
Fonte: Gospel+

“É a 3ª vez que Deus salva minha vida”, relata jogador da Chapecoense

F

Alan Ruschel relatou experiências ao médico

Os sobreviventes brasileiros do acidente aéreo envolvendo a delegação da Chapecoense continuam se recuperando. Em conversas com a imprensa, os médicos relatam o avanço gradual do quadro de cada um deles uma semana após a tragédia.
O caso do zagueiro Hélio Neto é o único que inspira maiores cuidados. “Neto está em estado grave, sedado, com respiração mecânica. Nas últimas 12 horas esteve mais estável, ontem (segunda-feira) se estabilizou várias vezes. Os padrões de saturação são os mesmos, os de pressão são os mesmos, mas ele segue 100% dependente do ventilador. Neto tem uma fratura na vértebra lombar, mas não temos como fazer a fixação no centro cirúrgico”, explica Ferney Rodríguez, diretor do Hospital San Vicente, em Rionegro, na Colômbia.
O lateral Alan Ruschel já está sentando e vem conversando normalmente com os médicos. Confidenciou a um deles que só está vivo porque foi chamado para sentar na parte da frente do avião. De acordo com o atleta, esta seria a terceira vez que Deus lhe salva a vida.
O médico Marcos Sonagli relatou à imprensa a história que lhe foi contada por Ruschel. Além de ter sobrevivido a um grave acidente de carro em Chapecó, na semana passada trocou com um colega de lugar antes da decolagem e por isso sobreviveu, o terceiro livramento veio porque tem reagido bem após ser vítima do desastre aéreo.
Ao contar o caso, o dr. Sonagli, brincou: “se ele tem sete vidas, não precisa gastar as outras quatro”.
Alan Ruschel é evangélico. Sua esposa Alissen escreveu no Instagram esta semana: “EM NOME DE JESUS, Alan está progredindo cada minuto mais. O que vem acontecendo é algo milagroso. Ontem o psicólogo contou tudo o que aconteceu pra ele, Alan só fala que quer voltar, e quer sair de lá. E sabe que foi um milagre de Deus. Sei que Deus está abraçando e confortando o coração de cada familiar que perdeu seu pai, filho, irmão, marido e amigo. Não vamos deixar de orar . Todos nós que estamos sofrendo com tudo isso, precisamos muito. A família Chape precisa de força, muita força para todos!”.
Fonte: Gospel Prime

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Pastor é preso por fazer orações e oferecer conselhos a gestantes em frente a clínica de abortos

A cultura de morte chamada aborto motivou um pastor a orar pelas gestantes que procuravam uma clínica pensando em interromper a gravidez. No entanto, o líder cristão terminou preso sob a acusação de interferir na atividade abortista.
James Linton, pastor da Igreja Anglicana em San Bernardino, Califórnia (EUA), fazia um trabalho de aconselhamento às mulheres que procuravam uma clínica da Planned Parenthood. Do lado de fora do estabelecimento, ele oferecia orações às gestantes, na esperança de que elas desistissem de matar os bebês.
Essa atividade era feita semanalmente pelo pastor há um ano, na calçada da rua onde a clínica está instalada. Na última sexta-feira, 02 de dezembro, a Polícia foi chamada e o pastor levado sob custódia. Agora, a promotoria do condado vai acusá-lo formalmente por “interferência em negócios”, segundo informações do site Tru News.
A Planned Parenthood é a maior rede de clínicas de abortos dos Estados Unidos. A filial de San Bernardino chegou a construir um muro ao redor do edifício, como forma de tentar impedir os “conselheiros de calçada” de aconselhar e orar pelas gestantes.
A Fundação de Defesa Legal da Vida designou a advogada Allison Aranda, ex-promotora do Condado de Riverside, para auxiliar o pastor Linton no processo. Ela classificou a detenção do sacerdote como “ultrajante” e afirmou que a acusação não tem base.
“Linton certamente não tinha a intenção de interferir nos negócios financeiros da Planned Parenthood, mas simplesmente ofereceu ajuda e alternativas para seus clientes para poder salvar a vida de preciosos bebês”, disse Aranda.
A advogada frisou que seu cliente não desrespeitou nenhuma lei enquanto orava ou falava com as gestantes na rua, e sim, exercia seu direito à liberdade de expressão, um dos itens mais protegidos da Constituição dos Estados Unidos: “Na verdade, a seção de código sob a qual Linton foi acusado, especificamente isenta de responsabilidade criminal, aqueles que estão envolvidos em atividades que são protegidas pelas constituições da Califórnia e Estados Unidos”, frisou Aranda.
Fonte: Gospel+

“Ovelhas de Jacó” são vistas em Israel após mais de 2 mil anos

"Ovelhas de Jacó": Animais serão exibidos em fazenda que deverá atrair turistas

Foram quase três anos de negociações entre os governos de Israel e do Canadá, mas agora as “ovelhas de Jacó” estão de volta a Israel. Acreditava-se que essa raça de ovinos estava extinta, mas graças a fazendeiros judeus do Canadá, voltaram às terras onde rebanhos delas eram comuns até cerca de dois mil anos atrás.
Três aviões fretados transportaram as ovelhas até Israel. Gil e Jenna Lewinsky foram os criadores responsáveis pela operação complexa que as tirou da fazenda canadense onde eram criadas. “A primeira ovelha chegou no dia em que Noé saiu da arca, 28 de Cheshvan, segundo o calendário judaico”, explica Jenna. O calendário ocidental marcava 30 de novembro.
“Foi lindo vê-las caminhar sobre o solo de Israel”, comemorou a fazendeira, que imigrou definitivamente para o Estado judeu três semanas antes do primeiro voo trazer os animais.
As marcas genéticas das ovelhas indicam que elas são naturais do Oriente Médio. Originalmente viviam no território do norte, onde é a Síria moderna, moradia de Labão, ensina a Bíblia. Ao longo dos séculos foram se espalhando e chegaram até o Norte da África.
Consideradas animais diferenciados, alguns exemplares foram levados para zoológicos na América do Norte. Diferentemente de outros ovinos, que apresentam 2 chifres, essas possuem 4 e às vezes até 6.
A raça é conhecida como “ovelhas de Jacó” por causa dos relatos de Gênesis capítulo 30, onde se narra como elas foram multiplicadas por Deus para que Jacó pudesse pagar suas dívidas com o sogro Labão. Elas são as “salpicadas e malhadas”, descritas nas Escrituras.
Os Lewinsky explicam que essas ovelhas não eram vistas em Israel há milhares de anos. Contudo, trazê-las de volta não foi um processo fácil. Foram necessárias muitas conversas do Ministério da Agricultura de Israel com o Ministério do Desenvolvimento Rural e Agência de Inspeção de Alimentos do Canadá.

Fazenda especial

O porta-voz do Ministério da Agricultura israelense veio à público explicar que o Canadá não está na lista dos países que tem permissão de exportar animais vivos para Israel. Para que esse rebanho viesse, foi necessário negociar “condições especiais, apenas para fins de turismo”. Os custos de transporte ficaram na casa dos 100 mil dólares e o governo israelense pagou a maior parte.
Gil e Jenna pretendem abrir uma fazenda que permitirá a visitação dos animais, embora ainda não tenham conseguido permissão para comprarem terras nas Colinas de Golã, na região fronteiriça com a Síria.
Por enquanto, as ovelhas estão passando por uma “quarentena especial” no sul de Israel, onde aguardam a chegada das últimas ovelhas, são 119 ao todo. Somente no início de 2017 devem estar todas liberadas. Enquanto isso, os Lewinsky procuram um lar permanente para as ovelhas.
A ‘saga’ dessas ovelhas têm recebido atenção mundial, incluindo ampla cobertura da mídia judaica como o Times of Israel e chamando atenção de jornais americanos e europeus. Para muitos esse pode ser um sinal profético, de restauração e prosperidade para os judeus, como foi nos dias de Jacó.
Fonte: Gospel Prime

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...