sábado, 28 de maio de 2016

O uso de paletó e gravata é sinônimo de santidade?


Corre nos grupos de whatssapp, um banner com a frase abaixo, atribuída supostamente a um pastor de renome no mundo gospel:

"Se paletó e gravata fossem sinônimo de santidade, Brasília seria chamada terra de PROFETAS"

Se é verdade ou não a quem atribuem, não vem ao caso, por isso mesmo não menciono qualquer pessoa, agora, na verdade o conteúdo conceitual da frase é crescente.

Entendo que a denominações cujos obreiros sempre usaram paletó e gravata, como é o caso das Assembleias de Deus, à qual pertenço, nunca tiveram tal vestimenta como sinônimo de santidade, mas uma questão de identidade, por sinal muito boa.

Pessoas que tratam de atividades importantes do ponto de vista social, assim se portam, porventura não seria importante o trabalho que se presta no Reino de Deus?

Tenho certeza que o paletó e a gravata não oram, não jejuam e nem pregam, mas por uma questão cultural identificam aqueles que ministram na casa de Deus, principalmente nas igrejas que assim se convencionou.

Da mesma maneira que o uniforme das forças armadas não prestam qualquer trabalho, mas identificam aqueles que o utiliza.

Simples assim....

A ideia do post não é criticar as igrejas cujos obreiros não usam, mas defender aquelas que prosseguem no costume de utilizar tal identidade.

“Sr. Barriga” dá testemunho em campanha evangelística


Edgar Vivar falou como Deus o ajudou a superar os problemas na adolescência

O portal Mundo Cristiano noticiou que o ator mexicano Edgar Vivar deu testemunho em um evento Evangelístico no Paraguai. O comediante ficou conhecido na América Latina pelos personagens Senhor Barriga e Nhono no programa “Chaves”.
Vivar foi o convidado especial do projeto “Salvar uma vida” promovido pelo evangelista Juan Cruz Cellammare. Além de uma série de palestras em escolas do Paraguai, o ator mexicano estava no ginásio onde foi realizado o grande culto de encerramento.
Além do testemunho do “Sr. Barriga”, ocorreram apresentações de cantores evangélicos, incluindo o brasileiro Thalles Roberto, encerrando com a pregação de Cellammare. Após o apelo para receber a Jesus, centenas de pessoas entregaram suas vidas.
“Se Deus quer, então eu posso” foram as palavras de Vivar em suas apresentações, onde destacou sua luta contra o bullying desde criança por causa do seu sobrepeso. Ele ressaltou acreditar que não estaria vivo se não fosse pela ajuda de Deus em todos os momentos.
Obrigado a lidar com graves problemas de saúde por causa da obesidade, ele passou por um procedimento cirúrgico delicado em 1992. A recuperação foi difícil, ele precisou perder mais de 40 quilos e mudar radicalmente seu estilo de vida.
Além de falar sobre a salvação da alma, o projeto voltado para os jovens luta pelo fim do suicídio, da discriminação, do aborto, da dependência de drogas e do bullying. No ano passado, tiveram a participação da atriz María Antonieta de las Nieves, que vivia a “Chiquinha” no programa do Chaves.

Com informações de Mundo Cristiano - via Gospel Prime

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Deus irá curar o país da corrupção, afirma Valdemiro Santiago na Marcha para Jesus:


Durante a 24ª Marcha para Jesus, realizada em São Paulo nesta quinta (26), o apóstolo Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, fez uma oração que teve grande repercussão. Ele afirmou acreditar que Deus irá curar o país da corrupção.
“Essa marcha acontece num dos momentos mais difíceis do país. Essa marcha vai ser a mais abençoada que já tivemos… A partir de hoje veremos coisas diferentes acontecendo. Estamos profetizando a mudança deste país, a prosperidade da nação, a cura da nação. Deus estará curando da corrupção, curando da falta de temor, de obediência. A partir de hoje o espírito de Deus estará tocando fortemente o coração de cada autoridade e coisas extraordinárias vão acontecer”, afirmou diante da multidão presente no evento.
O apóstolo Estevam Hernandes, da igreja Renascer em Cristo, organizadora do evento, também falou sobre a situação do país. “O Brasil é uma terra que precisa ser curada, e a solução está aqui no povo de Deus nas ruas”, asseverou.
À imprensa, Hernandes disse acreditar que o Brasil vive um “momento crítico” e que os evangélicos, como todos os brasileiros, estão preocupados com a situação. “A marcha traz a oração, o clamor, o caminhar para que a nação seja transformada”, ressaltou.
O assunto preocupa vários líderes evangélicos, muitos dos quais se reunirão  em Brasília para um “ato profético” pelo fim da corrupção na semana que vem.

Fonte: Gospel Prime
ASSISTA AQUI

Projeto pró-islã recebe R$ 7 milhões via Lei Rouanet


Entre as constantes discussões sobre os abusos da Lei Rouanet, grande trunfo do Ministério da Cultura (MinC) nos governos do Partido dos Trabalhadores, o foco parece recair sempre nos artistas globais. Alguns deles receberam milhões de reais em forma de renúncia fiscal para produzirem seus espetáculos, que ainda assim cobram ingressos caros.
Em meio ao escrutínio público que vem sendo feito após a posse do novo governo, está sendo proposta uma CPI na Câmara dos Deputados para se investigar os excessos. Até o momento não foi divulgado se no novo MinC irá revisar todas as concessões futuras, como tem sido especulado.
Alguns desses projetos, aprovados pelo governo Dilma Rousseff, chamam atenção por terem clara formatação ideológica. Por exemplo, foi captado via Lei Rouanet um total de R$ 7.095.007,39 para a organização da exposição “1001 Invenções: descobrindo o duradouro legado da civilização muçulmana”.
A exposição, idealizada por uma organização da Inglaterra, será apresentada em São Paulo no ano que vem, por um período de três meses. No próximo encontro da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), entre 7 a 9 de junho, ele precisa receber a aprovação final.
A justificativa do projeto, idealizado por Ahmed Salim, um jordaniano radicado em Londres, tem “a finalidade de descortinar esse passado (muçulmano) encoberto pelos acontecimentos atuais e pelo próprio modo como foi contada a história ocidental.” Entre as várias facetas da exposição está a exibição do documentário: “O que o mundo islâmico fez por nós”.
Na documentação apresentada, afirma-se que “o projeto contribuirá para a área pelo seu caráter histórico, artístico e educativo de notória importância”. Embora em momento nenhum apareça a palavra religião, não faz distinção entre a cultura do povo árabe (étnico) e os muçulmanos (seguidores de Maomé). Ou seja, para seus criadores, uma coisa está intrinsicamente ligada à outra.
A mostra prevê a entrega de 115 mil cartilhas para os estudantes de 7 a 17 anos que visitarem o local. Inclui ainda verba para campanhas educativas com as escolas da cidade, visando “despertar o interesse do público, em especial os estudantes a respeito do tema central proposto”.
Estranhamente, nos últimos anos, por causa de suas convicções ideológicas, os partidos alinhados com a esquerda vinham enfatizando constantemente a necessidade do Brasil se afirmar como um Estado laico.
Essa separação entre Estado e religião, impediria que fosse repassada verba pública para a promoção de um determinado credo. Pelo histórico recente do PT, isso só vale quando se trata de cristianismo, pois durante vários anos o governo federal patrocinou eventos para a promoção das religiões afro-brasileiras através do Ministério da Cultura e da Fundação Palmares.
A subvenção da religião, é bom lembrar, é proibida pelo artigo 19 da Constituição Federal.
Com informações de Ilisp via Gospel Prime
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...