segunda-feira, 13 de setembro de 2010

ELEIÇÕES 2010 - Porque se calar?



ELEIÇÕES 2010 – Por que se calar?

O pleito eleitoral que estamos vivenciando, está trazendo uma grande discussão, a qual revela o preocupante perigo que se avizinha da nossa nação.

Tenho a nítida impressão, que aqueles que lutaram para aniquilar a didatura militar, não eram assim tão contrários ao seu conteúdo, mas apenas à sua forma.

Temos veículos de comunicação sob censura, artigos e vídeos retirados de blogs por ordem judicial, outros sob ameaça, como é o caso do vídeo gravado pelo Pr. Paschoal Piragine da 1ª. Igreja Batista de Curitiba e por ai afora.

Por outro lado, quando se comenta algo que revele ou contrarie ideologias anti cristãs, através de intenções embutidas de maneira subliminar, é como se estivéssemos confrontando o “divino”, duvidando da “oráculo” ou blasfemando do “santo”.

Quando se fala da utilização de artifícios indignos, como por exemplo, a falsidade ideológica para a quebra de sigilo da vida privada de cidadãos brasileiros junto a Receita Federal ou quaisquer outros órgãos, justamente por pessoas filiadas ao partido governante, é como se estivéssemos fazendo uma “tempestade em copo de água”.

Onde estamos? O que está acontecendo com o Brasil? Afinal, qual é o limite entre o legal e o ilegal? Será que a contravenção só é contravenção, dependendo de quem a pratica?

Se um pastor fala qualquer coisa a respeito, já está misturando religião com política. Se nada fala, alguns o qualificam como omisso. Se defende o “status quo”, é conivente com o sistema. Se aponta os erros, outros julgam que deveria pregar o evangelho e não se envolver com as questões terrenas. Isso é no mínimo preocupante.

Os profetas proclamavam o querer de Deus e contestavam os homens, independente de quem fossem eles, reis ou súditos e para tanto, colocavam inclusive em risco a própria vida.

Pela misericórdia de Deus prego o evangelho e não deixarei de fazê-lo, mas temo que essa liberdade total esteja ameaçada, a prevalecer a linha ideológica dos projetos de lei que tramitam nos congresso nacional.

É lógico que a Igreja Cristo, na condição de organismo vivo, em nada depende disso, afinal poderemos ser cristãos em casa, nas cavernas, e até mesmo sob a mira dos fuzis, porém, a pergunta que não quer calar é a seguinte:

Será que aqueles que temem qualquer contestação ideológica hoje, no temor de sofrerem qualquer arranhão em sua imagem e ou ministérios, se prestariam a serem cristãos publicamente e defenderem a sua fé em tais circunstâncias?

Não me parece que o Brasil dos shows gospels às custas do erário público, das multidões, das marchas, passeatas e carreatas, que se acostumou com uma vocação monárquica, onde ser “filho do rei” é quase moda e uma espécie de “grife espiritual”, esteja disposto a uma demonstração de fé onde a liberdade e a vida esteja em risco. Calma, não estou profetizando nada, apenas escrevendo suposições, sobre as quais podemos e devemos pensar.

Independente de ser evangélico ou não, pastor ou jornalista, é necessário que utilizemo-nos da liberdade de expressão que ainda temos, até porque não sabemos por quanto tempo a teremos.

Isso não se pode confundir com absolutamente nada, em detrimento da nossa obrigação bíblica de intercedermos pelas autoridades constituídas, independente de quem sejam elas.

Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade. Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador.” I Temóteo 2: 1-3

Não obstante ser nossa obrigação atentarmos para o mandamento bíblico, é necessário que estejamos atentos ao fato de a democracia se concretizar plenamente na hora do voto. Depois do sufrágio, nada mais há o que se fazer, senão orar por aqueles que ganharam e sujeitarmo-nos a eles.

Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus.” Romanos 13:1

Portanto, na hora de votar, é o momento certo para analisarmos por quem estaremos orando e nos sujeitando quando estiverem no exercício do poder. Se votarmos errado, teremos a obrigação de orarmos pelas pessoas certas, porém em lugares errados, no sentido de que acertem naquilo que estiverem fazendo.

Ora, se verificarmos que há desvios de conduta em suas práticas agora, poderemos perfeitamente repensar o nosso voto, evitando assim sofrimento futuro.

Se mesmo assim a maioria votar errado, teremos paz na consciência de que fizemos o que era melhor de acordo coma nossa consciência.

Agora é a hora certa para se falar, questionar, sugerir e alertar!

Carlos Roberto Silva
Cidadão brasileiro

Leia ainda:
Conheça o viés autoritário do PNHD
Por: Pr. Geremias do Couto


As Eleições e os Políticos
Por : Ev. Daladier Lima



Assista também:

14 comentários:

Pastor Geremias Couto disse...

Caro amigo e pastor Carlos:

Não importa se são poucos que levantam as suas vozes. Mas no universo dos blogs, o tema tem sido apresentado por um variado leque de pessoas que preferem falar agora para não se arrepender depois.

Essas vozes precisam ser ouvidas agora, antes que seja tarde demais. Assim, associo-me ao amigo e a tantos outros (Daladier Lima, Julio Severo, Hamilton Silva, Paschoal Piragine, Olavo de Carvalho etc, etc, etc) que estão a postos em defesa das liberdades em nosso país.

Como disse no meu blog, se o quadro não for revertido, estamos a caminho do controle total do Estado sobre o que temos de mais precioso: a nossa liberdade.

Abraços desde Osasco!

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezado amigo e Pastor Geremias Couto,

Graça e Paz!

Grato pelas suas palavras que enriquecem a idéia deste post.

Que Deus te abençoe rica e abundantemente.

Um grande abraço!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Valmir Barbosa Cordeiro disse...

Meu Caro Carlos Roberto
Congratulo-me com você pela clareza e oportuno pronunciamento nos depertando para o perigo de nos omitirmos, num momento tão delicado como o que estamos vivendo.Venho de Postar alguns videos em meu Blog (Visão Missionária) acerca do sofrimento que vive a Igreja do Senhor na China. E repetindo o que lá escrevi, espero que não tenhamos que produzir um filme idêntico, para num futuro próximo, retratarmos a situação da Igreja Cristã no Brasil. Parabens meu querido irmão por sua clareza de pensamento Que Deus continue te abençoando. Abraços. Valmir Barbosa Cordeiro (http:valmirbarbosa09.blogspot.com)

disse...

Concordo plenamente com seu post. Melhor falar agora, antes que seja tarde. paz!

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezado Valmir Barbosa Cordeiro,

A Paz do Senhor!

Grato pela honrosa visita e comentário!

A hora de manifestação educada e democrática é agora!

Estarei visitando seu blog.
Volte sempre!

Um grande abraço!
Seu conservo,

Pr. Carlos Roberto

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezada Rô,

A Paz do Senhor!

Essa é a idéia. Façamos o que é possível agora. Depois poderá ser tarde.

Grato pela honrosa participação.

Volte sempre!

Um grande abraço!

Seu conservo,

Pr. Carlos Roberto

Alberto Couto Filho disse...

Pastor Carlos Roberto
A paz
É amado pastor...
O tempo é agora e não pode esperar.
Busquei no vernáculo desportivo não uma explicação, mas uma maneira de explicarmos, não um momento qualquer de uma competição, mas o momento crucial desta acirrada e permanente batalha espiritual que travamos contra o inimigo das nossas almas.
Estamos vivendo o momento da decisão, comparável ao momento decisivo de uma partida de voleibol. O povo de Deus está vivenciando uma espécie de tie-break, em que temos o saque, e o nosso adversário o set-point.
E o que aconteceu?
Por sermos uma equipe já vitoriosa, levamos de vencidos os sets iniciais, mas, quem sabe tripudiamos sobre a potestade infernal do nosso adversário, seguidas vezes derrotado, e não vigiamos suas ardilosas jogadas construídas em razão da sua técnica, maldosamente voltada para a nossa destruição?
Confiantes de que já “somos” vencedores, esmorecemos, propiciando-lhe este momento decisivo. O inimigo estará sempre jogando com disposição de vencer a partida para que sejamos rebaixados e para que o nome de Deus seja blasfemado, através da institucionalização de atos condenáveis pela Sua Palavra.
Neste momento, seguindo o que determina uma tática conhecida precisamos ter, à rede, um bloqueio triplo para conter o contra ataque e evitar a retomada da vantagem. Esta é a tática cautelar para não perdermos aquilo que realizamos até aqui com esforço e que irá garantir a nossa vitória (2Jo 1:8).
Temos como sempre tivemos o mais alto bloqueio triplo para conter as investidas do inimigo, mas, neste momento, precisamos da nossa torcida que, neste momento, não pode calar. Precisamos chamar pelo nome de Deus; orar e buscar a sua face, nos humilhando. Desta forma, sarada a nossa Terra, o Senhor nos concederá a vitória (2Cr 7:14).E gritaremos Aleleuias.
Não podemos nos calar. Vamos sacar e, com um divino “ace”, prosseguir com fé, até a vitória final.
Frutificando, na graça,
Seu conservo em Cristo

Gutierres Siqueira disse...

Parabéns pelo texto.

Assim como escreveu o Pr. Geremias do Couto e outros amigos blogueiros, o perigo que se desenha se chama AUTORITARISMO partidário. Ou seja, independente se sou ateu ou cristão, tenho que fazer a defesa da liberdade como cidadão brasileiro.


Abraços

Alberto Couto Filho disse...

Pastor Carlos Roberto
A paz
É amado pastor...
O tempo é agora e não pode esperar.
Busquei no vernáculo desportivo não uma explicação, mas uma maneira de explicarmos, não um momento qualquer de uma competição, mas o momento crucial desta acirrada e permanente batalha espiritual que travamos contra o inimigo das nossas almas.
Estamos vivendo o momento da decisão, comparável ao momento decisivo de uma partida de voleibol. O povo de Deus está vivenciando uma espécie de tie-break, em que temos o saque, e o nosso adversário o set-point.
E o que aconteceu?
Por sermos uma equipe já vitoriosa, levamos de vencidos os sets iniciais, mas, quem sabe tripudiamos sobre a potestade infernal do nosso adversário, seguidas vezes derrotado, e não vigiamos suas ardilosas jogadas construídas em razão da sua técnica, maldosamente voltada para a nossa destruição?
Confiantes de que já “somos” vencedores, esmorecemos, propiciando-lhe este momento decisivo. O inimigo estará sempre jogando com disposição de vencer a partida para que sejamos rebaixados e para que o nome de Deus seja blasfemado, através da institucionalização de atos condenáveis pela Sua Palavra.
Neste momento, seguindo o que determina uma tática conhecida precisamos ter, à rede, um bloqueio triplo para conter o contra ataque e evitar a retomada da vantagem. Esta é a tática cautelar para não perdermos aquilo que realizamos até aqui com esforço e que irá garantir a nossa vitória (2Jo 1:8).
Temos como sempre tivemos o mais alto bloqueio triplo para conter as investidas do inimigo, mas, neste momento, precisamos da nossa torcida que, neste momento, não pode calar. Precisamos chamar pelo nome de Deus; orar e buscar a sua face, nos humilhando. Desta forma, sarada a nossa Terra, o Senhor nos concederá a vitória (2Cr 7:14).E gritaremos Aleleuias.
Não podemos nos calar. Vamos sacar e, com um divino “ace”, prosseguir com fé, até a vitória final.
Frutificando, na graça,
Seu conservo em Cristo

rogerio brum rodrigues disse...

A paz do Senhor Jesus Cristo, tenho falado na igreja a qual dirijo que nós precisamos orar, examinar tudo, a falta de conhecimento destrói um povo. Vamos votar com os servos de Deus.

wally disse...

pr. Carlos Roberto, meus cumprimentos e minha admiração, apz.

no post que publiquei o vídeo do pr. Paschoal Piragine, a qtdade de comentários ultrapassou os 130! em parte, pq repliquei vários deles, mas, mesmo assim, o segundo post mais comentado, da época do pr. que se "converteu/vende" ao islamismo, teve 17 comentários...

http://wallysou.com/2010/09/04/pr-paschoal-piragine-jr-e-as-eleicoes/

não sei se fui escolhido para 'cristo' ou se é mera coincidência... mas convido os leitores a apresentar sua contribuição, pois há pessoas querendo polarizar e monopolizar o debate, talvez por falta de mais o que fazer.

outra coisa, parece q estamos descobrindo o poder dos blogs... e dos blogs cristãos, e dos bons!

graças a Deus por isso.

Abs, apz.

Marcelo Dornelas disse...

Acho que a CGADB na pessoa de seu presidente José Wellington deveria se pronunciar sobre as eleições,parabéns pastor por ter tido a coragem de fazé-lo.

Eliseu Antonio Gomes disse...

Prezado Pastor Carlos.

Gosto de compartilhar conhecimento, então, sinta-se bem à vontade para perguntar o que quiser.

Quanto aos blogs, sou um pouco autodidata, vou testando as coisas até elas darem certo, ou satisfazerem o meu desejo.

Algumas coisas que eu faço, às vezes descubro que outros fazem de outras maneiras...

Uma sugestão IMPORTANTE: para começar a mexer com HTML é prudente fazer testes em um blog próprio para experiêcias antes de postar no Point Rhema. Eu tenho um, com visualização restrita a mim.

Bem, vamos ao vídeos:

Passo 1 – Abaixo do ecrã (a tela da imagem), clique em embed

Encontrará uma narrativa de script como esse:

Passo 2 – Altere os números de widh e height para as proporções que se encaixar bem em sua página. Note que é necessário alterar no ínicio e no final da narrativa.

Cuidado aqui: nada mais pode ser mudado, caso aconteça mudança irregular, a mesma poderá desconfigurar, em alguns casos, até o blog.

Após fazer as alterações, copie tudo e cole na pagina do seu blog.

Eu uso no Belverede heigh = “320” e width = 515.

Nos casos em que houver texto junto com o vídeo, use o recurso “editar em HTML”, para manipular melhor o posicionamento do artigo e da imagem.

Com a intenção de ajudar a Blogosfera Cristã, estou criado um artigo sobre esta pauta. Mas, como não domino completamente o assunto, continuo pesquisando o tema. Estou na fase final, breve haverá post no UBE.

Abraço.

valmir barbosa disse...

Excelente a sua ajuda, eu estava mesmo precisando. Vou testar agora. Otimo dia. Abçs.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...