quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

GRAÇA E APOSTOLADO EM 2011


Pr. Ubirajara Crespo
Point Rhema



GRAÇA E APOSTOLADO EM 2011


Por Pr. Ubirajara Crespo


Romanos 1.5 "(Cristo) por intermédio de quem viemos a receber graça e apostolado por amor do seu nome, para a obediência por fé, entre todos os gentios".



Paulo recebeu Graça e apostolado. Depositário da graça é uma condição alcançada mediante esforço nenhum. A expressão (Graça) é o mesmo que ganhar dons, talentos, prêmios e capacitações sem merecer. Se sou filho, sou automaticamente herdeiro. Já o apostolado é uma tarefa que demanda esforço para ser exercida.



A Graça exige estagnação, o apostolado exige movimentação. A palavra apóstolo é um substantivo grego, que significa enviado. Na sua forma verbal, poderia ser traduzido como "ir". Tem um pé no chão e outro na estrada. Visto desta forma, o pastor é o que fica e o apóstolo é o que vai. Se ficar é pastor e se for é apóstolo.



A mãe das abominações institucionalizou esta função, transformando-a em um título hierárquico. Passou a ser um centralizador de jogadas, um "manda chuvas" sentado em uma sala confortável, rico e cercado de vaquinhas de presépio. Uma posição exercida em nome de uma fantasiosa teocracia, que de bíblica só tem o nome.

O verdadeiro apóstolo está sempre recomeçando, enquanto o pastor está sempre estabelecendo. Ambos têm como alvo principal de vida "a sua obediência pessoal por fé, entre todos os gentios, de onde fomos chamados para sermos de Jesus Cristo" (Romanos 1.6). Um alvo que é extensivo a "todos os amados de Deus, que "estão" em Roma (E por que não incluir todos os lugares do mundo?), chamados para serdes santos" (v.7).

Olhando para a Igreja contemporânea, diria que o obreiro no qual a roupa apostólica tem o melhor caimento é justamente quem não utiliza a marca: o missionário. O tal que usa roupa de brechó e anda em lombo de jegue.

O missionário não centraliza as decisões de um império religioso, nem desfruta das suas benesses, mas está sempre além do horizonte, em locais onde não estamos dispostos a ir.

O missionário urbano também se encaixa nesta descrição. Algumas cidades abrigam outros povos, outras culturas e outros costumes: Estrangeiros, drogados, presidiários, nômades, mendigos, moradores de rua e as favelas.

Seja para ir ou ficar, ambos necessitam de um envio. Ninguém pode se autoproclamar "o tal", tipo: - Sou representante do "Eu sou", e vocês "vão ter de me engolir". Uma postura evidentemente mosaica, mero messianismo imposto. Herdeiro gerado fora de casa. O filho legítimo é concebido no quarto da casa, e os bastardos no motel.

A Igreja local é a eleita de Deus para ser o centro das ações divinas e a sua máxima representante. Acima dela só Jesus, pois há um só mediador entre Deus e o homem: Jesus Cristo, o Justo.

A relação do obreiro com a Igreja Local é de servidão e não de mando. Um título outorgado por organizações e pessoas que não foram concebidas na Igreja local, tem valor apenas institucional e não espiritual. Foi gerado por um invasor infiltrado, um conquistador, um sedutor, um contaminador.

A hora é de arrependimento, de zerar tudo e de buscar um recomeço baseado na Palavra e não em supostos impulsos "rema". Estes impulsos são facilmente influenciados por nossa imaginação, vontade, preferência e emoção. Submeta-se somente à Palavra.

Pr. Ubirajara Crespo
Diretor da Editora Naós

9 comentários:

disse...

Meu Deus que texto maravilhoso e verdadeiro. Muito bom o artigo Pr. Carlos. Todos tem que submeter a palavra. Muito bom!

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezada Rô,

Grato pela participação.
Realmente este artigo do Pr. Crespo, é um puxão de orelhas nessa "apostolada" do século XXI.

Paz!

disse...

Bota puxão de orelha bem dado. rsss

roger disse...

Me sinto honrado por receber a graça de poder opinar em seu blog, Pr. carlos.
Graça e Paz.

Pastor Ladislau disse...

tenho acompanhado a distancia e ao mesmo tempo bem proximo o trabalho do Pr Ubirajara pois ja li muitos livros desse homem de Deus que tendo um equilibrio muito bom no que escreve e no que publica, tenho uma certa desconfiança do pessoal que publica sobre batalha espiritual, mas o pastor Ubirajara é o unico que leio, ele foi o unico que me fez ler todos os quatros livros filhos do fogo, pra conhecimento comprei os quatro e li tudo em uma semana sou muito miticuloso com o assunto mas o equilibrio do Pr Ubirajara mostra o grande homem de Deus que ele é, e não ganancioso abrs pr parabens pelo texto limpo e sem medo

Pr. Carlos Roberto disse...

Olá Roger,

Graça e Paz!

Eu é que agradeço suas visitas por aqui.

Seja sempre bem vindo e tenha liberdade para opinar.

Um grande abraço!

Seu conservo em Cristo,

Pr. Carlos Roberto

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Pr. Ladislau,

Shalom!

Conheço o Pr. Ubirajara Crespo, tanto como pregador, escritor e homem de Deus, e sua conclusão está perfeita.

Grato pela sua honrosa participação.

Um grande abraço!

Seu conservo n'Ele,

Pr. Carlos Roberto

CANTOR MOISÉS VIEIRA disse...

Olá meu querido Pastor! Desejo ao Senhor e sua família um abençoadíssimo Natal e que o ano de 2011 seja de agradáveis surpresas. Que o Senhor Jesus continua abençoá-lo. Abraços!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro irmão e amigo Moisés Vieira,

Shalom!

Grato pelos votos e felicitações.

Retribuo ao amado com carinho e consideração, extensivos aos seus familiares.

Um grande abraço!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...