sexta-feira, 31 de maio de 2013

A Família e a sexualidade - EBD / CPAD - Subsídio Teológico - Lição 9 - 2o. Trimestre 2013


Por Eliseu Antonio Gomes

"E criou Deus o homem à sua imagem; a imagem de Deus o criou, macho e fêmea os criou" - Gênesis 1.27.

O mundo está dominado pela exposição corporal., apresenta a pornografia sem ruborizar e usa o sexo - criado por Deus -  de maneira distorcida, o que tem confundido a mente de cristãos. Por este motivo o tema  tem sido um enorme tabu para uma parte de pessoas que frequentam as igrejas evangélicas, enquanto outra parte se torna influenciada pelos desvios dos padrões divinos. 

A Palavra de Deus trata com seriedade a sexualidade, aborda o sexo pré-conjugal e a infidelidade no casamento com desaprovação de igual proporção aos homens e mulheres. Portanto, os cristãos precisam esforçarem-se para viver sua sexualidade em santidade, de forma irrepreensível. É preciso ser santo em toda maneira de viver, entender que o sexo dentro do casamento é uma bênção, foi planejado por Deus para procriação e satisfação física do marido e da mulher (2 Coríntios 11.2; 1 Tessalonicenses 3.13; 1 Pedro 1.15).

Deus condena a inversão de valores (Isaías 5.20). A mentalidade mundana despreza o que o Criador oferece. Gente mal resolvida em sua sexualidade zomba da castidade e da abstinência de cristãos solteiros. Não valoriza a prática sexual dentro do casamento, ao contrário, apresenta a monogamia como monotonia e incentiva o adultério e todas as formas de promiscuidades.

A experiência do sexo fora do casamento não pode nem se quer ser cogitada. O sexo irresponsável produz consequências ruins, como a dor do abandono, filhos não planejados e não reconhecidos, mães e avós assumindo filhos sem o apoio do pai, doenças sexualmente transmissíveis e um futuro com sérios problemas conjugais..

As Escrituras Sagradas condenam a prática homossexual. Apesar do cristão repercutir o que a Bíblia diz, jamais apoiará atitudes violentas contra gays. O uso da violência também é pecado!

O leito seja sem mácula (Hebreus 13.4). Em nenhuma circunstância cabe na vida dos cristãos que prezam pela santidade os maus desígnios do coração. Na intimidade heterossexual a dois não deve haver a traição conjugal, a prostituição, o modo antinatural das relações sexuais, a impureza, a impudicícia, o desrespeito, a tristeza (Mateus 15.19; Romanos 1.24-27; 1 Coríntios 5.10-11; 6.9-10; 2 Coríntios 12.20; 2 Timóteo 3.2-5).

Deus criou dois sexos: masculino e feminino (Gênesis 2.22-24). Segundo os estudiosos do idioma bíblico original, no versículo 23, os substantivos varão (ish) e varoa (isha) são traduzidos de uma única raiz hebraica, as palavras possuem sonoridade muito parecidas, indicando a unidade da natureza do homem e da mulher, a afinidade dos dois sexos e igualdade de direitos entre ambos.  Gênesis 2.24 destaca o profundo significado da união matrimonial, indica que a intimidade do casal só deve ocorrer com dignidade, e após o casamento.

Deus multiplica as famílias como rebanhos (Salmo 107.41). O ser humano não foi criado para viver em solidão; é dotado de instinto social, sua tendência natural é desejar estar em companhia de seus semelhantes. A Palavra de Deus aponta o interesse pelo isolamento como ato de egoísmo e recomenda que todos busquem companhia de pessoas de bem (Provérbios 18.1; Eclesiastes 4.9-10; Salmo 128).

Ao criar o primeiro casal Deus formou a base da família. É a vontade de Deus que o marido e a esposa sejam felizes através da junção íntima de corpos, e por meio dessa alegria deem prosseguimento à ordem divina de que homens e mulheres perpetuem suas gerações. Espera-se que os filhos gerados na união recebam através do convívio diário com os pais o senso de companheirismo, comunhão, fraternidade, responsabilidade, fidelidade e amor.

Enfim, o valor do diálogo (Provérbios 18.13). As pessoas que gozam de sanidade mental desejam ser felizes. A maioria delas pensa que ser feliz é "enxergar tudo azul". Porém, segundo as Escrituras Sagradas ser feliz é ver e aceitar a vida segundo a ótica divina e entender a realidade de tudo. Por toda a Bíblia Deus mostra o que é  real e nos oferece o que é ideal.

Existem muitas complicações relativas à sexualidade no âmbito familiar. Quando o ser humano ouve o que Deus diz, através das páginas bíblicas, é capaz de ser realista, tem condições de aceitar que em sua passagem por este mundo terá a sua "cota" de aflições. Contudo, pode permanecer contente, pois tem plena consciência que o Senhor Jesus é maior que todos os problemas, tem a paz e a dá, e está sempre disposto a dirigir os passos de quem é sincero para que o mesmo encontre a solução de crises, sabe perfeitamente que Ele quer manter o justo em pé (Salmo 37.23; 130.5-6; Provérbios 24.16; João 16.33; 14.27).

É conversando que marido e mulher constroem casamentos sólidos. Na conversa, a esposa poderá se surpreender com a descoberta de que o homem com quem casou se interessa por sua amizade. E o marido tem a chance de descobrir que a mulher é carente de sua atenção no campo emocional.

É através da conversa onde a comunicação é valorizada entre pais e filhos que os pais transmitem todos os ensinamentos básicos, a orientação no tempo certo e a advertência pertinente aos seus filhos. E de igual maneira é pela comunicação de mão dupla que os filhos têm a chance de expor o que querem dizer e desconstruir dúvidas importantes. Se os filhos são ouvidos jamais se sentirão rejeitados, amargurados e irados. E se os filhos atendem aos ensinamentos dos pais, tornarão seus progenitores mais felizes e agradarão a Deus, que os recompensará com bênçãos em uma vida longa.

Ouvir é um ato de amor. Deus ouve você; ouça ao Senhor e a quem se dirige a você.

E.A.G. - Fonte: Belverede
___________

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...