sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Procurando o que não se pode encontrar



PROCURANDO O QUE NÃO SE PODE ALCANÇAR - Por Marcelo Alves Feitosa 


Estamos vivendo dias de inconformismo generalizado em todas as esferas da sociedade, e esta onda tem chegando dentro das igrejas, onde infelizmente muitas pessoas a procura de igrejas perfeitas trocam de igreja tentando com isso sentirem-se melhores. Quero lembrá-las que igrejas perfeitas não existem, pois são formadas por seres humanos, imperfeitos, falhos, pecadores, o problema está dentro dos que se julgam perfeitos e não têm humildade de reconhecer suas falhas, pessoas mal resolvidas, que precisam de um verdadeiro encontro com Deus.

A Bíblia nos diz que existem somente dois tipos de pessoas que Deus procura, quais sejam: Os fiéis da terra (Salmos 101:6) e os Verdadeiros Adoradores (João 4:23). 

Para tanto gostaria de expor meu pensamento a respeito de como nós devemos nos comportar para que sejamos achados por Deus como fiéis e verdadeiros, observemos que Deus não está procurando os PERFEITOS, mas sim os fiéis e verdadeiros.

A exemplo quero destacar a mulher pecadora (Lucas 7:36-50) que ungiu os pés de Jesus com unguento, na ocasião quebrando o vaso de alabastro que trazia consigo e antes de tudo regando-lhes os pés com suas lágrimas e enxugando com os seus cabelos.

Tal mulher nos ensina o que é ser um verdadeiro adorador, pois ela não se deteve pelos costumes, pelas tradições, pelos conceitos morais, éticos e religiosos da época, ela simplesmente reconheceu que era pecadora, e sentiu o amor de Jesus pelos pecadores, ela reconheceu que não era merecedora do amor e do perdão do Senhor Jesus, então decidiu, agiu, adorou sem limites, oferecendo-lhe tudo o que ela tinha tanto física quanto espiritualmente, pois se prostrou, chorou, adorou, ungiu os pés de Jesus, e com esta atitude alcançou o perdão e a paz de Jesus para a sua vida.

Hoje toda vez que me disponho a adorar lembro-me dessa mulher pecadora e lembro que EU também sou igual a ela, pecador, e choro, pois meus pecados também estão todos os dias diante de mim, como diz o Salmista no Salmo 51, mas me alegro pela misericórdia e graça de Jesus que me alcança todos os dias e por isso eu o louvo e o adoro, pois não mereço, mas ele me ama, não sou perfeito, mas ele me amou, mas reconheço minhas falhas e limitações e em adoração peço seu perdão para que eu possa continuar desfrutando a sua paz, pois o seu perdão ele já nos deu na cruz do calvário.

Creio que se nós nos preocuparmos mais com a nossa adoração que deve ser de forma individual e reconhecermos que não somos merecedores de nada, que é pela graça e misericórdia de Jesus que estamos em pé, e por isso devemos adorá-lo, com certeza vamos nos sentir melhores onde estamos servindo a Ele, e que o problema não está na igreja onde congregamos e sim em nos mesmos.

“Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas...” (Ec. 7:8a). Portanto não importa como você começou a sua história, o seu ministério, você agora tem oportunidade de corrigir os erros do passado para que a sua história termine bem.

Existem pessoas que começaram bem, mas terminaram mal, então mude o final, pois o passado não tem como mudar, mas o futuro está em nossas mãos, dê lugar pra Jesus em seu coração e ele vai fazer com que todas as coisas terminem bem. 

Vamos nos tornar a cada dia pessoas bem resolvidas.




Marcelo Alves Feitosa, Ministro do Evangelho, Professor da Escola Bíblica Dominical, 1° Secretário da Igreja Assembleia de Deus de Pres. Epitácio, Músico, Maestro, Escritor, Bacharel em Direito e Teologia, Acadêmico em Administração Pública pela UFMS.

2 comentários:

T.Mendes disse...

Nobre pastor,
gostaria de opinar por experiência própria muitos dos que procuram outras igrejas existem aquelas pessoas que ao se dedicarem a leitura bíblica e depararem-se com ensinos heréticos, mensagens engessadas e mal interpretadas a luz da Bíblia, tudo isso CONSTANTEMENTE, e somado ao fato de obreiros ou mesmo membros conduzirem o problema, mostrarem sugestões e ainda sim o orgulho impedir de reconhecerem alguns líderes do erro e falta de capacidade, levando a igreja local a prática de propagação que não é bíblica, certamente que alguns irmãos procurarão outras que não se enquadrem nessa constância. Eu procurei igreja que dava importância à escola bíblica, culto de ensino mas antes disso lutei muito tempo para que na que estava moldassem à prioridade e GENUINAMENTE Palavra de Deus.
A verdadeira humildade ou a falta dela é relativa Pastor no tocante ao momento que a denominação passa. Tem milhares de pastores que passam anos nos bastidores não aceitando essa situação mas como recebem recursos da congregação permanecem passivos. Essa regra não é só para membros. Pular de igreja em igreja tem outro sentido, não podemos generalizar. Hoje estamos vivendo transformações de todas as ordens e não dá para defender a fé calado. Ser fiel no ministério não significa aceitar ensinos e pregações fora da Bíblia O ANO INTEIRO. Acredito que a verdade liberta e não meia verdade ou algo parecido. Não existe perfeita igreja, sim, mas existe diferença sim de ensino e pregações descontextualizadas, descomprometi mento com a verdade é uma realidade. Devemos não temer essa síndrome de que está em rebelião ou em pecado irmão que procura uma igreja séria com o ensino. não há nenhum mal nisso.
paz

Marcelo Alves Feitosa disse...

Meu querido irmão T. Mendes, só quero salientar que estou me referindo à IGREJAS e não a denominações que se dizem "Igrejas" e não o São pois quando me referi àqueles que mudam de IGREJAS estou me referindo no sentido literal e espiritual do termo IGREJA e não "Seitas" pois àquelas que se denominam Igrejas e não seguem à Sã Palavra da Verdade, os preceitos Bíblicos verdadeiros não passam de Seitas, meu artigo não se refere à quem frequenta estas denominações e depois ao conhecerem a Verdade passam a congregar numa Igreja de verdade.
Só para esclarecer.
Fiquem todos na Paz do Senhor.
Marcelo A. Feitosa (autor)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...