terça-feira, 2 de setembro de 2014

Justiça manda igreja indenizar mãe que perdeu filha em retiro espiritual

JUSTIÇA
Uma mãe que perdeu a filha por afogamento em agosto de 2008, em Campo Grande, durante um retiro espiritual, deverá ser indenizada em R$ 50.000,00 pela igreja responsável pelo evento. A decisão é do juiz titular da 6ª Vara Cível da capital, Daniel Della Mea Ribeiro, que acatou, parcialmente, a ação movida pela mãe.
Em defesa, a catequista disse à Justiça que tanto os pais como os alunos foram informados, previamente, de que o retiro não seria na igreja. E que não estava programada nenhuma atividade de lazer. Já a igreja alegou que todos foram informados da proibição de entrar na lagoa e que vítima não seguiu as orientações repassadas a todos os participantes.No processo contra à igreja, a mãe afirma que a fatalidade seria resultado da imprudência da professora de religião, que teria permitido o banho das crianças em lagoa, sem segurança apropriada. Ela alega, ainda, que a professora teria chamado a filha para um ensaio de primeira eucaristia na igreja da comunidade, e não em outra propriedade.
Na sentença, o juiz afirma que o local escolhido, além de ser inapropriado para a atividade religiosa, não foram tomados os cuidados de segurança necessários. Além da indenização por danos morais, a igreja deverá pagar uma indenização equivalente a 2/3 salário mínimo no período entre a data que a vítima completaria 14 anos até 25 anos.

Fonte: G1 via Notícias Cristãs

Meu comentário:
Este post tem a finalidade de trazer um alerta às nossas Igrejas que sempre organizam retiros espirituais e outros tipos de viagem, como de crianças, jovens e adolescentes. Todo cuidado é pouco.
O fato acima, além de nos alertar para o quesito "segurança", existem ainda as questões legais que envolvem menores e seus pais ou tutores, bem como a responsabilidade da instituição promotora do evento. 

Um comentário:

Geremias Couto, Pr. disse...

É uma informação relevante, caro amigo e pastor Carlos Roberto Silva, adotamos o critério de exigir dos pais uma autorização nos casos de filhos menores para eventos sem que eles estejam presentes. Além disso, acho recomendável que o novo membro, seja pelo batismo, seja por recebimento, assine uma declaração de propósitos, onde se explicitem os deveres mútuos. Os dias são difíceis!
Via Facebook

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...