quarta-feira, 18 de março de 2015

Protestos, partidos, igreja, governo e a Lei da Semeadura

Point Rhema

O Brasil vive um delicado momento em sua república democrática, talvez um dos piores após a derrubada da ditadura militar.

Os protestos populares registrados em toda a nação no último domingo, 15.03.2015, já são comparados em número de participantes ao movimento das "Diretas já", que exigiam a transição do regime militar para o democrático.

Como pastor tenho procurado levar a Igreja a orar, levantando um verdadeiro clamor em favor da nação e das autoridades, no sentido de que Deus tenha misericórdia do Brasil, e entendo que isso é o que de melhor podemos fazer, afinal os governantes foram escolhidos de forma democrática e legítima, agora colheremos o fruto da nossa semeadura nas urnas, até que chegue as próximas eleições, quando então nosso voto poderá resolver o problema, após avaliarmos os resultados da gestão.

O que e chama atenção é que, os integrantes do "PT", o atual partido que comanda o governo federal, concorda com as manifestações e as consideram legítimas, no entanto, reclamam do tom de revolta, revanchismo e até ódio de alguns manifestantes, com o que eu também discordo plenamente.

Agora, voltando um pouco na história política recente da nação, verificaremos que esse tom odioso de cobrança, sempre foi a tônica do partido que ocupa o poder, o qual junto com a oposição capitaneada hoje pelo "PSDB", tiveram a mesma formação, quando os integrantes de ambos viviam sob o manto do extinto "MDB", portanto, aprenderam juntos e, o mesmo "fel" que destilaram contra o regime militar, destilam um contra o outro, agora entre sí.

A Bíblia Sagrada não é um livro exclusivo para cristãos ou evangélico, mas para toda a humanidade. Não importa se os homens acreditam ou não no que ela diz, todos estamos debaixo da autoridade divina, e portanto inseridos em suas promessas, previsões, bençãos, correções, maldições, etc... Tudo depende da maneira como nos portamos diante dos princípios e decretos divinos nela exarados.

A Bíblia diz:

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." - Gálatas 6:7

Partidos políticos, governos e instituições em geral, são formados por pessoas, as quais precisam entender que, tudo o que fazem sob o manto dessas bandeiras, também está registrado por Deus, e por isso darão conta no dia final, mas já aqui estão sujeitos à colheita das suas semeaduras.

"Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna." - Gálatas 6:8

É necessário que essa cadeia de ódio e ravanche seja quebrada, porque a engrenagem da semeadura não pára. É importante refletir que, mesmo em tempo de colheita ruim, é necessário semearmos bem para que possamos quebrar essa roda viva de maldades e possamos num futuro próximo desfrutar de uma colheita saudável.

Quando somos alvos de uma má colheita, somos tentados a dar o troco, semeando o mal, mas não é isso que a Bíblia nos ensina:

"E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos." Gálatas 6:9

O ser humano, quando imbuído pelo espírito de disputa, principalmente pelo poder, é capaz de insanidades para se impor e se perpetuar. Deus usando a boca do Profeta Jeremias disse ao povo de Israel:

"Deveras, o meu povo está louco, já não me conhece; são filhos néscios e não inteligentes; são sábios para o mal e não sabem fazer o bem."

O homem em sua ambição perde a noção do bem e do mal e, para tanto não tem limites, desde que atinja os seus objetivos, e até pode ser que os atinja, mas jamais ficará livre da respectiva colheita. Isso é a Lei da Semeadura, ou seja, o que você plantar, é isso que a seu tempo colherá. E isso vale para todos, principalmente dentro da Igreja onde é condição "sine qua non" que se tenha conhecimento da Palavra de Deus.

Isso é o que estamos vivenciando politicamente no Brasil. Não existe "santo" nessa história. Um "mete o pau no outro", ameaça, xinga, destila ódio e vingança até que assuma o poder, logo estará sendo vítima do mesmo veneno. 

O tempo está mostrando que todos se utilizam dos mesmos mecanismos espúrios, mais ou menos, porém o princípio é o mesmo, o jogo entre corruptos e corruptores.

A sociedade brasileira, de onde emanam os políticos, via de regra está viciada. Infelizmente a própria Igreja como instituição, que deveria fazer a diferença, através de lobos vorazes travestidos de líderes religiosos, tem se maculado nessa questão.

Enfim, essa cadeia de pecado e maldição tem que ser quebrada por alguém. As reformas, fiscal, tributária, política e até mesmo no judiciário precisam serem realizadas para o bem da nação, custe o que custar. Alguém tem que perder agora, para que a nação ganhe amanhã, senão nós, pelo menos o Brasil dos nossos filhos e netos seja melhor.

A Lei da Semeadura é um decreto tão forte que, mesmo no caso do pecado, cuja confissão e arrependimento aos pés do Senhor trouxe o perdão, ainda assim o pecador não fica livre das consequências da sua semeadura. Teve um filho fora do casamento? Tem que criar e pagar a pensão. Teve atitudes que contrariem a lei? Fica devendo até que pague à justiça.

O rei Davi pecou, confessou, se arrependeu e foi perdoado por Deus, mas a espada não se apartou da sua casa.

O apóstolo Pedro quando cortou a orelha do soldado Malco, dizem os historiadores que, o que ele queria mesmo fazer é cortar a cabeça. O Mestre consertou sua maldade recolando a orelha do soldado no seu devido lugar, mas no entanto o advertiu dizendo:

"Então, Jesus lhe disse: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão." - Mateus 26:52

Vejamos que Jesus não disse "talvez", "quem sabe" ou "possivelmente", mas uma decisão afirmativa.

Em que pese Pedro ter se arrependido, ter sido perdoado, tornar-se o grande pregador do Dia de Pentecostes e um grande líder da Igreja Primitiva, a engrenagem continuou girando e, segundo os historiadores foi morto decapitado.

Veja ainda:

"Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos." - Apocalipse 13: 10

Essas passagens, corroboram um princípio bíblico no adágio português:

"Quem com o ferro fere, com ele será ferido."

Vigiemos!

Deus salve o Brasil!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...