segunda-feira, 30 de maio de 2016

"A masculinidade está em crise", diz pastor sobre caso de garota em estupro coletivo


Após a notícia chocante de que 33 homens estupraram uma adolescente no Rio de Janeiro, as mídias sociais foram inundadas por mensagens de repúdio ao abuso sexual

A notícia da adolescente que sofreu um estupro coletivo na Zona Oeste do Rio de Janeiro chocou o Brasil e chegou a repercutir na mídia internacional na última quinta-feira (26).
As imagens (vídeos e fotos) da vítima chegaram a ser publicadas pelos abusadores na internet, com mensagens que ironizavam o estupro da jovem. Apesar da violência e do constrangimento que a jovem sofreu ao também ser exposta nas mídias sociais pelos estupradores, ela também ganhou grande apoio dos usuários das redes.
Uma torrente de mensagens de repúdio à violência sexual foram postadas por usuários das mídias sociais, mensagens de apoio foram enviadas à menina e líderes cristãos também se pronunciaram com relação ao caso.
"Fui ler as notícias do dia com um enorme pesar no coração. Que Deus abrace essa garota de uma forma muito especial!", postou um usuário do Facebook.
"Assusta-nos, nos entristece, nos enoja, mas não deveria nos surpreender. 'Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus', (2 Tm. 3.1-4)", publicou outra usuária.
Já outros acusaram a 'sociedade patriarcal machista' como uma das causas de fatos como esse.
"Mães que se preocupam em criar "filhos machos - héteros" e não seres humanos tem a sua parcela de culpa nisso. Ninguém nasce machista, eles se tornam. Nem todo machista é estuprador de fato, são estupradores morais, agora todo estuprador de fato é sem exceção machista. Se a base das soluções estão na raiz dos problemas que tal avaliar como você anda criando o seu filho?", publicou a página 'Hype Ideas'.
Após as milhões de mensagens que foram postadas contra o abuso sexual, devido ao seu caso, a jovem agradeceu pelo apoio dos usuários das mídias sociais.
“Venho comunicar que roubaram meu telefone e obrigada pelo apoio de todos. Realmente pensei que seria julgada mal”, escreveu a jovem.
Masculinidade em crise
Segundo o pastor gaúcho Jackson Jacques, não há razão que justifique a violência contra a mulher e a notícia da adolescente que foi violentada pelos 33 homens é um forte sinal de que "a masculinidade está em crise".
"Trinta e três homens, e nenhum homem querendo defender a jovem que estava sendo estuprada. Todos querendo apenas se aproveitar dela. Essa é a realidade da masculinidade no nosso país. A maioria dos homens olham as mulheres somente como pessoas para lhe darem prazer. A masculinidade está em crise. E isso é uma das raízes de todos os nossos males", disse.
"Nada justifica um homem bater, estuprar, violentar uma mulher. Quem relativiza isso é filho do diabo e nunca conheceu a Deus".
Machismo?
Filósofo cristão e professor da PUC-SP, Francisco Razzo também destacou que culpar o "machismo" como causa do estupro da adolescente não tem eficiência alguma nesse caso.
"Uma garota de 16 anos foi estuprada por mais de 30 seres humanos perdidos em seus próprios tormentos. Não foi culpa do machismo, da sociedade patriarcal, da humanidade, não foi culpa de nenhuma abstração. Os únicos responsáveis foram os mais de 30 seres humanos perdidos em seus tormentos", afirmou.
Em outra postagem de sua página do Facebook, Razzo também destacou que não somente o homem é um estuprador em potencial, mas a humanidade de forma geral é cruel.
"A antropologia cristã, nesse sentido, foi muito mais radical. Todo ser humano traz a maldade em potencial. Não esta ou aquela maldade específica, arbitrariamente selecionada. A possibilidade, ou potencialidade, de inserir o mal no mundo, em suas inúmeras faces e formas, configura uma característica intrínseca da própria condição humana", destacou.
"O ser humano não é só um estuprador em potencial, o ser humano é também um genocida em potencial. Todo ser humano guarda dentro de si uma miniatura macabra de si. A crueldade vive em estado se crisálida em cada um de nós. E as feministas, convenhamos, com o perdão da analogia, estão "brincando de casinha" ao tentar sondar as trevas do coração humano", finalizou.
Fonte: CPAD News

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...