quinta-feira, 3 de setembro de 2015

STRESS - Um antigo mal que continua na moda



A palavra STRESS, hoje muito conhecida e usada de forma globalizada, pertence ao idioma inglês, porém absorvida pelo nosso português como ESTRESSE, do verbo estressar, e de acordo com o Dicionário Aurélio significa:

ESTRESSE
Substantivo Masculino
[Do inglês: Stress]
Conjunto de reações do organismo a agressões de ordem física, psíquica, infecciosa, e outras, capazes de perturbar-lhe a homeostase (tendência à estabilidade do meio interno do organismo); estricção (Propriedade que têm certos materiais de apresentar grandes deformações plásticas antes de se romperem).

A grande realidade é que, a vida agitada dos dias atuais, contribui em muito para o aumento do número de pessoas que apresentam tal diagnóstico. Tudo tem que ser muito prático, ágil e nada pode mais esperar. O dia é curto para as atividades.

Desde cedo a pressão é grande para que as crianças cursem o ensino fundamental, informática, inglês ou espanhol, academia, natação, música, encontrem tempo para brincar, dormir pelo menos oito horas, etc...

Os adultos precisam da mesma forma trabalhar, cuidar dos deveres domésticos, dar atenção ao cônjuge, aos filhos, se reciclarem profissionalmente, cumprir com os deveres da vida espiritual, cuidar da saúde, manter sob controle o colesterol, a pressão arterial, a obesidade, encontrar tempo para exercícios físicos e por aí vai. Isto sem contar com as filas, os apagões aéreos, os problemas financeiros e as injustiças relacionais que encontramos pelo caminho.

Não há quem agüente tanta pressão! Primeiro a mente entra em parafuso, é o lado psíquico, depois o físico sente e seguem-se os reflexos negativos que todos bem conhecemos.

Vejamos que a despeito da vida moderna agitada, o problema do stress, normalmente começa afligindo o espírito do ser humano, e é um mal muito antigo.
Na Bíblia Sagrada, encontramos grandes homens de Deus que sofreram desse mal e suas reações foram diferentes.
Alguns no pico do problema se alteraram e tomaram decisões precipitadas, como foi o caso de MOISÉS quando quebrou as tábuas da Lei: “E aconteceu que, chegando ele ao arraial e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se o furor de Moisés, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte”. Êxodo 32:19. Depois mais à frente teve que pagar o preço da sua precipitação, tendo que fazer, agora com suas próprias mãos, o que Deus anteriormente havia lhe entregue pronto: “Então, disse o SENHOR a Moisés: Lavra duas tábuas de pedra, como as primeiras; e eu escreverei nas tábuas as mesmas palavras que estavam nas primeiras tábuas, que tu quebraste”. Êxodo 34:1

O grande profeta ELIAS, depois de ter orado e fazer descer fogo do céu, teve força para matar sozinho todos os profetas de Baal à espada, no entanto, ficou estressado quando soube que Jezabel queria sua cabeça. A reação de Elias foi totalmente diferente de Moisés. Com medo de uma mulher, entrou em depressão, e foi acometido de profunda crise existencial, pois não sabia se queria viver ou morrer.

A Bíblia diz que: “O que vendo ele, se levantou, e, para escapar com vida, se foi, e veio a Berseba, que é de Judá, e deixou ali o seu moço. E ele se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu em seu ânimo a morte e disse: Já basta, ó SENHOR; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais”. I Reis 19:3-4 (os grifos são meus).

Foi preciso Deus tratar com Elias de maneira singular, fazendo afagos extraordinários e sobrenaturais, como lhe preparar alimentação no deserto e convidá-lo a sair de dentro de uma caverna. O que me interessa nessa passagem bíblica foi o interesse de Deus em não desistir de Elias.

ASAFE, o extraordinário Ministro de Música na casa de Deus, no livro dos Salmos nº 73, chega a confessar que sabia que Deus era bom para com Israel, mas ele mesmo sentia-se praticamente desviado, por causa das injustiças que via ao seu redor.

Na cabeça dele não adiantava viver na presença de Deus e se esforçar para fazer a sua obra. Ele estava tão mal que confessou ter inveja dos soberbos e dos ímpios, pois eles faziam o que queriam e agiam contrariamente aos mandamentos do Senhor, mas eles é que estavam numa boa, e não lhes faltava nada.

Será que você nunca passou por isso? Talvez não tenha falado propriamente com a boca, mas pensou.

ASAFE só foi curado do seu stress a partir do verso 17, quando entrou no santuário de Deus:

até que entrei no santuário de Deus; então, entendi eu o fim deles”. Salmos 73:17.

O restante deste salmo é reconhecimento, arrependimento e paz no coração, senão vejamos como termina essa história:

Pois eis que os que se alongam de ti perecerão; tu tens destruído todos aqueles que, apostatando, se desviam de ti. Mas, para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no SENHOR Deus, para anunciar todas as tuas obras”. Salmos 73:27-28

HABACUQUE o profeta, descreve em seu livro, a história exclusiva de um grande stress emocional. Declara sua decepção com as injustiças, com a miséria, com as leis frouxas, com o pecado do seu povo e inclusive questiona com Deus a forma de tratá-los, no entanto, à medida que vai orando e também Deus falando com ele, percebemos que vai mudando completamente, o que faz com que o princípio e o final do livro, sejam totalmente antagônicos.

No princípio, um profeta estressado, decepcionado e rebelde. No final, um homem que canta, louvando ao Senhor, cheio de fé e esperança, capaz de escrever uma das mais belas poesias bíblicas de confiança no Senhor:

Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação. JEOVÁ, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas, me fará andar sobre as minhas alturas”. (Para o cantor-mor sobre os meus instrumentos de música.) - Habacuque 3:17-19. Ainda orientou que fossem efetuados os devidos arranjos musicais, para se cantasse acompanhado de orquestra.

O segredo espiritual contra o stress é entrar na presença de Deus, e seguir o conselho do Apóstolo Pedro quando diz:

Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós”. 1 Pedro 5:7

2 comentários:

Pb. Aneildo disse...

Como a PALAVRA DE DUES é rica, sou muito feliz por ser um escolhido do SENHOR JESUS, e seguir um DEUS tão poderoso, que cuida de nós, em todos os detalhes.

Paz a todos.

Faculdade Teológica disse...

Que Deus continue abençoando seu trabalho e nos edificando com seus post Fica Na Paz!!!!
Abs!
Faculdade Teológica

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...