domingo, 3 de janeiro de 2016

PORQUE ALGUMAS PROMESSAS NÃO SE CUMPREM?

A propósito do comentário postado por um visitante deste blog, no post da minha agenda de Outubro/ 2007, quero responder em destaque pois entendo que a pergunta é pertinente e a resposta de interesse de muitas outras pessoas: Vamos ao comentário:
Boa tarde pastor.A paz do Senhor Jesus.Surgiu uma dúvida entre um grupo de irmãos na igreja, entre eles eu, depois que estudamos a revista da Escola Dominical esta semana.É sobre promessas.Por exemplo:Se Deus usa um "vaso' ou seja um irmão com o dom de profecia, e diz a um membro da igreja que ele vai ser um pastor...No decorrer do tempo o membro se desvia e não quer mais nada com DEUS.Ele vai voltar não importando a condição, para que a promessa se cumpra ou haverá condições?...É certo o dito de que quem tem promessa não morre?....Por favor pastor, me responda, pois precisamos tirar essas dúvidas que tem mexido em nossas mentes.
PASSO Á RESPOSTA:
Em primeiro lugar quero agradecer por visitar e comentar aqui no Point Rhema. Quanto a sua dúvida e também de outros irmãos sôbre as promessas de Deus, esclareço:
O compromisso de Deus quanto a promessa feita ao irmão que posteriormente afastou-se dos caminhos do Senhor, fica anulada até segunda ordem pelo seguinte motivo: Deus faz promessas aos seus servos com propósitos definidos. Como poderia alguém cumprir os propósitos de Deus afastado da Sua presença e perfeita vontade. Pergunto. Outro fator importante é que as promessas de Deus dividem-se em duas categorias:

AS INCONDICIONAIS:
Aquelas que dependem única e exclusivamente de Deus, sem qualquer participação humana, por exemplo:
A vinda de Jesus,
O triunfo da Igreja sobre os poderes malignos e
O julgamento dos pecadores impenitentes, 2 Pe 3.4; Mt 16.18; Sl 9.17.
Mesmo que o homem não queira, essas promessas serão cumpridas.

AS CONDICIONAIS:
Aquelas que dependem do homem esperar no tempo de Deus, na Sua presença e fazendo a Sua vontade. Para as condicionais, se o homem sair do lugar, perde a benção. No caso do irmão que Deus fez a promessa de que ele seria um pastor, depende do livre arbítrio que ele tem, de querer voltar aos caminhos do Senhor ou não. Deus não invade corações, é necessário que se abram voluntariamente, senão vejamos o exemplo: Todo o povo de Israel que saiu do egito tinha a promessa de entrar na terra prometida, mas a grande maioria não entrou, nem mesmo Moisés, porque desobedeceram ao Senhor. Josué, Calebe e os descendentes entraram. Deus cumpriu a promessa coletivamente, mas os que saíram da sua perfeita vontade não entraram Preste atenção nesse texto da Palavra de Deus: "...que nos salvou e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos dos séculos”, 1 Tm 1.9

Deus faz a promessa com propósitos definidos segundo a Sua soberana vontade. Se a pessoa que é alvo dessa promessa sair do centro da vontade de Deus, de forma que impossibilite o cumprimento dos propósitos do Senhor, não há motivo para o cumprimento da promessa, nesse caso, Deus não falhou, o servo infiel é que saiu do seu lugar. Preste atenção nesse outro texto: E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Gálatas 6:9 (o grifo é meu para salientar)

Não adianta fazermos o que é correto apenas por um determinado tempo e depois se cansar e parar. É necessário esperar, persistir e aguardar o kairós de Deus.

E quanto a frase de efeito: "Quem tem promessa de Deus não morre". Infelizmente essa frase virou moda nos púlpitos, mas não tem qualquer respaldo bíblico. Primeiro leia Hebreus 11:1-12 e depois preste bem atenção nos versículos seguintes 13-16, que diz: Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas, mas, vendo-as de longe, e crendo nelas, e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra. Porque os que isso dizem claramente mostram que buscam uma pátria. E se, na verdade, se lembrassem daquela de onde haviam saído, teriam oportunidade de tornar. Mas, agora, desejam uma melhor, isto é, a celestial. Pelo que também Deus não se envergonha deles, de se chamar seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade. (o grifo é meu apenas para salientar)

As promessas acima citadas eram coletivas, mas eles morreram na fé e na esperança, no entanto, se cumpriram somente após a sua partida. Por esse motivo Deus não se envergonha deles. Quando a promessa é individual, é necessário que a pessoa alvo dessa profecia, fique no lugar da benção para que possa recebê-la, caso contrario, não foi Deus quem falou. Faltou sabedoria para discernir que era uma "profetada da carne".

Aqui mesmo, através do Point Rhema, acesse: Promessas, soberania e propósito

Publicado originalmente aqui mesmo em 12.10.2007.

10 comentários:

Eduardo Neves disse...

A Paz de Jesus nosso Senhor!

Pr.Carlos Roberto este artigo nos elucida uma realidade que vivemos na igreja contemporânea e que tanto pertubou a primitiva: falsas profecias.
Com muita sabedoria o irmão nos mostra que algumas profecias simplismente não se cumprem pelo fator: "o homem esperar no tempo de Deus", e não por ser proferida na carne.

Devemos estar sempre vigilantes!

" AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo." I Jo 4.1

Um abraço e que Jesus nosso Deus e Salvador te abençoe Pr. Carlos!

Em Cristo,
Eduardo Neves.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá pastor Carlos, importante arigo, às vezes os crentes pensam que todas as promessas são incondicionais. É verdade que deus tem paciência com seus filhos, ainda que sejam desobedientes, é fiel a promessa. A questão não está em Deus deixar de ser fiel e sim de nós sermos infiéis a Deus a tal ponto de deixarmos de receber certas promessas.
Abraços e Paz do Senhor!!!

Pb. Gilvan Paz disse...

Pr. Carlos,
Seus esclarecimentos foram profundos e ricamente ensinadores.

Tomo por empréstimo as palavras de Charles Spurgeon, quando diz: "Meu Senhor nunca deixa de honrar suas promessas; e, quando as levamos diante de seu trono, Ele nunca as devolve sem resposta".
Abs. Gilvan Paz.

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro amigo, pastor Carlos:

Veja como é relevante a Escola Dominical tratar de temas pertinentes ao momento!

Para nós, pregadores, diante de uma massa que muitas vezes prefere que os outros "pensem" em seu lugar, é mais fácil usar frases de efeito, "chavões" e outros recursos "baratos" para motivar a audiência e levá-la aos "píncaros" da emoção, que não tem nada a ver com avivamento, já que no dia seguinte "tudo continua como dantes, no quartel de abrantes".

No entanto, precisamos tenazmente resistir a esse tipo de apelo, pois o povo precisa de sermão expositivo, exegético, que exponha (desculpe a redundância) todo o conselho de Deus e leve as pessoas a pensarem para, a partir daí, produzir mudanças de hábitos, sem engabelar os incautos com frases que se chocam frontalmente com as Escrituras, como essa tratada por você em seu artigo.

Esse tem sido o nosso alvo, mercê de Deus, coma as lições bíblicas deste trimestre.

Deus lhe abençoe e lhe espero dia 29 de outubro, juntamente com o seu querido pai, no jantar em São Paulo.

Abraços.

Alerson Rodrigo disse...

Boa tarde pr.Carlos.
Ficou excelente o que o sr escreveu sobre promessas.
O fato é que são tantos os pregadores, tantas inovações e pouco conhecimento da bíblia.
Quanto a mim tirei todas as dúvidas e pedi pros meus amigos e irmãos darem um olhada no seu blog.
Quanto a dúvida, surgiu quando conversárvamos sobre os assuntos concernentes a bíblia, o que já é de costume entre nós.......
Meu nome é Rodrigo Lopes Oliveira e sou líder de Mocidade na igreja do setor 9 na Vila Esperança.
A paz do SENHOR JESUS e boa tarde.

Márcio Garcia, Pr. disse...

Pastor Carlos,
A Paz do Senhor!
Creio pastor, que algumas promessas não se cumprem, porque saimos do centro da vontade de DEUS.
Pr. Márcio Garcia
Líder Geral da UMADEC

Pr. Eliseu Lara disse...

Pr. Carlos

Paz seja convosco

Verdadeiramente muitas pessoas tem desistido na caminhada por não esperar o tempo de Deus para que Ele cumpra sua promessas em nossas vidas, e ficam descrentes e não alcaçam as mesmas, exemplo foi o de Moises e todos quantos desobedeceram a Deus no deserto.
Prarabens pelo artigo.

Pr. Eliseu Lara

Pr. Eliseu Lara disse...

Pr. Carlos

Paz seja convosco

Verdadeiramente muitas pessoas tem desistido na caminhada por não esperar o tempo de Deus para que Ele cumpra sua promessas em nossas vidas, e ficam descrentes e não alcaçam as mesmas, exemplo foi o de Moises e todos quantos desobedeceram a Deus no deserto.
Parabens pelo artigo.

Pr. Eliseu Lara
e-mail - pinholara@bol.com.br

Beth disse...

A paz do Senhor pastor Carlos.
Aprendi muito nessa postagem sobre as promessas.
Agora entendí porque muitas promessas não se cumprem.Foi muito importante e esclarecedor para mim te-la lido.Deus abençõe o pastor e continue escrevendo para nós assuntos
tão importantes.

Faculdade Teológica disse...

Que Deus continue abençoando seu trabalho e nos edificando com seus post Fica Na Paz!!!!
Abs!
Faculdade Teológica

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...