domingo, 8 de julho de 2012

Homossexualismo - MP inicia ação para que psicólogos possam tratar de quem quer a cura


Psicólogos e Homossexualismo

A proposta é polêmica e gera grandes discussões não só entre os homossexuais, mas entre os parlamentares
Três procuradores do Rio de Janeiro entraram com uma ação civil pública pedindo para que a resolução do Conselho Federal de Psicologia que proíbe profissionais da área de prometerem a “cura” da homossexualidade seja anulada.
A proposta agora já está nas mãos do Ministério Público Federal e está causando revolta nos ativistas dos direitos homossexuais que não concordam com esse termo de “cura”. Por outro lado há quem defenda o projeto alegando que o psicólogo pode sim atender um homossexual que não esteja satisfeito com sua orientação sexual.
No pedido do MPF encontramos o argumento de que a atual resolução “viola tanto os direitos dos psicólogos quanto o direito daqueles que optarem pelo auxílio psicológico para resolver a angústia que traz a opção sexual que está seguindo em dado momento da vida”.
O pastor Joide Miranda, ex-travesti, apoia esse projeto, pois ele mostra seu testemunho como prova de que é possível deixar a homossexualidade. “Deus restaurou minha identidade”, diz ele.
A bancada evangélica também é favorável a projetos como esse, mas enfrenta a oposição de muitos parlamentares, entre eles o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) que confronta a possibilidade da cura do homossexualismo.
“Retomar a discussão sobre a homossexualidade ser ou não uma doença é um absurdo do mesmo tipo que seria retomar a discussão sobre se o sol gira em torno da terra. Um dos procuradores, o Fábio Aragão é evangélico e está colocando o cargo dele a serviço da crença pessoal dele. Isso é um erro grave porque a Justiça deve ser laica”, disse ele que é homossexual assumido.
Com informações O Dia

2 comentários:

Anônimo disse...

Isso é uma bobagem, quem tem tendencia para isso jamais ficará livre. É a mesma coisa que um fofoqueiro ou um mentiroso.

Matias Borba disse...

Nobre amigo, pastor Carlos,
graça e paz!

A notícia chega em boa hora, o Ministério ´Público está a fazer seu trabalho que é coibir as ações desastrosas de alguns órgãos de nossa sociedade. O Conselho de Psicologia extrapolou os limites da democracia e respeito aos profissionais ao determinar tamanho absurdo com esta proibição.

Como estudante de Psicologia, sei que o debate na faculdade muitas vezes é estimulado por muitos que apoiam tal decisão, mas que não entendem nada de democracia, mas afirmo que muitos na sala de aula são contra a decisão do Conselho.

Espero que o MP tenha exito nesta ação, pois se não o tiver, veremos mais uma vez que este país não passa de uma piada.

Forte abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...