sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Roberto Bolaños, intérprete do Chaves, morre aos 85 anos


O ator e comediante Roberto Bolaños, conhecido mundialmente pelo personagem Chaves, morreu nesta sexta-feira (28), aos 85 anos, em sua casa em Cancún, segundo informações da Televisa.
Principal criação de Bolaños, "Chaves" é exibido no Brasil pelo SBT desde 1984 e, ainda hoje, é uma das maiores audiências da emissora.No início deste ano, a filha de Bolaños,Paulina Gomez, informou que o pai enfrentava problemas de saúde, mas sem entrar em detalhes. Ela chegou a divulgar uma imagem em novembro em que o pai aparece respirando com a ajuda de um aparelho.
História
Nascido na cidade do México em 21 de fevereiro de 1929, Roberto Gómez Bolaños, ator, comediante, dramaturgo e diretor, foi o grande criador das séries de TV “El Chavo del Ocho” (“Chaves”, no Brasil) e “El Chapulín Colorado” (“Chapolin”). Sobrinho do ex- presidente mexicano Gustavo Díaz Ordaz Bolaños, filho da secretária bilíngue Elsa Bolaños Cacho e do pintor, cartunista e ilustrador Francisco Gómez Linares, ele se formou em engenharia elétrica na Universidade Nacional Autônoma do México, profissão que nunca exerceu.
Foi na década de 1950 que ele começou na arte que o tornou um dos escritores comediantes mais respeitados do mundo. Os primeiros trabalhos foram para os para programas da dupla Viruta e Capulina (Marco Antonio Campos e Gaspar Henaine).
Nos anos 1960, passou a escrever também para o cinema e a atuar, mas sempre com mais dedicação ao trabalho de escritor. O embrião do que viria a se tornar um sucesso no mundo todo foi em 1968, quando ele criou o personagem Chespirito para o programa de televisão "Los Supergenios de la Mesa Cuadrada". Dois anos depois, o programa teve sua duração aumentada e assim nasceu Chapolin Colorado. Um ano depois foi a vez de Bolaños criar sua obra-prima, o Chaves. O sucesso foi tão grande que cada um ganhou uma série independente de 30 minutos em 1973.
Os programas se tornaram sucesso em todo o mundo, graças ao talento de Roberto Bolaños e do grupo de atores em distintas épocas formado por Carlos Villagrán (Quico), Ramón Valdés (Seu Madruga), Florinda Meza (Dona Florinda), Rubén Aguirre (Professor Girafales), Édgar Vivar (Senhor Barriga e Ñoño), Angelines Fernandez (Dona Clotilde),Raúl Padilla (Jaiminho), Horacio Gómez Bolaños (Godines) e María Antonieta de las Nieves (Chiquinha), que também encontraram a fama internacional.
Fonte: IG

Um comentário:

T.Mendes disse...

Pelé tomou conta esta semana passada das reportagens principais do país por ter sido internado junto à UTI por haver um quadro de infecção renal;

Esta semana, o ator que interpretava "Chaves" faleceu trazendo comoção nacional;

No quadro "que fim levou" , o jornalista esportivo Milton Neves apresenta uma foto de um jogador famoso quando mais jovem e outra quando em idade avançada;

ídolos preenchem ou tentam preencher um vazio, uma carência no homem a qual passasse os anos e continuamos vendo somente peças substituírem, Airton Senna, etc.

Todos vamos parar de respirar um dia.
Curioso é ver que a pessoa que já morreu no quadro "que fim levou", o apresentador afirma:
"__ fulano tá hoje no céu!!!!"
quanta certeza né...
Bom a lição indiretamente não trata disso...isso mesmo.
Devemos lembrar que a doença nos faz resignar, tornarmos pessoas mais humildes, refletir a morte no tocante a transitoriedade da vida, e oportunizar para conhecer ao Senhor.
não existe regra bíblica, empacotada para sair de uma doença grave. O que ela ensina é que os desígnos de Deus vão ter que ser cumpridos e a oportunidade DELE ser glorificado em nós é no sofrimento.
ELE cura sem dúvida e ELE permite incondicionalmente

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...