terça-feira, 10 de março de 2015

Não dirás falso testemunho - Lições Bíblicas EBD/ CPAD - Lição 11 - Subsídio Teológico


NÃO DIRÁS FALSO TESTEMUNHO - por Prof. Adaylton de Almeida Conceição


Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” (Ex 20:16)

INTRODUÇÃO

Todo o sistema judicial hebreu era baseado no testemunho. Todas as provas eram colhidas a partir das falas das testemunhas (cf. Deuteronômio 19.15-21). 

Uma palavra podia salvar ou condenar, à morte até.Mais que isto, o cuidado na palavra decorre também da sua importância. O mundo natural foi feito pela Palavra... de Deus. O mundo foi criado por Jesus, Palavra encarnada de Deus. O mundo da cultura e da convivência é construído pelas nossas palavras, que produzem diferença e indiferença, calor e distância, vida e morte.

Todos precisamos falar, porque não sabemos viver sem falar. Nós nos constituímos falando. Uma palavra (um nome) nos identifica. Uma palavra nos abate. Uma palavra nos levanta. Uma palavra povoe nossos lábios de riso. Uma palavra sulca os nossos olhos com lágrimas. Porque precisamos falar, precisamos aprender a controlar a fala, para não sermos controlados por ela. O nono mandamento nos ajuda nesta difícil jornada.

PORQUE SERÁ QUE DEUS INCLUIU ESTE MANDAMENTO?

Por que Deus iria incluir este mandamento entre os Dez? O que este mandamento tem a ver com o amor de Deus por nós? Fico surpreso ao compreender que dentre os dez mandamentos, três se referem ao uso da língua: tomar o seu nome em vão, matar com as palavras que pronunciamos e agora, dizer falso testemunho.

O que você diz irá edificar um indivíduo ou – caibro por caibro, prego por prego – derrubá-lo até fazer dele uma pilha de escombros.

“Isso é dizer falso testemunho?” você pergunta. Claro que sim. Quando você diz algo para um indivíduo ou sobre um indivíduo que seja menos do que Deus diria a ele, está dizendo falso testemunho. E Deus leva muito a sério tais questões.

Nono mandamento - O falso testemunho

Sem duvida nenhuma o nono mandamento tem muito a ver com o controle e domínio da língua, uma tarefa muito importante mas extremamente difícil como bem escreveu Tiago, dizendo que nenhum homem pode domar a língua (Tiago 3). No entanto, Jesus nos esclarece que "...o que sai da boca, procede do coração, e é isso o que contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias..." (Mateus 15:18-19). Logo a única forma de domar-se a língua é abrindo o coração para Jesus Cristo, que nele fará morada através do Espirito Santo, produzindo assim palavras de bençãos e não maldição, porque "...o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade. a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei (…) 

E se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. Não nos tornemos vangloriosos, provocando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros..." (Gálatas 5:22,25,26

Dos dez Mandamentos, o mais fácil de ser violado é o nono: "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo."

1) Uma razão para isto é que o que mais fazemos em nossas conversas é falar sobre as outras pessoas. Quem tem a mente avançada fala de idéias; quem a tem num nível mediano fala sobre fatos e os de mente mesquinha falam dos outros. A maioria das pessoas nunca desenvolve muito a mente.

2) Outra razão que nos leva à maledicência é que ela alimenta nosso orgulho. Parece que, se conseguirmos tirar um pouco da "glória" de outrem, isso diminui um pouco o deslustre de nossas próprias falhas. Uma pessoa que vive sempre mencionando as faltas dos outros dá demonstrações de possuir complexo de inferioridade. Grande parte das intrigas também é causada por ciúmes.Apesar de tudo isso, quase ninguém se sente culpado de transgredir este mandamento. Nunca ouvi ninguém reconhecer que haja cometido o pecado da maledicência. Às vezes, a crítica toma uma forma de falsa solicitude. "Não é horrível o modo como o Sr. João bate na mulher? Sinto tanta pena dela."Ou, às vezes, vem na forma de uma pergunta sutil. "É verdade mesmo que o casal X está às portas da separação?" Este é o método do diabo. Ele não acusou Jó de nada; ele apenas indaga: "Porventura Jó debalde teme a Deus?" (Jó 1:6) A pergunta em si já faz uma insinuação acerca da sinceridade de Jó.

3) Outra maneira de alimentarmos a maledicência é ouvi-la. Não é possível haver um ruído a não ser que haja um ouvido para escutá-lo. O som é produzido pelas vibrações do nosso tímpano. Do mesmo jeito, nem uma só palavra de boato poderá ser passada adiante se não houver um ouvido pronto para recebê-la. 

A lei do país prescreve que o receptador de mercadoria roubada é tão culpado quanto o ladrão. Quem ouve o relato dos erros de outrem, na realidade, está sendo grandemente insultado, pois o caluniador está julgando, não apenas o caluniado, mas o que ouve também. Se alguém nos relata os pecados de outrem, a opinião dessa pessoa é que nós estamos interessados em saber tal coisa. Na verdade, isto é um insulto.

Viver na verdade:

Temos no Antigo Testamento que Deus é fonte de toda verdade. Sua Palavra é verdade. Sua Lei é verdade. "Sua fidelidade continua de geração em geração" (Sl 119,90). Foi em Jesus Cristo que a verdade se manifestou plenamente. "Cheio de graça e verdade", Ele é a "luz do mundo" (Jo 8,12), a Verdade. O verdadeiro discípulo de Jesus em sua "permanece em sua palavra" para conhecer a "verdade que liberta" (Jo 8,32) e santifica. Jesus nos ensinou o amor incondicional da verdade: "Seja o vosso 'sim, sim e o vosso 'não', não. (Mt 5,37

Infelizmente poucas pessoas percebem o poder destrutivo da língua humana. Por causa de uma palavra mal falada, lares foram estilhaçados, reputação abalada, vidas literalmente destruídas e até mesmo famílias inteiras arruinadas. Esse pequeno pedaço de músculo que fica na boca por trás de seus lábios e os dentes tem o fantástico poder de abençoar ou amaldiçoar, de curar ou ferir, de amar ou odiar. Tudo depende de como à usamos. "...Porque esta é a aliança que depois daqueles dias; Farei com a casa de Israel, diz o Senhor; Porei as minhas leis no seu entendimento, E em seu coração as escreverei; E eu lhes serei por Deus, E eles me serão por povo;..." (Hebreus 8:10).

A DIMENSÃO JUDICIAL

A expressão "falso testemunho" evoca diretamente a mentira num julgamento. Até hoje o testemunho falso é condenado. Num tribunal, as testemunhas são obrigadas a dizer a verdade, tão somente a verdade, para que se produz a justiça.

Já no período do antigo Israel, uma pessoa que testemunhasse falsamente contra outra devia ser punida com a pena que o injustamente acusado deveria receber. (Se uma testemunha falsa quiser acusar um homem de algum crime, os dois envolvidos na questão deverão apresentar-se ao Senhor, diante dos sacerdotes e juízes que estiverem exercendo o cargo naquela ocasião. Os juízes investigarão o caso e, se ficar provado que a testemunha mentiu e deu falso testemunho contra o seu próximo, dêem-lhe a punição que ele planejava para o seu irmão  -- Deuteronômio 19.16-19). O ideal bíblico é transparente: A testemunha sincera não engana, mas a falsa transborda em mentiras (Provérbios 14.5).

Se algum de nós tiver que ir a juízo deve se lembrar das instruções divinas: Não levantarás falso boato, e não pactuarás com o ímpio, para seres testemunha injusta (Êxodo 23.1). Não seguirás a multidão para fazeres o mal; nem numa demanda darás testemunho, acompanhando a maioria, para perverteres a justiça (Êxodo 23.2). Afinal, a testemunha que fala a verdade salva vidas, mas a testemunha falsa é enganosa (Provérbios 14.25). O código penal brasileiro (Artigo 342) pune com um a três anos de reclusão e multa aquele que fizer "afirmação falsa, ou negar ou calar a verdade como testemunha em processo judicial ou administrativo, inquérito policial, ou em juízo arbitral".

O significado de falso testemunho pode ser ampliado além de sua dimensão judicial.

O Cristão deve viver a Verdade e na Verdade.

Os homens tendem à verdade e são obrigados a honrá-la e testemunhá-la. São também obrigados a aderir à verdade e ordenar suas vidas segundo as suas exigências. A verdade deve estar presente em nosso falar, pensar e agir pois assim, estamos nos guardando da duplicidade, simulação e da hipocrisia. Devemos Ter veracidade naquilo que fazemos ou dizemos. 

Não haveria possibilidade de convivência recíproca se não houvesse a verdade entre as pessoas. A verdade nos ensina corretamente aquilo que deve ser expresso e aquilo que deve ser guardado. Isso implica em honestidade e discrição. Todos devem manifestar a verdade entre si mesmos. 

Partindo deste raciocínio devemos entender qual é a seriedade que é viver na verdade. "Um inimigo pode nos causar um terrível mal (matar, ferir gravemente, espalhar falsos boatos, roubar, etc ...), mas um amigo pode nos destruir por completo". Daí temos a importância seríssima de manifestar a verdade para com as outras pessoas.

DIGA NÃO AO FALSO TESTEMUNHO. 

Com o advento das mídias pós-modernas, sobretudo da internet e das chamadas redes sociais (Facebook, Twitter etc.), temos descoberto o quanto o ser humano é ávido para emitir, divulgar e promover notícias, críticas, fatos e/ou opiniões sobre a vida do seu semelhante. A grande questão em tudo isso é que boa parte daquilo que é dito e divulgado não passa de falso testemunho. Daí, podemos constatar a relevância, a necessidade e a atualidade deste mandamento da lei de Deus. O falso testemunho é um mal presente nas casas de leis, nas cortes, nos tribunais, na mídia, bem como na sociedade organizada de forma geral. Esse pecado tem afetado, dividido e destruído vidas, famílias, instituições e até mesmo nações. Precisamos falar e testemunhar a verdade, pois a mentira tem procedência maligna. Devemos ter muito cuidado para não sermos levianos e desonestos quando abrirmos a boca a respeito de qualquer coisa, sobretudo, quando se tratar da reputação de alguém. Que Deus nos ajude a não compartilharmos ou promovermos aquilo que é falso em relação ao nosso semelhante. Honremos o nome de Deus e do nosso próximo com honestidade, santidade e amor. 

Como lidar com o nosso próprio testemunho

Este mandamento, implicitamente lida também com nosso próprio testemunho no ambiente social e comunidade em que vivemos. Deus diz que não devemos nunca ser culpado de mentir sobre o nosso semelhante, causando-lhe sofrimento. Somos exortados a ser sempre sincero. "...A falsa testemunha não ficará impune; e o que profere mentiras perecerá..." (Provérbios 19:9). A reputação é um bem extremamente valioso, de acordo com a Bíblia,  um bom nome, ou reputação, é muito mais valioso do que riquezas e ouro. (cf Pv 22:01). A reputação normalmente determina o nível de respeito que uma pessoa recebe; ninguém põe muita confiança em uma pessoa que tem a reputação de ser desonesta, enganadora, ou que tenha a fama de uma vida vergonhosa e pecaminosa.

Exatamente por este motivo nós como cristãos devemos fazer tudo o que está ao nosso alcance para nunca permitimos que nosso nome esteja associado com algo desrespeitoso e vergonhoso. Isto não somente irá prejudicar o nosso próprio nome, levando as pessoas a perder o respeito por nós, como também macular a imagem da igreja de Cristo na terra.

Lembre-se que a vida do cristão deve ser como um farol de integridade e decência para os que estão em sua volta. Disse Jesus: "...Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus..." (Mateus 5:14-16). Nossa reputação determinará o nível da respeito que receberemos; todo cristão para ser realmente respeitado como um cristão tem que dar um bom testemunho. O tipo de resposta que podemos esperar sempre será determinado pelo tipo de vida que os outros observam-nos viver! Ou seja: Sua própria reputação é valiosa. Portanto, guarde-a com muito zelo, e ore para que outros não levante falso testemunho sobre você. Sem duvida nenhuma você não pode ser responsável por aquilo que os outros falam sobre sua reputação, mas você é totalmente responsável por aquilo que fala sobre os outros. Tenha isso em mente.

Veja alguns tipos de falso testemunho

Como já foi dito o falso testemunho é um comportamento odioso a Deus e humilhante para os homens! Mas o triste é que existem várias maneiras em que as pessoas poderão ser culpadas de usar sua língua contra uma outra pessoa, ente as mais comuns estão:

Calúnia - define-se calunia como a comunicação de falsas declarações prejudiciais à reputação de uma pessoa, afirmação desonrosa a respeito de alguém, inclusive de mortos. Consiste em atribuir, falsamente, a alguém a responsabilidade pela prática de um fato determinado definido como crime, feita com má-fé. Pode ser feita verbalmente, de forma escrita, por representação gráfica ou internet. Somos culpados de calúnia quando intencionalmente mentimos sobre outra pessoa, em um esforço para prejudicar a sua reputação.

Mentira - "A declaração falsa deliberadamente apresentado como sendo verdade." Quer admitamos ou não, todos nós somos culpados de ter mentido alguma vez na vida. As estatísticas dizem que 92% das pessoas mentem para salvar a sua pele e 98% para evitar ofender alguém. Mas, sem duvida a pior mentira é quando dizemos coisas sobre outra pessoa sabendo que são falsas.

Crítica - Referimo-nos a declarações feitas sobre as ações de outros, na tentativa de ferir sua reputação. A crítica construtiva é uma coisa boa, mas a crítica destrutiva é perversa e abominável. (O urubu não vê nada além do que é podre e morto; ele não vê as flores e a grama verde; ele não contempla as coisas vivas ao seu redor. Seu foco é sobre o que está morto e estragado). Não viva como um urubu enxergando somente os defeitos dos outros. Uma senhora estava olhando pela janela, observando sua vizinha estendendo suas roupas no varal. Enquanto observava, ela comentou com um amigo: "Nosso vizinho não liga muito para a limpeza. Porque, basta olhar para as manchas em suas roupas. "Seu amigo respondeu:" Essas manchas são em sua janela, não nas roupas!"Às vezes, é o pecado em nosso próprio coração que nos faz enxergar o mal nos outros!

Fofocas e tagarelice - Esta é a prática de espalhar boatos e rumores sobre os outros. Pode ser que as vezes os rumores sejam verdadeiros. Mas, mesmo assim isto não nos dá o direito de destruir a reputação do outro. A fofoca é sempre um pecado!

Insinuação - Esta é a prática de insinuar que algo pode estar errado na vida do outro. Quando agimos assim somos culpados de fazer as pessoas duvidam da reputação de uma pessoa, somos culpados de pecado perante o Senhor. (Esta foi a tática que Satanás tentou usar contra Jó - Jó 1:11-12, 2:05.)

Bajulação - Normalmente, a bajulação é feita como uma tentativa de ganhar alguma coisa desse indivíduo. Lisonja mentirosa, está dizendo algo na frente de uma pessoa que nunca diria nas suas costas.

Exagero - Esse é um tipo de mentira muito comum. Consiste em esticar números, estatísticas, etc..., para fazer as coisas parecerem melhores. Quando exageramos, estamos mentindo!

Omissão - Quando nós ouvimos uma mentira ser contada e nos calamos, somos culpados de omissão.

É falso testemunho mentir, para se autopreservar ou para parecer aquilo que não se é. Um erro cometido não pode ser escondido por uma mentira. A mentira não redime. Só a confissão pode trazer a cura para a mentira.

Jesus Cristo radicaliza contra os mentirosos: eles têm um pai, o Diabo, e querem realizar o desejo dele. O Diabo foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira (João 8.44-45). Por isto, o nosso "sim" deve ser "sim" e o nosso não deve ser não; o que passar disso vem do Maligno (Mateus 5.37).

Diante da mentira, a recomendação bíblica é sempre muito clara: Cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo (Efésios 4.25).

O JULGAMENTO INDEVIDO

É falso testemunho emitir julgamento indevido contra alguém. Ouçamos o que diz Jesus: Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?

Como você pode dizer ao seu irmão: 'Deixe-me tirar o cisco do seu olho', quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão (Mateus 7.1-5)

Dar testemunho da verdade:

Assim como Cristo proclamou diante Pilatos que "veio ao mundo para dar testemunho da verdade", o cristão não deve temer ou envergonhar-se de dar testemunho do Senhor (2 Tm 1,8). O cristão deve manter uma "consciência irrepreensível, constantemente, diante do Senhor e dos homens" (At 24, 16). Ao fazer parte da Igreja, o cristão deve dar testemunho do Evangelho e das obrigações dele decorrentes. Ele fará isso através de seus 
atos e palavras.

Prof.  Pr. Adaylton de Almeida Conceição – (TH.B.Th.M.Th.D.)
Facebook:  Adayl Manancial

Pr. Dr. Adaylton de A. Conceição, é Bacharel, Licenciado, Mestre e Doutor em Teologia, Escritor, Professor Universitário

BIBLIOGRAFIA

Comentarista do trimestre: Revdº Dr. Esequias Soares
Jose Carlos Costa – Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
Israel Belo de Azevedo – Êxodo 20.16. Não dirás falso testemunho
Mario Pacheco Neto – Não dirás falso testemunho
Diogo Jorge Gonçalo – Diga não ao falso testemunho

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...