terça-feira, 24 de maio de 2016

Padre Marcelo Rossi pede para brasileiros nunca votarem em religiosos


O padre pop não acha certo que padres e pastores se candidatem a cargos políticos e aconselha os fiéis a não votarem neles.

Padre Marcelo Rossi não é só um líder religioso, ele se tornou um artista de grande sucesso e um formador de opinião e mesmo se afastando da mídia ele continua querido do público e de vez em quando, polêmico também, como agora em sua última declaração, onde comentando sobre política aconselhou a todos para não votarem em religiosos que se candidatam a qualquer cargo, seja prefeito, vereador, senador, deputado ou algum outro.

Não é de hoje que líderes das mais diversas religiões estão no mundo da política e em suas campanhas utilizam sua popularidade e conhecimentos a respeito da religião que pregam para conseguirem votos. Padre Marcelo Rossi se mostrou totalmente contrário a isto. 

"Eu sou totalmente contra, seja padre ou pastor. Está errado. Ou você é um líder religioso, ou você é um líder político", disse o padre que logo se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter na manhã do último domingo (22) e dividiu opiniões.

Muitos concordam com ele e acham que o padre ou pastor deve cuidar dos fiéis, entretanto há os que pensam diferente e não veem mal algum em ter estes religiosos usando a política para tentar melhorar a vida das pessoas.

Padre Marcelo ainda disse que a igreja Católica não tem candidato e nunca indica os que se arriscam e completou: "Eu tenho medo, a pior coisa é fanático, fuja dessas pessoas, pois são perigosas e facilmente se corrompem."

Na década de 90 principalmente, se tornou um dos maiores fenômenos de mídia no país, vendendo mais de 11 milhões de CDs. Suas danças e coreografias agitavam os fãs e suas músicas eram tocas em praticamente todas as rádios. Ele ainda era convidado para ir aos programas de TV, onde se apresentava e ensinava como dançar suas canções.

Ele já enfrentou um sério problema recentemente, tendo que ficar em uma cadeira de rodas e também lutou contra uma depressão.

Seu comentário a respeito da política faz com que ele volte a se destacar na mídia, principalmente pela situação que o país enfrenta.

Publicado em Blasting News via Notícias Cristãs

3 comentários:

Eliseu Antonio Gomes disse...

Prezado Pastor Carlos Roberto.

Se para o Marcelo Rossi ser "religioso" significa gente fanática por uma determinada corrente religiosa, eu concordo com ele, mas se pede para não votar em cristãos, então, discordo veementemente do padre.

Ser cristão é diferente de ser fanático religioso, o primeiro é equilibrado e o segundo não se equilibra e tende a querer desequilibrar a todos.

Não penso ser correto que pastores abandonem suas funções eclesiásticas para entrar em atividades da política partidária. Digo isso não "demonizando" o "fazer política partidária", também penso não ser conveniente que estejam em outras áreas seculares, em atividades remuneradas de todos os tipos que conhecemos. Para mim, o pastor deveria ocupar-se apenas de almas, das coisas espirituais.

São poucos os pastores que exercem o ofício em tempo integral. Se durante o dia eles são advogados, comerciantes, bancários, vendedores, não há motivo de impedir que também sejam vereadores, deputados estaduais e federais, senadores... Presidente da República?! Que não haja nisso, por parte de quem queira colocar limites...

Na minha opinião, o ideal seria que os pastores indicassem pessoas, crentes maduras na fé, para representá-lo no meio político, não estar lá em pessoa. Creio que evoluiremos para esta situação um dia.

Abraço.

E.A.G.
http://belverede.blogspot.com.br

Pb. José Roberto da Rocha disse...

Ele ta certinho,neste ponto!Pastor nunca tera meu voto!

Eliseu Antonio Gomes disse...

ERREI: "Que não haja nisso, por parte de quem queira colocar limites..."

RETIFICO: "Que não haja nisso barreiras de contradições por parte de ninguém. Se pastores seguem de um lado, que possam seguir pelos dois..."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...