segunda-feira, 9 de maio de 2016

Pr. Ezequiel Teixeira - Deputado diz que Cunha “não representa o povo evangélico”


Ezequiel Teixeira acredita que "precisam pregar o verdadeiro Evangelho" para o ex-presidente da Câmara

Apesar de oficialmente serem parte da bancada evangélica, há divergências fortes entre o deputado Ezequiel Teixeira (PTN/RJ) e o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB/RJ).
No ano passado, Teixeira, que é pastor da Igreja Projeto Vida Nova, se pronunciou após terem “estourado” denúncias contra o peemedebista.
Em seu desabafo nas redes sociais, disparou: “Eduardo Cunha chegou à presidência da Câmara – sabe-se a que custo – com o apoio de diversos líderes do segmento evangélico… Durante a campanha eleitoral, pastores entregaram os púlpitos das igrejas do Senhor para Eduardo Cunha, que arrebatou milhares de votos.  Quero deixar um recado aos pastores e líderes que apoiaram esse senhor: peçam perdão a Deus, à Igreja e ao povo brasileiro”.
Agora, com o afastamento de Cunha por intermédio de ação do STF, Teixeira voltou a se manifestar. Ao falar sobre pastores e líderes que apoiaram Cunha durante a campanha, pediu: “Espero que não o abandonem, ao contrário, devem pregar o verdadeiro Evangelho para ele. Quem sabe se converte. Repito: não deixem de pedir perdão, só Deus sabe quanto custou esse apoio”.
O apoio a Cunha parece ser um assunto incômodo para parte da Frente Parlamentar Evangélica (FPE), apesar de contribuir muito para o avanço das pautas “conservadoras”, Cunha teve seu nome envolvido em muitas denúncias de corrupção.
A mídia acabou muitas vezes tratando a bancada evangélica como apoiadores incondicionais do ex-presidente da Câmara. Isso não era verdade na maioria dos casos.
Nos últimos dias, líderes conhecidos como Silas Malafaia e Marco Feliciano questionaram a maneira como o STF tratou o caso de Cunha, mas reconheceram que todas as denúncias contra ele devem ser investigadas.
Com informações de IG via Gospel Prime
MEU COMENTÁRIO
É no mínimo estranho esses comentários acerca de Eduardo Cunha, Presidente afastado da Câmara dos Deputados.
Na verdade, Eduardo Cunha nunca representou mesmo os evangélicos, mas por conta das suas atitudes nos bastidores da política.
O povo evangélico em geral, pelo que tudo indica, nunca soube mesmo dessas peripécias corruptas, mas é no mínimo estranho, que líderes que com ele andavam e interagiam não soubessem disso.
Por outro lado, não há como negar que Eduardo Cunha foi membro da Igreja Sara Nossa Terra, e que durante a última campanha eleitoral, ele foi recebido com "pompa e circunstância" na sede da Assembleia de Deus Ministério de Madureira, fato amplamente divulgado pela mídia.
Agora convenhamos, um membro errar, ser disciplinado, confessar, pedir perdão e ser restaurado é a prática com qualquer membro da Igreja.
Será que Eduardo Cunha admite que errou, estaria arrependido, estaria disposto a passar por uma disciplina e ser restaurado como qualquer outro?
Por enquanto, Eduardo Cunha não passa de um réu acusado, e que nega a tudo, portanto não vemos sinais de qualquer arrependimento, agora, não sendo inocentado e vindo a ser condenado, assim como está acontecendo com praticamente todos os envolvidos nesse caso de corrupção, veremos como agirão.
Que Deus tenha misericórdia de nós!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...