domingo, 16 de outubro de 2016

Igreja rejeita gordinhos no grupo de louvor para não “interromper a unção”

Assunto gerou polêmica nas redes sociais

Uma igreja norte-americana proibiu pessoas “acima do peso” de fazerem parte da equipe de louvor. A exigência de “aparência saudável” fazia parte de uma série de diretrizes que a liderança entendia ser necessária para “que a unção flua através membros”. A questão gerou muito debate na internet e dividiu opiniões.
Com isso, a igreja New Creation, da pequena cidade de Hillsboro, Oregon, acabou forçada a tirar do seu site as diretrizes. Só que nos dias de hoje é quase impossível algo que já esteve online não ter sido copiado por alguém.
A lista com as “orientações”, foi compartilhada por diferentes perfis nas redes sociais, fazendo com que a liderança da New Creation receba muitas críticas por misturar questões como santidade e dom de línguas com uma preocupação estética excludente e sem respaldo bíblico.
O material originalmente disponível no site pedia que os músicos e cantores “cuidassem” do “templo do Espírito”. Também pedia que todos que subissem no altar deviam “vestir-se com moderação”.
Porém, a justificativa para isso é que “nossa aparência é de extrema importância. Nós somos a primeira coisa que a congregação vê. As pessoas julgam pela aparência. Nunca teremos uma segunda chance de deixar uma boa primeira impressão”.
Terminava dizendo: “Por favor, leia com atenção. Você deve concordar 100% com os termos para que possa fluir com a nossa equipe e que a unção possa fluir através de você.”
Após toda a atenção que o caso recebeu, a igreja New Creation negou-se a conversar com a imprensa num primeiro momento. Os pastores Rod e Rebecca Sundholm, que lideram o ministério apenas minimizaram a repercussão negativa.
Afirmaram que essas orientações são usadas desde a fundação da igreja, há 28 anos. “Se alguém olhar para a nossa equipe de louvor, verá que não são todos magros. Na verdade, o líder do grupo tem problemas de peso”, minimizou.

Líderes comentam

Geoff Surratt, um pastor que trabalhou na megaigreja Saddleback decidiu expressar sua opinião. Em uma postagem no site Church Leaders ele enfatizou que o peso de um cantor ou músico não faz diferença se ele não tem comunhão com Deus.
“Infelizmente, tenho visto muitos cantores e músicos talentosos que tem bom apelo visual, mas não possuem o dom de liderar a adoração. Eles têm a guitarra certa, o lenço certo e o corte de cabelo certo. Seu peso é adequado e estão sempre elegantes. Mas sem o dom e a experiência, é apenas encenação”, disparou.
“Nem luzes, gelo seco ou processamento digital podem gerar adoração genuína; adoração real é algo misterioso, espiritual, que flui de Deus através de líderes talentosos. A questão não é o peso, a altura, o sexo ou a raça… seu coração é o que faz toda a diferença”, acrescentou.
Esse assunto já foi debatido no Brasil após uma declaração da pastora Ana Paula Valadão, líder do Diante do Trono. Durante uma pregação em 2012, enfatizou que na igreja primitiva o costume era jejuar duas vezes por semana.
Disse também que as mulheres cristãs ‘mais cheinhas’ deveriam jejuar, pois além de crescer espiritualmente poderiam emagrecer como um benefício secundário da prática. Acrescentou que não gostava de ver “pastores barrigudos”. Para ela, viver muito acima do peso é um excesso, algo que “não combina com uma liderança”, pois indicaria que “está sobrando banquete de comunhão e faltando retiro de jejum e oração”.
Além da repercussão nas redes sociais, o ‘gordinho’ João Alexandre se manifestou na época, pelo Facebook, dizendo: “Prefiro ser um obeso que serve a Deus do que um famoso inconsequente”.

Por causa da repercussão negativa, Ana Paula pediu perdão, reconhecendo que tinha se expressado mal.

Fonte: Gospel Prime

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...