terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

UM CRENTE SANTO BRINCA COM LÍNGUAS ESTRANHAS? - Por Daladier Lima


UM CRENTE SANTO BRINCA COM LÍNGUAS ESTRANHAS? - Por Pr.  Daladier Lima

Com alguma frequência vemos irmãos imitando línguas estranhas em contextos de brincadeira. Seja pessoalmente, seja nas redes sociais. Permitam-nos transcrever algumas dessas colocações: "Hoje tem labaçé? Grande foi o arabacai? Decanta na terra!"
Como se sente o Espírito Santo nesses contextos? Em primeiro lugar, muito triste por vulgarizarmos algo que é sagrado (I Cr 13). Já vi muitos se acostumarem com o sagrado e se afastarem de Deus pra nunca mais voltar. Brincando, vamos mergulhando num abismo cada vez mais profundo e nem percebemos. Não demora e estamos misturando mentira e verdade imitando as coisas de Deus. Infelizmente, muitos o fazem no próprio púlpito!
Em segundo lugar, é inadmissível alguém dizer-se cheio do Espírito Santo e ao mesmo tempo brincar com ele. O Espírito até nos alegra em meio às provas da vida, mas não nos diverte, pois não é um brinquedo ou um palhaço, muito menos joguete na mão de alguém!
Em terceiro lugar, línguas estranhas não se aprende. Se alguém passou por um treinamento ou curso, como os há na internet, para aprender a falar em línguas, participou de uma heresia. É o Espírito Santo quem dá. Ponto final! No mesmo contexto se enquadram os que procuram memorizar sílabas faladas entre os pentecostais.
Especial atenção merecem aqueles que, tentados por não falarem muitas línguas estranhas, forçam a barra e tentam imitar um irmão ou outro. É uma praxis extrabíblica e distanciada da ortodoxia bíblica. A Bíblia ensina que um homem tentou comprar os dons e foi duramente repreendido (Atos 8:18ss).
No outro extremo é possível ser agraciado, por liberalidade divina, com a variedade de línguas. Esta é a razão porque uns falam tantas e belas línguas diferentes e outros não. Lembrando que está à disposição como qualquer outro dom, basta buscar (I Co 12:31).
Voltando ao assunto do post, o pior reflexo desse comportamento é a vulgarização das experiências pentecostais. Já não são apenas piadistas tradicionais, como o Nicodemus e a história do malacai, mas alguns dos próprios pentecostais que se propõem a fazer tais brincadeiras. É um comportamento ridículo e reprovável, além de contraditório.
Precisamos refletir, pedir perdão e deixar as práticas do velho homem para trás (Ef 4:22). Se algum irmão fraco se põe a repetir línguas cujas sílabas memorizou, que possamos exortá-lo em amor e ensinar conforme a sã doutrina. Se, porém, são crentes já maduros e batizados com o Espírito Santo só nos resta lembrar que não se brinca com Deus! O juízo é certo e começa pela Igreja (I Pe 4:17).
Há muito com o que se brincar, não precisamos usar as coisas de Deus para nos divertir. Se uma piada comum não convém aos salvos, imagina usar o Espírito Santo como ingrediente!? Tenhamos muito cuidado!


DALADIER LIMA é pastor auxiliar na AD Abreu e Lima (PE), escritor, blogueiro, Profissionalmente, trabalha com Tecnologia da Informação, desde 1991. É casado com Eúde e tenho duas filhas, Ellen e Nicolly. Editor do Blog Reflexões sobre quase tudo

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...