segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Deputado faz projeto de lei propondo reduzir o preço dos combustíveis para igrejas - COMENTO A NOTÍCIA

O deputado estadual Wilson Quinteiro (PSDB-PR) está propondo um projeto de lei que visa beneficiar igrejas e cultos de qualquer crença, retirando o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) dos combustíveis utilizados nos veículos das instituições.
A ideia consiste na alteração da Lei nº 14.586, de 22 de dezembro de 2004, que isenta a cobrança de ICMS em serviços de água, luz, telefone e gás de igrejas e templos de quaisquer religiões no estado do Paraná, incluindo também a isenção nos combustíveis.
A justificativa de Quinteiro é a de que às instituições religiosas contribuem para a qualidade de vida das pessoas e bem estar social,  impactando indiretamente nos gastos públicos. A isenção, portanto, seria uma forma de facilitar o trabalho dessas organizações.
"As igrejas desenvolvem um trabalho extraordinário nas mais diversas áreas, buscando minimizar os problemas e melhorar a qualidade de vida das pessoas", alega Quinteiro, reforçando uma constatação já realizada por um renomado antropólogo da Universidade de Londres, em pesquisa no BrasilPor estarem próximas das comunidades, as igrejas conseguem ser em muitos casos mais eficientes do que o próprio poder público no atendimento às pessoas mais carentes e necessitadas”, justifica o parlamentar.
"Em reconhecimento a todo este trabalho desenvolvido pelas igrejas e templos de qualquer culto em nosso Estado, é que apresentamos e contamos com o apoio dos nobres parlamentares para a aprovação da presente proposição".
Para Quinteiro, igrejas têm "uma participação ativa na comunidade onde estão inseridas", de modo que através dos trabalhos comunitários, por exemplo, de combate ao uso de drogas, prostituição e de assistência aos mais pobres, "elas têm mostrado seu papel importante e destacado perante a sociedade".
A proposta estabelece que os veículos abastecidos devem ser de uso exclusivo das igrejas. Portanto, a instituição precisa comprovar a sua propriedade. Se aprovada, a lei valerá apenas no estado do Paraná.
Fonte: Gospel+
MEU COMENTÁRIO:
Reconheço todo o beneficio proporcionado ao poder público pelas igrejas verdadeiramente sérias que existem neste país, no entanto, SOU CONTRA esse projeto, pois justamente neste momento em que vivemos uma guerra ideológica na nação, onde  a igreja através de seus membros, na condição de  cidadãos, reage contra uma onda de liberalismo geral, isso só servirá como mais uma brecha para o escárnio por parte dos descrentes, e outros contrários à obra de Deus realizada pela Igreja como instituição. Que se verifique isso nas redes sociais, através dos comentários que virão.
Com todo respeito pelo nobre Deputado, ao qual nem conheço, mas me parece uma medida bem intencionada, porém, atípica, fora de tempo e desnecessária, afinal de contas nossas prioridades no que tange ao evangelho neste momento não é qualquer benesse ou isenção, mas a manutenção da nossa liberdade para pregar o evangelho, e de defender os princípios cristãos que nos são inerentes pela Palavra de Deus.
Isso só vai acirrar ainda mais aqueles que defendem a taxação das contribuições efetuadas pelos membros às Igrejas.
O que precisamos é dar bom testemunho, cumprirmos com as nossas obrigações para com a sociedade e o poder público e focarmos em nossa principal missão que é pregar o evangelho.
Bem, amigos leitores, posso até estar errado, mas é o que penso salvo melhor juízo.
Pr. Carlos Roberto Silva

2 comentários:

Alexandre Barbosa disse...

Eu não creio em crente esquerdista, ou ele é crente ou é esquerdista.

natair correa disse...

Horrível, precisa fazer para os hospitais, creches,ou criar outros projetos, deputados, e isso não é de bom tom para as igrejas, este projeto depôe contra o autor e contra os beficiários dele, o Brasil precisa da pecha de que é o país dos privilégios...péssimo projeto .

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...