domingo, 26 de setembro de 2021

O avanço do Evangelho em um Mundo Pandêmico e Pós-Pandêmico



Em março de 2020, o mundo mudou. As igrejas tiveram que girar operacionalmente em outra direção. Não havia escolha a não ser se adaptar aos níveis crescentes de incerteza, ambigüidade e complexidade não experimentados até então.

A crise do COVID-19 tomou o mundo de assalto. Os aviões foram aterrissados. As fronteiras foram fechadas, negócios também o foram e, até mesmo locais de adoração ficara interditados.

Os líderes pastorais tiveram que agir rapidamente para mudar seu pensamento e abordagem para o ministério do evangelho, enquanto eram inundados por um tsunami de desafios assustadores em um mundo virado de cabeça para baixo.”

Surgiram questões urgentes:

  • Como os líderes podem garantir a saúde e a segurança das pessoas sob seus cuidados pastorais?
  • Como podem lidar com o aumento do desemprego e as implicações para o ministério sustentável?
  • Como devem responder às diretrizes nacionais e locais conflitantes de autoridades políticas e de saúde?
  • Como mantêm seus seguidores unidos em muitas questões potencialmente polêmicas e conflitantes?
  • Como pastorear os membros da igreja à luz das novas restrições?
  • Como se comunicarem online de maneira bíblica e significativa?

À medida que trabalhamos com essas questões nos últimos meses, verificamos uma oportunidade colossal, a qual reconhecer e analisar. Poderia este vírus global  ser o maior incentivador da pregação do evangelho de Jesus Cristo em todo o mundo? Em outras palavras, esta poderia ser uma oportunidade divina à nossa geração para um avivamento bíblico, levando-a à uma transformação e despertamento pessoal, espiritual e orgânico para adoração, discipulado e evangelismo sem precedentes?

Considerando essa mudança de mentalidade, realizamos uma pesquisa e, perguntamos aos pastores diretamente o que eles acreditam ser as maiores necessidades essenciais para manter seu ministério prosperando à luz da pandemia global.

O resultado foi, quatro necessidades primárias expressas por mais de quatrocentos pastores pesquisados, representando três seminários evangélicos conservadores nos EUA:

Primeiro, esses pastores querem aprender como aproveitar melhor a tecnologia para o avanço da adoração online.

Em segundo lugar, eles reconhecem a necessidade de reimaginar a assistência pastoral em meio a restrições sem precedentes.

Terceiro, eles aspiram fortalecer sua própria habilidade de liderança em crises.

E em quarto, esses pastores procuram atualizar suas habilidades de pregação expositiva à luz de uma cultura saturada de multimídia.

Como observamos, essas necessidades críticas só se intensificaram nos últimos meses. Esta pesquisa destaca a sabedoria coletiva compartilhada por esses pastores pesquisados.

Esses pontos em destaques, são apresentados aqui para encorajar ainda mais os líderes do ministério a motivar os membros da igreja a promoverem o evangelho em meio a esta pandemia global.

1. Aproveite a tecnologia para adoração online

A primeira necessidade articulada pelos participantes da pesquisa foi a de aprender como aproveitar as tecnologias atuais e novas para o ministério online e presencial. Isso incluía cultos de adoração em grandes grupos, bem como discipulado em pequenos grupos em todas as idades e fases da vida.

A necessidade mais comum expressa foi na área de treinamento avançado para a implementação de tecnologia para cultos de adoração online e presenciais a distâncias sociais. Na próxima seção, discutiremos a necessidade de discipulado em pequenos grupos e suas tendências online.

Em muitas regiões do país, as igrejas com excelente acesso à Internet se concentraram no desenvolvimento de serviços de adoração totalmente online, incluindo transmissões ao vivo por meio de plataformas de mídia social (68%).

Aproximadamente 30% dos pastores notaram que eles pré-gravam seus serviços e os carregam online toda semana.

À medida que as regiões começaram a se abrir, algumas igrejas optaram por cultos ao ar livre, presenciais ou internos com distanciamento social, combinando sua escolha com uma transmissão simultânea ao vivo do mesmo culto.

Algumas dessas igrejas investiram em uma readequação completa de seu santuário de adoração principal para permitir as melhores experiências de cultos presenciais e online.

No entanto, em áreas rurais onde há tecnologia e acesso à Internet limitados, aproximadamente 6% das igrejas optaram por um serviço de adoração drive-in. Nesses cultos, os membros permaneceram socialmente distantes em seus veículos enquanto sintonizavam uma transmissão de rádio do culto de adoração.

Essas igrejas entregavam gravações de cultos de adoração aos congregados que estavam em casa e sem Internet. O que foi agradavelmente surpreendente foi ver 58% selecionar a outra categoria, conforme observado acima.

Com base em suas respostas na pesquisa, cada igreja personalizou e adaptou de maneira única seus cultos de adoração em torno:

(a) das restrições exclusivas de sua região e

(b) das necessidades contextuais de sua congregação em particular.

Foi encorajador ver como esses pastores estão levando suas igrejas a inovar e integrar uma combinação de abordagens que se movem fora das categorias tradicionais para cultos corporativos de adoração sustentáveis.

Muitos dos pastores pesquisados (75%) concordaram fortemente que os trabalhos online de seu ministério expandiram seu alcance. Além disso, 71% indicaram que visitantes de primeira viagem e pessoas sem igreja participaram de suas reuniões  online como resultado das restrições à pandemia, e 70% prepararam planos específicos para reabrir sua igreja assim que as restrições de reunião forem definitivamente removidas.

Em contraste, apenas 41% expressaram que seu ministério tem um plano para ajudar os visitantes online sem igreja pela primeira vez a se integrarem a um pequeno grupo ou estudo bíblico. Nos próximos dias e meses, o desenvolvimento de um plano para fornecer caminhos acessíveis para visitantes online sem igreja para assimilarem na igreja será importante para sustentar novas oportunidades de expansão e crescimento.

A pandemia global está forçando os líderes de ministério em todo o mundo a repensar as maneiras pelas quais a tecnologia pode ser apropriada para promover o evangelho, e continuar os cultos corporativos de adoração e outros ministérios em meio a restrições significativas.

2. Reimagine o cuidado pastoral

Além de aprender como aproveitar a tecnologia, os pastores pesquisados articularam a necessidade de reimaginar o cuidado pastoral em meio a diretrizes sem precedentes e em constante mudança. Por exemplo, vários pastores indicaram o desafio de encontrar maneiras de pastorear sua membresia durante eventos importantes da vida, como casamentos, funerais ou visitas. Semelhante aos cultos de adoração, as reuniões de grandes grupos, como casamentos e funerais, eram conduzidas dentro dos limites estabelecidos pelas autoridades da região ou também eram transmitidas ao vivo. Um colega compareceu a um casamento transmitido ao vivo. Essa tecnologia permitiu que mais amigos e familiares comparecessem do que poderiam ser acomodados pessoalmente. Convidados espalhados pelos Estados Unidos e internacionalmente participaram do dia especial dos noivos.

A pastoral conduzida por meio de visitas pessoais também teve que se adaptar. Para regiões selecionadas, a visitação de pessoas em hospitais e centros comunitários de idosos continua difícil ou impossível. Os pastores superaram essas barreiras por meio de visitas por telefone, envio de pacotes de cuidados e gravações de sermões. Outros montaram igrejas em estacionamentos de centros residenciais para que os idosos pudessem participar de suas varandas ou janelas. Outros organizaram eventos dirigidos a crianças e viúvas. Outros ainda estão reservando tempo para ensinar e treinar idosos como usar ferramentas de videoconferência para fornecer presença pastoral.

Para as pessoas incapazes de usar a tecnologia atual, escrever cartas e telefonemas continuam a ser maneiras comprovadas de cuidar da alma dos fiéis. Um pastor destacou a importância de “permanecer conectado e ajudar os outros a se conectarem em um ambiente que requer isolamento e distância”.

Outro pastor articulou a necessidade de cultivar “maneiras únicas e criativas de pastorear as pessoas dentro dos limites das Escrituras, mas de acordo com as realidades atuais”.

E ainda outro reconheceu, "temos que ser muito criativos na forma como mantemos as pessoas engajadas, ao mesmo tempo em que percebemos que agora também temos que sempre nos planejar para encontros on-line e presenciais".

Foi notável ver uma mudança radical no uso da videoconferência para a realização de reuniões para o ministério de pequenos grupos antes e depois da pandemia. 

Um dos desafios mais urgentes para os líderes é reestruturar uma prática ministerial  baseada na Bíblia, através da presença pastoral, que associe de forma cuidadosa e intencionalmente, os métodos tradicionais com a nova tecnologia para pastorear o rebanho confiado aos seus cuidados.

3. Crescer na prontidão para liderança em crises

Há uma terceira necessidade expressa pelos líderes pastorais pesquisados. Não há apenas a necessidade de aprender como aproveitar a tecnologia para o ministério online e pessoal e a reestruturar estratégias de cuidado pastoral, mas também uma necessidade significativa de crescer em seu caráter e competência para preparar sua própria prontidão de liderança para crises.

Se os pastores estão sobrecarregados com a dinâmica dos desafios diários ou com a crise inesperada - como a pandemia global - isso prejudicará sua capacidade de adaptabilidade criativa em áreas de ministério online, cuidado pastoral e liderança.

Os pastores devem fornecer estabilidade, segurança e previsão estratégica em meio a significativas incertezas políticas e sociais.

É essencial incutir esperança, promover unidade e um senso de conexão por meio da comunicação regular que incentiva, resolve diferenças e mobiliza a congregação a navegar por águas desconhecidas.

Instilar esperança

Alguns podem descrever a crise pandêmica global como uma pedra nos rins muito ruim, dizendo: "Isso também passará!" No entanto, para todos os líderes pastorais, é muito mais do que uma crise a ser evitada ou algo que você deseja superar. Esta dura realidade é uma oportunidade poderosa para ajudar a igreja a cultivar uma mudança de mentalidade de ministério, pois um pastor pediu oração por “sabedoria para mudar para um modelo de ministério inteiramente novo”. A única maneira de fazer isso é possível para o pastor se manter fundamentado na Palavra de Deus, crescendo na semelhança de Cristo, caracterizado pela confiança na soberania do Senhor, devoção, perseverança paciente e "confiança na fidelidade de Deus".

Fomentar a unidade

Os presbíteros e pastores auxiliares da igreja também precisam promover uma “unidade de visão para novos métodos”, especialmente “à luz dos pontos de vista conflitantes com relação à resposta à pandemia”.

Como outro pastor destacou, "a graça das pessoas umas com as outras em um momento contencioso" é fundamental. Parece que os altos níveis de incerteza produziram muito medo, e esse medo pode contribuir para a divisão na igreja. 

Devemos usar máscaras ou não? Quais diretrizes locais e estaduais devemos seguir e quais devem ser ignoradas? Os pastores podem trabalhar para criar uma cultura de diálogo de respeito mútuo, escuta empática e respostas que exibam o fruto do Espírito. Como disse um pastor, "a maior necessidade é tentar acalmar os cristãos, à luz da soberania de Deus, e lembrá-los de que não temos nada a temer, mesmo se ficarmos doentes e morrermos."

É crucial inspirar esperança, promover unidade e mostrar comunicação frequente para ajudar a isolar os congregados de mais discórdia.

Comunique-se e conecte-se

As pessoas se conectarem” parece ser um verdadeiro desafio para os líderes pastorais no ambiente COVID-19.

Um participante da pesquisa observa, “alcançar efetivamente as famílias e indivíduos que ainda não se sentem confortáveis com o retorno aos serviços presenciais” como um desafio principal.

Outro revelou: “Gostaria de ajuda no planejamento de como me reconectar com os membros e como chegar de maneira mais eficaz”.

E ainda outro afirmou, “temos que ser muito criativos na forma como mantemos as pessoas engajadas”. Como pastores, é vital “comunicar-se com eficácia e inspirar a igreja a tomar a iniciativa de apoiar e amar uns aos outros”.

4. Melhore as habilidades de pregação expositiva

Os pastores desejam aprender novas abordagens para o ministério nas áreas de tecnologia, cuidado pastoral e prontidão para liderança em crises. No entanto, os participantes da pesquisa também ecoaram outra necessidade indispensável - a necessidade de refinar ainda mais suas próprias habilidades de pregação expositiva.

A pandemia global empurrou o pastor comum da pregação para o mundo da transmissão pública de multimídia e mídia social de uma forma nunca antes experimentada na história humana.

Os pastores de hoje não apenas pregam a Palavra de Deus para audiências pessoais, esses pastores agora também pregam simultaneamente para audiências virtuais. Conforme mencionado anteriormente, alguns pastores não têm mais audiências ao vivo, mas apenas sermões pré-gravados para distribuição digital.

Uma das habilidades que os pregadores precisam aprimorar no ambiente de hoje, é a capacidade de se comunicar com clareza. Isso inclui a exegese, a interpretação, a aplicação e a entrega da verdade bíblica de maneiras claras, precisas, interessantes e relevantes que consideram o ambiente online multissensorial conduzido pela mídia social.

Vários dos pastores participantes enfatizaram a necessidade de uma pregação baseada na Bíblia, “nossa maior necessidade é a mesma que a necessidade de:‘ pregar a palavra ’” (2 Timóteo 4: 2).

Outro escreveu: “Precisamos de fidelidade para pregar a Palavra de Deus”. Dito de outra forma, precisamos “fornecer uma visão bíblica sobre nossa situação atual”. 

Ainda outro afirmou, "continue oferecendo ensino relevante", por meio da "bendita obra do Espírito Santo na pregação da Palavra".

Esses comentários, entre outros, foram um lembrete revigorante de que, não importa o que mude em nossa sociedade, cultura e mundo, a Palavra de Deus nunca muda. O evangelho nunca muda. A necessidade dos pecadores quebrantados de encontrarem a fé salvadora somente em Jesus Cristo nunca muda. É um lembrete importante de que devemos voltar aos fundamentos das Escrituras e ensinar bem a verdade e o amor.

Pensamentos finais

O mundo mudou à luz desta pandemia global. E ainda assim, a imutável Palavra de Deus capacita os líderes pastorais a crescerem corajosamente nas áreas de tecnologia, cuidado pastoral, prontidão para liderança em crise e pregação expositiva, a fim de promover o evangelho de maneiras novas e estratégicas em nosso mundo pandêmico (e pós-pandêmico).


Tradução Pr. Carlos Roberto para o Point Rhema

Fonte: The Christian Post

Sobre o autor

O Dr. Barfoot aspira equipar e capacitar líderes globais executivos, pastorais e de ministério educacional que impactem a próxima geração para a causa de Cristo. Tendo servido em uma variedade de capacidades de liderança pastoral em igrejas rurais canadenses e suburbanas asiáticas e americanas no Canadá e nos Estados Unidos desde 1992, ele tem um coração especial para o desenvolvimento de liderança na igreja local. Sua pesquisa mais recente entrevistou pastores para avaliar suas opiniões sobre o ministério da igreja local em meio à pandemia global. Ele e sua esposa, Debbie, têm três filhos, David, Joel e Karissa.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...