sábado, 27 de agosto de 2011

Pr. Silas Malafaia - Entrevista à Revista Época

Pr. Silas Malafaia - AD Vitória em Cristo




ÉPOCA – O senhor é pastor da Assembleia de Deus, mas, diferentemente de outros líderes evangélicos, é muito ouvido por fiéis de outras denominações. Qual é a diferença?

Silas Malafaia – Estou na TV há 29 anos ininterruptos e nunca fiz programas para a Assembleia de Deus. Então, o pessoal me codifica como um pregador. Faço um programa interdenominacional. Sempre trabalhei como uma voz apologética em defesa da fé. Por causa disso, acabei conquistando espaço entre outros segmentos. Hoje, existem quatro pastores em rede nacional: Edir Macedo, da Universal, R.R. Soares, da Internacional da Graça, Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, e eu. Sou o único que sempre fiz programa para todo mundo. Não porque sou bom. É porque não tem espaço, amigo.

ÉPOCA – As igrejas evangélicas ainda têm uma imagem muito estigmatizada entre os não evangélicos. Por que, em sua opinião?


Malafaia – Isso mudou muito, irmão. Hoje, essa história de imagem estigmatizada é cafezinho. Antigamente, nego só botava coisa ruim sobre os evangélicos na televisão, nos jornais. Era só cacete em cima de pastor. Agora tem jogador de futebol evangélico, artista...

"Antigamente, nego só botava coisa ruim sobre os evangélicos na 
televisão, nos jornais. Agora tem jogador de futebol evangélico, artista..."

ÉPOCA – O senhor acha que alguns líderes evangélicos ajudaram a criar essa imagem estigmatizada?

Malafaia – É aquela história de perdas e ganhos que todo segmento social sofre. Algumas atitudes fizeram a gente perder, outras fizeram ganhar. Tome o exemplo da Universal e do Edir Macedo. Ele ajudou em algumas coisas e prejudicou em outras. Ele é um cara que fez a igreja evangélica despertar para um evangelismo ousado, igreja aberta o tempo todo. Antes, as igrejas evangélicas abriam duas vezes por semana à noite. O Macedo é que arrebentou com isso, entende? O lado ruim da coisa é o sincretismo.

ÉPOCA – Qual é sua relação com o bispo Edir Macedo?


Malafaia – Bíblia tem um texto que diz assim: “Poderão andar dois juntos se não estiverem de acordo?”. Eu já ajudei o Macedo quando ele foi preso, mas eles são separatistas, só veem o lado deles. Então, não me presto a andar com uma pessoa que só quer andar com mão única para ela. Sou a favor de mão dupla: para lá e para cá, entende? O Macedo está isolado, todo mundo sabe. Eles só são evangélicos para os outros quando estão com dor de barriga, quando o pau está quebrando em cima deles ou então por interesse político. A comunidade evangélica está madura e não se presta mais a isso.

ÉPOCA – Nos bastidores, circulou a notícia de que o senhor estaria apoiando o PSD, o partido que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, quer construir. Procede?


Malafaia – Amigo, não apoio partido nenhum. Apoio pessoas. Meu irmão (o deputado estadual Samuel Malafaia, do PR-RJ) está querendo ir para lá (o PSD), mas isso é problema dele.

ÉPOCA – Qual é sua opinião sobre Kassab?


Malafaia – Nada a falar contra ele.

ÉPOCA – Mas, no passado, o senhor já se desentendeu com ele...


Malafaia – Eu o critiquei quando ele fechou uma igreja evangélica do apóstolo Valdemiro Santiago. Ser amigo ou respeitar alguém não significa ser capacho ou concordar com tudo o que essa pessoa faça.

ÉPOCA – Na eleição presidencial do ano passado, o senhor apoiou Marina Silva no início. Ainda no primeiro turno, passou a pedir voto para o José Serra. Por que mudou de lado?


Malafaia – Pior do que um ímpio é um cristão que dissimula. A Marina, membro da Assembleia de Deus, sabe que, como uma pessoa de fé, não pode negociar sobre questões de aborto nem de homossexualismo. Ela era contra o aborto, mas por que dizia que faria um plebiscito? Ela quis dar de bacana, jogar para a galera, e eu falei não. Qualquer um podia fazer aquilo, menos ela, por suas convicções de fé.

ÉPOCA – Por que o José Serra?


Malafaia – Acredito que tinha de me posicionar. Naquele momento, o Serra era o mais adequado para isso. Ele mantinha uma posição firme sobre aborto, que foi o grande debate da campanha desde lá atrás. A Dilma dissimulou a história. Ela se posicionou a favor do aborto para a revista Marie Claire, depois mudou o discurso. O único que se coadunava com meus valores e crenças era o Serra.

ÉPOCA – Em sua opinião, o debate de questões religiosas deverá se repetir nas próximas disputas eleitorais?


Malafaia – É lógico. Amigo, hoje em dia governante vai ter de dizer em que princípios acredita. Vai ter de botar a cara, porque a comunidade evangélica está bem esperta, madura. Não vai dar para ficar em cima do muro. Não queremos que nenhum político tenha a ideia de que lutamos por uma República evangélica e que, por isso, ele tem de abraçar nossos princípios e mandar todo o mundo às favas. Não estou dizendo também que o cara, para ter apoio dos evangélicos, tem de odiar os homossexuais. Não é radicalismo imbecil e idiota. Se um governante apoiar leis que privilegiam homossexuais em detrimento da sociedade, vamos cair em cima. Hoje, sou a maior barreira que existe para aprovarem a lei que criminaliza a homofobia. E, se abrir a boca para dizer que apoia o aborto, vai ficar feio também.

ÉPOCA – O que é, em sua opinião, a homossexualidade?


Malafaia – O homossexualismo é comportamental. Uma pessoa é homem ou mulher por determinação genética, e homossexual por preferência apreendida ou imposta. É um comportamento. Ninguém nasce homossexual. Não existe ordem cromossômica homossexual, não existem genes homossexuais. O cromossomo de um homem hétero e de um homem homossexual é a mesma coisa. O resto é falácia, é blá-blá-blá. Só existe macho e fêmea, meu amigo.

ÉPOCA – Por que o comportamento homossexual se desenvolve?


Malafaia – Bíblia diz que, aos homens que não se importaram em ter conhecimento de Deus, Ele os entregou um sentimento perverso para fazerem coisas que não convêm. Do ponto de vista comportamental, é promiscuidade mesmo, meu amigo. O ser humano quer quebrar todos os limites. Quanto mais ele quebra limites, mais insaciável se torna. Ninguém nasce homossexual. É a promiscuidade do ser humano.

ÉPOCA – É possível alguém deixar de ser homossexual?


Malafaia – Nossa igreja está cheia de gente que era homossexual. O cara não nasceu (homossexual). Se não nasceu, amigo... Ninguém nasce homossexual. É uma opção, por uma série de elementos: ou porque foi violentado, ou porque escolheu por modelo de imitação. O ser humano vive por modelo de imitação.

ÉPOCA – E como se dá essa reversão?


Malafaia – Meu filho, essa reversão é o cara voltar a ser macho e a mulher voltar a ser fêmea. Dar forças para o cara vencer isso. Acredito no poder do Evangelho para transformar qualquer pessoa, inclusive homossexuais.

ÉPOCA – Qual é sua opinião sobre os casos de violência contra homossexuais?

Malafaia – Vou te dar alguns numerozinhos para a gente poder desfazer essa conversinha fiada para boi dormir. Os números é que vão dizer: no ano passado, 50 mil pessoas foram assassinadas no Brasil, e 260 eram homossexuais. Que índice é esse para dizer que o Brasil é um país homofóbico? Outro número: mais de 300 mulheres foram assassinadas por violência doméstica em 2010, mas ninguém fala nada. Mais de 100 crianças são assassinadas ou violentamente espancadas por dia, e ninguém fala nada. Sabe por quê? É porque por trás das editorias dos jornais, da televisão existe uma bicharada desgramada que dá toda essa ênfase para eles. Não quero que ninguém morra, amigo, mas o índice (de mortes de homossexuais) é insignificante para a violência que acontece no Brasil. Então, esse é um apelo de propaganda para eles (gays) poderem ter benefícios em detrimento do conjunto da coletividade social. Essa daí é velha, e eu não sou otário. Sei pesquisar os números, e a imprensa não dá os números. Tem mais heterossexual que homossexual sendo assassinado. Você sabe o que é homofobia para os homossexuais? Olhar com cara feia para um gay é homofobia. Não concordar com a prática deles é homofobia. Uma coisa é criticar a conduta, outra é discriminar pessoas. Tudo para eles é homofobia. Essa é a malandragem deles, e eu não caio nessa.

"No ano passado, 50 mil pessoas foram assassinadas no Brasil – e 260 eram homossexuais. É um índice insignificante 
para dizer que o Brasil é um país homofóbico"

ÉPOCA – Os ativistas homossexuais são heterofóbicos?


Malafaia – Acho que eles são uns malandros que ganham verba dos governos federal, estadual e municipal para fazer esse papel. São uns malandros oportunistas faturando em cima da grana que as ONGs deles recebem. Essa é a verdade nua e crua. Não é pouca grana, não. E ninguém fala disso. Os ativistas homossexuais são pagos para esse serviço podre que fazem de chamar todo mundo de homofóbico.

ÉPOCA – O que fazer com o comportamento homossexual?


Malafaia – O comportamento homossexual é um direito que a pessoa tem. O direito de ser é guardado pela Constituição, pelo livre-arbítrio. Não quero que ninguém seja eliminado. Critica-se presidente da República, critica-se pastor, padre, deputado, mas não pode criticar uma prática? Em hipótese alguma. Querer eliminar homossexual é homofobia. Não quero isso. Quero discutir com um homossexual e poder dizer que sou contra a prática dele, assim como os gays podem me dizer que são contra a prática dos evangélicos. Isso é democracia.

ÉPOCA – O que o senhor acha das críticas feitas ao deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) (político contrário às leis que criminalizam a homofobia)?


Malafaia – Você vai ver o Jair Bolsonaro nas póximas eleições. Ele vai ter três ou quatro vezes mais votos que recebeu na eleição passada. A sociedade brasileira é conservadora, 90% da população é cristã. Desses 90%, os evangélicos e católicos praticantes são 70%. Nós somos maioria absoluta neste país, amigo. Pergunto: qual é o deputado gay que teve uma votação expressiva? Esse Jean Wyllys (deputado federal do PSOL-RJ) entrou na sobra de legenda, com 13 mil votos, pendurado num cara (o deputado Chico Alencar, do PSOL, segundo mais votado do Estado). É o mais famoso dos gays e não tem voto, não tem porcaria nenhuma.

ÉPOCA – Como o senhor reagiria se um de seus filhos ou netos dissesse que é gay?


Malafaia – Vou melhorar tua pergunta, aprofundá-la. Se algum filho meu fosse assassino, se algum neto meu fosse traficante, se algum filho meu fosse um serial killer e tivesse esquartejado 50, continuaria o amando da mesma forma, mas reprovando sua conduta. Meu amor por uma pessoa não significa que apoio o que ela faz. Daria o Evangelho para ele, diria que Jesus transforma, que ele não nasceu assim, que é uma opção dele.

13 comentários:

disse...

Adorei, não tem jeito ele as vezes vai pra carne sai do espírito, mas ele bota pra quebrar eu gosto disso. rsss
Vou copiar ok. Paz meu pastor!

Pastor Guedes disse...

Caro Pr. Carlos Roberto,

A Paz do Senhor!

Não morro de amor pelo Silas (basta ver meus posts), mas ainda vejo muita coerência no que fala quando o assunto é defesa da família. Não suporto sua debandada para a teologia da prosperidade e seus argumentos furados (ao lado do Murdock e do Cerullo) para vender Bíblias. Contudo, apesar da entrevista não ser um primor (achei fraca, tanto as perguntas como as respostas), ele ainda tem o mesmo discurso de antes das eleições.

Forte Abraço e parabéns pelo "furo" de reportagem.

No Amor de Cristo!

JOELSON GOMES disse...

O que temos: um cara que diz que Edir Macedo EVANGELIZA e que a casa de Valdemiro é IGREJA EVANGÉLICA. Com um pastor entendido desse quem precisa de guia? É a situaçao dos lideres chaamdos evangélicos desse país, andou com uma Bíblia é crente, e já tem gente dando a paz do Senhor a Mórmon. Deus nos livre desses, até quando Valdomiros, Macedos, Malafaias, Cerullos, Terranovas, R. R. Sorares, e cia limitada desviarão gente e escandalizarão o evangelho?

zilda disse...

Eu tenho lá! minhas restrições com Silas,más este não tem vergonha de ser crente e de lutar pela causa da família e dos princípios de Deus.
Parabéns Silas e que Deus honre o seu povo aqui no Brasil !que mesmos tendo toda a consciência de seu pecado e fragilidade e sendo um povo miserável,e desobediente a sua vontade e até covardes, o senhor tem tido misericórdia de nós!Porque países com grande "educação" que um dia te louvaram e te adorarão hoje estão sendo engolidos e calados.

Renatinha disse...

ele e uma bnçãooo tem ousadiaa ..intrepidezzz ,gosto muito do jeito dle !!

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamigo pr. Carlos Roberto,

A paz de Cristo, o nosso Senhor!

Esta bandeira que o pastor SM lançou, é o que sufoca a vergonhosa campanha dos 900 Reais, 911 Reais e infelizmente a dos doze personagens vislumbrados pelo Dr, MC, que informou ter recebido de Deus esta revelação mentirosa, que deveriam ceder à entrega dos 10.011 Reais.

A bem da verdade, a campanha contra a homoxessualidade, não a vejo exatamente como defesa do evangelho em seu interesse total. E sim, como uma conduta de defesa social de quem avalia a posição homoxessual contra a sociedade, e com a ponta de interesse em se promover e não desfalcar os seus interesses já prosmícuos com a pedição de dinheiro, o que considero uma verdadeira prostituição na sua contribuição nteresseira, que agride a própria viúva pobre.

O fato desta defesa social ao que contraria a natureza humana e prejudica de fato a Família, deve ser atuante por todos os responsáveis por uma sociedade, que está à falência, conforme a Palavra de Deus nos informa, e que seria a marca dos Últimos dias do Final dos Tempos.

Creio que a Falácia da Prosperidade e a vergonhosa atuação sobre os pedidos mentirosos de dinheiro, prejudicam em uma armadilha feroz, o futuro das bases da igreja.

Não podemos nos situar comedidos a uma medida mentirosa e exorbitante de enganos diante da televisão, em que o senso comum à Palavra, é disvirtuado de maneira leviana e que torna-se costumeira pelos que apostam na fé dos ouvintes.

Tratam o evengelho como a uma mesa de cartas em qualquer cassino, e fornecem alguns prêmios para enganar a alguns milhares de "céticos" e vulneráveis necessitados de uma GRANDE BENÇÃO de Deus.

Estes apostam de tudo para verificar se a receberão, por puro interesse marcado pela ociosidade do emocionalismo dirigido, a quem está predisposto a aceitar a qualquer oferta que prestigie de forma direta ao que dá, um pouco do seu patrimônio, para receber a solicita multiplicação das 100 vezes mais.

Triste que este escárnio ao Senhor se produz de forma sutíl e voluntariosa, bem formada por um vernáculo extremamente bem conhecido de todos os líderes que se ajustam e se calam diante desta arrogante forma de pregação do evangelho, e nada fazem por dúvidas em seu coração ou INTERESSE FUTURO, nesta nova velha forma de se direcionar o evangelho por interesses sem valor púdico.

Sinto tristeza destas propostas que somente fantasiam os fantasiados, diante dos seus próprios espelhos que ofuscam a muitos que deveriam estar alertas, e bem orientados quanto ao futuro da igreja.

O Senhor seja contigo, nobre pastor e meus parabéns pela sua atuação em seu programa que completa o seu primeiro ano de valor inestimável aos que necessitam de bom alimento,

O menor de todos os menores, e seu servo.

Juber Donizete Gonçalves disse...

Prezado Pr. Carlos Roberto,

O Silas faz sucesso, porque a sua fala é igual ao que muitos crentes pensam e o veêm como uma "voz", ou seja, alguém que tem coragem de expressar o que eles pensam. Mas não é o meu caso, pois discordo de muitas práticas e discursos dele, mas é claro, que algumas vezes sou obrigado a concordar com ele. Mas dizer que apoiou o Serra nas eleições porque suas crenças e valores coadunam mais do que com a evangélica Marina Silva, foi demais para mim. Afinal, Serra é adepto do marxista Grasmici, sendo provavelmente ateu, apesar de não admitir isso, com medo de perder votos como o fez FHC em 1985, nas eleições para prefeito de São Paulo.

Anônimo disse...

Resposta da IPDA aos ataques de Lana Holder

http://www.youtube.com/watch?v=rBzql_sir7Q&feature=player_embedded

Silva disse...

Nós evangélicos devemos combater sim o homossexualismo, mas estamos esquecendo de combater as raízes de tal prática que é o mais importante. Na minha opinião essa tal de “igualdade entre os sexos” é uma das principais senão a principal causa do homossexualismo pois equipara homens e mulheres. E aí as crianças nascem nesses lares sem ter referências pois os papéis sociais dos pais estão a cada dia mais parecidos. Os meninos terão mais chance de tornarem-se gays e as meninas lésbicas no meio dessa confusão de papéis,e nós homens que não combatemos isso, estamos desprezando nosso papel de liderança porque temos medo de sermos tachados de “machistas”, na verdade morremos de medo dessa palavra.Nas igrejas evangélicas a “igualdade entre os sexos” não somente não é combatida mas é ensinada mesmo que de forma sutil, principalmente na semana do “dia internacional da mulher”. Temos feito essas escolhas e teremos que pagar por elas.

*Patricia* disse...

Tem horas até que ele fala uma coisa certas, mas já perdi aquela ilusão que tinha por ele me decepcionou muito.

edna disse...

Edna disse...

Muito bom,gosto do modo do Pr. Silas defender a familia e a palavra de Deus. Ele tem coragem de falar o que é certo, coisa que muitos não tem, preferem ficar falando uns dos outros.

PARABÉNS PR. SILAS!!!

André Luiz disse...

A paz a todos!
Aceitei o evangelho e o sr. Jesus em minha vida numa madrugada ao chegar de uma 'balada' e sentindo um enorme e inquiedor vazio, como sempre, liguei a tv e vi o pastor Silas Malafaia pregando... De lá para cá, mesmo sendo orientado pelo modo que ele prega o evangelho, confesso que nem sempre concordei por completo em seus posionamentos! Mas, quanto a esse assunto não há o que discutir, concordo plenamente com as palavras do pastor! Que Deus nos abençoe e nos dê dissernimento para não caírmos em perdição quanto ao distinguirmos amor ao amor e amor a podridão!

disse...

O Silas é tão intenso que provoca em todos amor e ódio ao mesmo tempo rss. Todos sabem que Silas esta mais do que queimado no meio cristão na Blogosfera e por aí vai. Mas neste caso sou a favor dele. Aprendi a separar as coisas, sei que há outros interesses dele, mas se for pra defender os valores cristãos contra o ímpio eu o apoio, só nesta questão é claro. E quando ele vacila sou a primeira a denuncia-lo. De resto, não me iludo mais com ele.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...