segunda-feira, 25 de março de 2013

Sucessão pastoral, litígio e sucessão papal - Que inveja!

Papas Francisco I e Bento XVI

Os noticiários informam sobre a visita do Papa Francisco I ao seu antecessor Bento XVI no dia de ontem, dando assim uma visão clara de uma transição pacífica ou no mínimo educada, cordial e fraterna entre os dois pontífices da Igreja Católica.

Sei de antemão que serei criticado pela comparação, mas não seria o caso de aproveitarmos o ensejo para uma reflexão mais profunda sôbre o clima de transição entre nossos líderes evangélicos?

Antes que pensem que estou me referindo diretamente ao órgão maior da ordem convencional que pertenço, ou qualquer outra convenção, quero deixar claro que me refiro aqui mais diretamente às próprias sucessões pastorais nas congregações, igrejas e ministérios, independente de que porte sejam e, nesse sentido, as questões convencionais são apenas sequênciais.


Com um pouquinho de experiência nessas situações, digo de sucessão pastoral, tenho que admitir que é bem difícil isso acontecer, ou seja, essa "ainda que aparente" tranquilidade. Para ser mais claro ainda, é raridade um clima assim tão amistoso. Isso só acontece quando a sucessão é programada e preparada, recaindo a responsabilidade do novo pastor ser um dos assessores do antigo e ou alguém da familia. Caso contrário, sempre tem alguém descontente, reclamando, resmungando, mudando de Igreja e ministério, familiares se desviando, esbravejando, ameaçando processos na justiça e coisas semelhantes, e até desconfiança do processo eleitoral quando existe.

Mesmo no caso de congregações e ou setores, cujos ocupantes da cadeira são nomeados pelo líder maior da igreja, ministério e ou denominação, o que sai propala por todos os cantos que deixou a melhor igreja possível, e o que chega diz que encontrou a coisa séria, ou na melhor das hipóteses de que, "não era bem assim como o outro dizia", ou no mínimo um "clima frio e de indiferença" entre sucessor e antecessor.

Quando se trata então de Pastores presidentes, ai é que a coisa pega, geralmente o descontentamento abala todo o segundo escalão de assessores eclesiásticos, familiares e simpatizantes, os quais não se conformam com as mudanças e se tornam uma espécie de "viuvas descontentes".

No afã de procurarmos fazer justiça, temos que admitir também que, em algumas situações o clima é realmente provocado por quem chega, uma espécie de reprodução da velha história: "aos amigos, tudo; aos inimigos, o rigor da lei". É a politização do sagrado. Há casos de Pastores de Honra e ou Emérito, como queiram, os quais não podendo mais congregar regularmente, são esquecidos até na hora da ceia, ou quando muito mandam um desconhecido diácono levar a ceia ao antigo pastor. Se a banda toca por aí, imaginem em outros quesitos mais internos, como sustento e ajudas de manutenção.

Exatamente por esses e outros motivos similares, a ganância pela obtenção e manutenção do poder é tanta, que tenho acompanhado casos de gente que já perdeu totalmente a condição física, mas não deixam o cargo e a Igreja sofre.

Há casos escabrosos que o líder não tem mais autoridade espiritual e nem moral para estar à frente do rebanho, com pecado confessado e tudo, mas o sujeito insiste em ficar no púlpito, grudado na cadeira,  até mesmo com outro já eleito para o seu lugar, e só sai após as chaves do templo serem trocadas por decisão judicial, através de uma ação de reintegração de posse. Vergonhoso isso! - Não falo daquilo me disseram, mas de casos que tenho participado como moderador.

Conheço o caso de um jovem pastor escolhido legitimamente e democraticamente pela Igreja, mas que renunciou por não suportar a pressão psicológica do seu antecessor e familiares, por fim, infelizmente, saiu e abriu uma nova igreja na mesma cidade, com aqueles que o seguiram. Porventura, isso é bonito e elogiável entre nós?


Agora, só poque sou evangélico, nunca fui católico e não pretendo ser, e isso por convicção propria e baseado na doutrina bíblica, sou contra o papado e todas as demais heresias da Igreja Católica, vou dizer que está errada ou não é de fato "invejável" essa atitude entre os papas? Ora, se há quem diga que isso é hipocrisia, pelo menos estão sendo éticos e cordiais diante do rebanho e coerentes com a mensagem que pregam, e isso PARA NOSSA VERGONHA! Gente, já diz o adágio popular "não há como tapar o sol com peneira"



Bem, quanto as convenções, ah as convenções, para não dizerem que nada disse, ainda creio que são uma extensão da Igreja, e só estou nelas porque sou pastor, e só sou pastor porque sou crente, e já tem gente dizendo que lá é diferente, vale tudo, afinal convenção não é igreja...

Se convenção não é Igreja, o que que pastor tem que está fazendo lá e ainda gastando dinheiro da Igreja para lá se manter? Liminar pra lá, medida cautelar pra cá, agravo de instrumento... Para quem serve I Coríntios 6: 1-11 - Esse povo é crente em que e em quem?

Meu Deus, onde vamos parar?

Já que é assim, então vou "datenizar": ME AJUDA AÍ Ô...,

E como comecei "catolicando", se é que me entendem: "vamos devagar com o andor que o santo é de barro"

A Bíblia diz:

Fomos chamados (ungidos e portanto separados) para sermos "Sal da Terra e Luz do Mundo" e ainda mais que "a nossa justiça deve exceder à dos fariseus", mais também diz que "os filhos das trevas são mais prudentes que os filhos da luz"

E também como está na moda:

Pronto, falei!

Que Deus tenha misericórdia de mim e de todos nós!

Pr. Carlos Roberto Silva -  Envergonhado com tudo isso, mas evangélico convicto, no melhor e mais original sentido da palavra!

28 comentários:

ROBSON SILVA disse...

O tom pode até parecer de desabafo, mas a dose foi na medida certa!

Chega de dourar pílulas... A verdade é esta mesmo: "duela a quien duela" (sic)...

Forte abraço!

Wellington Borges disse...

""In necessariis unitas, in dubiis libertas, in omnibus caritas” ( No imprescindível, unidade;na dúvida, a liberdade; em tudo, a caridade). Santo Agostinho. Parabéns por suas sábias reflexões."

Jrag disse...

A questão maior é que muitas vezes existem questões e divisões entre transições de pastores por que os mesmos ainda precisam ser mudados,ainda precisam converterem e deixarem a natureza caida morrer e deixar Cristo viver neles. Não é o titulo que o faz mais cristão, mais a postura e a comunhão com Deus e a semelhança com Cristo. Sem falar que a transição Papal é mais politica do que religiosa, e com certeza a guerra espiritual que enfrentam as vezes não tem o mesmo peso do que aquele que vive e prega o verdadeiro evangelho. Creio que questões assim devem ser trabalhadas nas convenções e não pela internet, por que isto tem trazido confusão na mente das pessoas e dos impios, por que constantemente vemos os proprios irmãos criticando uns aos outros pela internet. Não podemos ser coniventes com os erros, mais temos que atacar o mal pela raiz, e não apenas podar os galhos e criticar os frutos que nasceram ruins. Que o Senhor sare a sua igreja e nos faça resplandecer cada vez para a gloria de seu nome.

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro JRAG

Tenho o mesmo sentimento que o amado, e também compartilho dessa tratativa nas convenções, e eu, em particular tenho batido nessa tecla.

A única coisa que pensamos diferente, talvez por estágio de conhecimento, é que os que assim agem, j;a levaram e expuseram nossas entranhas a juizes não crentes e até mesmo ímpios, nas barras dos tribunais, e outros tantos em Rede nacional de televisão.

Que Deus tenha misericórdia de nos. Volte sempre por aqui, seu comentário é agregador.

Um grande abraço,

Seu conservo em Cristo,
Pr. Carlos Roberto

Anônimo disse...

O que me faz discordar um pouco é que em se tratando de papa podem esbravejar de ambientes dotados de objetos da riquezas, nos quais até ouro se coloca até o teto, com salas onde apenas eles pisam e ninguém diz nada por "respeito" ou receio. Se no caso fosse um pastor rodeado dessas regalias não faltavam comentários. Se acha que estou errado tenta fazer uma visita ao papa, tenta entrar em contato direto sem assessória para ver se é recebido. E visita também uma igreja católica na Europa especificamente para observar os tetos. Bom, defendo meus pastores porque apesar de eu ser apenas um membro, sem está sempre próximo a eles diretamente reconheço suas limitações. Acho que não seria possível que alguém que renunciou fosse se importar em desconsiderar o outro. Ou mesmo que o que está acabando de chegar fosse incoerente a ponto de menosprezar o outro de prontidão tendo o mundo todo a o observar. O modo como se comportam é dever deles, ainda que os pastores tenham que ter atitudes como esta. Portanto, nada admirável ao meu ver.
Este texto faz-nos pensar que todos os pastores ou maioria são iguais em desunião. o que não é verdade.
Escrevo apenas para reflexão, não precisa publicar.

Pr. Ivan Pereira disse...

Parabens pastor pela bela mensagem...

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro(a) comentarista anônimo(a)

A Paz do Senhor!

Grato pela sua honrosa visita.

Tenha convicção que não tenho qualquer admiração ou respeito pela ostentação de riqueza do Vaticano em Roma.

Meu ponto de vista foi apenas "pontual" quanto a um quesito que também devemos ser exemplos.

Sou pastor hà quase três décadas e respeito aqueles que comigo trabalham, assim como todos os meus superiores, no entanto, nossos problemas precisam serem ratados de frente.

Quem me conhece, sabe muito bem que sempre fui contrário a exposição dos nossos problemas, mas infelizmente, levaram para a mídia nacional e agora precisamos ter discernimento para separarmos o "joio do trigo".

Publiquei seu comentário porque, mesmo sendo anônimo, não agride qualquer pessoa e, ainda me dá a oportunidade de esclarecer e atingirmos nosso alvo que é a reflexão.

Tenha liberdade de visitar este blog e a tranquilidade de assinar seus comentários. O contraditório educado, aqui é sempre bemvindo.

Um grande abraço,

Seu conservo em Cristo,

Pr.Carlos Roberto

Pastor Geremias Couto disse...

Meu caro amigo e pastor Carlos Roberto:

Tirando todos os senões da Igreja Romana que o preclaro mencionou em seu texto, com os quais não fazemos coro, as fotos são ilustrativas e falam mais do que mil palavras. Se, para os católicos, têm um peso enorme, deveria ter, pelo menos como exemplo, o mesmo peso para nós, evangélicos.

Abraços!

Carlos Bernardes S. disse...

Concordo pensava nesse tema hoje à tarde. Estamos vendo candidatos levanto propostas em TV aberta, acusações de desonestidades, depois iremos em Brasília e lá encontraremos a urna eletrônica. Onde está o Espírito Santo nisso.
Minha opinião é que fizeram daquilo que é sacro, vil.

Josafá disse...

Graça e Paz,Pastor Carlos; brilhante explanação e colocação dos fatos, como eles realmente devem ser vistos e analisados à luz do que diz a Bíblia e segundo a coerência dos nossos "nobres" dirigentes das casas de orações.
De nada, ou para nada serve toda uma estrutura técnico-fática e humana que alicerça a obra, quando de fato tudo aquilo que se prega em nome de DEUS, não é vivida em espirito e em verdade;daí toda uma exposição desnecessária, perniciosa à Igreja e que torna o Sacro Santo" muitas vezes dispensável.
A Igreja de DEUS, precisa sim de "oxigenação",isto é fato, más quando falo isto, refiro-me exclusivamente à homens, e não às doutrinas;pois estas sim devem ser inflexíveis, imutáveis e acima de tudo INEGOCIÁVEIS.
Meu querido irmão em Cristo, me desculpe se falei para mais, não tenho aqui o condão de ofender ninguém e/ou egos más de dizer aquilo que penso e de declarar aqui meu total alinhamento com que V.Sª diz brilhantemente.
Fique na paz e que o Senhor JESUS,lhe abençoe grandemente, AMÉM?

Uilson Camilo disse...

Pr Carlos, Paz do Senhor!!!!

Concordo plenamente com sus palavras, precisamos mesmos que muitos de nossos líderes tome como exemplo a transição Papal.
Que Deus tenha misecórdia de nós e nos ajude.

Uilson Camilo

disse...

Eu adorei o desabafo rs, é bem por aí mesmo, é assim e mais um pouco. Eu adoro quando o senhor escreve e louvo a Deus pela sua vida e ministério. Paz querido!

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo, Pb. Robson Silva,

A paz do Senhor!

Disseste bem, parece desabafo, mas não é. O sentimento é real, apenas precisamos esperar o momento até para falar. rsrs

Grato pela honrosa visita do Prossigo para o alvo e seu editor.

Saúde & Paz!

Seu conservo em Cristo,
Pr. Carlos Roberto

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo Wellington Borge
DD. Secretário de Cultura da PMC

Como disse o apóstolo Paulo: Ainda que eu falasse a língua dos anjos e não tivesse amor, de nada adiantaria.

Grato pela honrosa visita ao Point Rhema!

Saúde & Paz!

Pr. Carlos Roberto

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro Pr. Ivan Pereira,

Grato pelo honrosa visita e comentário.

Saúde & Paz!

Pr. Carlos Roberto

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e pastor Geremias Couto,

A Paz do Senhor!

Exatamente, nós é que deveríamos ser os guardiões dessa bandeira.
Grato pela honrosa visita!

Pr. Carlos Roberto

Anônimo disse...

JERRI disse : Fico feliz po ver que existem PASTORES de nossa igreja (ad) com coragem para dizer o que tem de ser dito, sou membro, mas fiquei filiz especialmente quando o senhor fala que convenção é sim parte da igreja se assim não fosse porque então pastores estão lá com o dinheiro das igrejas e tudo o mais?. QUE DEUS EM CRISTO O ABENÇOE!!! OBS: tenho perfil no google+ mas não sei como fazer os comentarios me utilizando do mesmo, mas estou tentando aprender.

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Carlos, tenho expressado este mesmo sentimento em vários de meus posts. Não estamos fazendo a diferença, nem fazendo diferente das muitas sucessões mundanas que terminam em confusão e inimizade. Sem querer dar ideia, só falta agora que hajam mortes e agressões físicas.

Abraços!

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Prezado Carlos Bernardes S.

Grato pela honrosa visita neste singelo blog.

Creio que é o próprio Espírito Santos que nos alerta para vigiarmos e orarmos a esse respeito. Para tudo há um limite, e muitos já passaram dele.

Oremos!

Volte sempre por aqui!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro comentarista,
irmão Josafá,

A Paz do Senhor!

Grato pela honrosa visita à este singelo blog, bem como pelas alertadoras palavras, que nos levam a refletir e repensar uma administração de caráter mais espiritual para a Igreja dos nossos dias.

Volte sempre!

Pr. Carlos Roberto

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo, Pb. Uilson Camilo,

Grato pela honrosa visita.
Seu comentário é exatamente o que precisa acontecer.

Um grande abraço,

Pr. Carlos Robertoi

Pr.Daniel S Acioli disse...

Meu nobre amigo e Pastor Carlos Roberto!

Confesso publicamente e sem intenção de ofender a quem quer que seja, a muito que caminhar, tenho chorado e no coração lamentado pelos rumos que este movimento tomou.

A sucessão pastoral virou disputa campal, liminares e ações judiciais, compra e venda de igrejas de porteiras fechadas, denuncismo via televisão, internet, jornais e afins!

Socos e pontapés em assembleias de posse, não é raro ver fotos de rostos ensanguentados, sopapos e difamações!

Traições e falsidades são efetuadas pelas vantagens pecuniárias, os bastidores e articulações de como derribar o companheiro, irmão e amigo, virou rotina!

Ao ler a Bíblia Sagrada e vejo os seus ensinos e comparando com a prática existente no mundo eclesiástico, me questiono: Somos Crentes?, Cristãos?, Servos de Deus?, Comprados com o Sangue de Cristo? Ou mercenários interessados na lã da ovelha e de poder temporal?

Creio que o modelo bíblico nos ensina a ser diferentes do mundo.

Mas, é com tristeza que ouço outro tipo de alarido e não é bom!

Curvo-me diante de Deus e tenho pedido: Misericórdia Senhor! Misericórdia Senhor!

Não permita que venha perder a caminhada em direção ás moradas celestiais!

Pensando como o Apóstolo Paulo...Combater o bom combate, acabar a carreira e guardar a fé!

A continuar o que estamos vendo, muitos combatem um mal combate, sai na carreira e perdem a fé!

Deus se apiede de nós!

Seu em Cristo

Pr. Daniel Sales Acioli

Ozires Reis disse...

Pastor, este texto veio em tempo, pois a convenção está chegando.

Jeferson Martiniano, Pr. disse...

"Caro Companheiro Pr Carlos Roberto Silva,realmente nós como Obreiros do SENHOR,temos que ser exemplo dos Fiéis!! Temos que nos Amar uns aos outros e lavar os pés uns dos outros,como fomos ensinados pelo SENHOR JESUS CRISTO!!! ELE nos cobrará,haverá o momento do acerto de contas e Bem aventurado aquele que atenta para a PALAVRA DE DEUS!!! Estamos todos avisados que o Mestre será julgado com mais rigor. PARABÉNS por sua reflexão!! Deixa DEUS te usar e vamos nos breve virá!!! Amém,ora vem SENHOR JESUS."

edna disse...

Edna maria

Pr. Carlos Roberto.
É isto mesmo que acontece, presenciei na minha congregação no ano passado. Uma simplis troca de pastores, tem gente machucada até hoje. O que se foi não foi, continuou como se estevesse na igreja,controlando os menbros, o que chegou teve que sair, foi terrivel.
A paz do Senhor

Mark Lemos disse...

Parabens Pr. Carlos por expor mais uma vez o que todas as pessoas coerentes como voce ja estao enxergando a muito tempo.

A cegueira pelo poder, influencia politica e dinheiro, estao dividindo familias, igrejas, convencoes estaduais e ate a nossa CGADB. Tudo isso poderia ser resolvido de uma forma simples: COPIAR O GESTO HUMILDE DE BENTO XVI. Reconhecendo que sua permanencia traria mais divisao, ele escolheu dar uma oportunidade para alguem mais jovem, para trazer conciliacao e cura.

Me parece que muitos de nossos lideres, ou nao conhecem a Biblia ou perderam totalmente o temor de Deus. Vemos nas Escrituras que Deus agiu severamente com Juizes, Reis e Profetas que comecaram a banalizar e deturpar as ordens Divinas. Quando estes nao sofreram em vida por suas mazelas, seus filhos e netos pagaram um alto preco.

"....de Deus nao se zomba, tudo quanto o homem semear, isso tambem ceifara...."

Mark Lemos

Arieuston Gomes disse...

Prezado Pr. Carlos, seu texto é verdadeiro e sincero.
Aclara bem a vida de milhares de obreiros que sofrem... sim, sofrem não por que são substituídos, mas sofrem pela FORMA como são substituídos.... lastimável, deprimente e insustentável situação. Maranata!!!

Oséias disse...

No ano passado, sem mais e nem menos, meu foi convidado pelo nosso pastor setorial e subitamente foi convidado para se evangelista, ficamos pasmos de felicidade, mas eu particularmente fiquei intrigado e fui questionar a um de nossos lideres o "por que" disso tudo e pasmem, qual foi a resposta mágica? Outra pergunta como resposta: você não sabe? (dããã, se perguntei é porque “acho” que não sabia) "no próximo ano teremos eleição e o nosso líder maior pediu a consagração de “tantas” pessoas do nosso setor"; Assustado perguntei, como assim? para ir ao ministério não tem toda uma preparação, chamado, aceitação e por ai vai...? respondeu: "pois é meu querido, era para ser sempre assim mas precisamos de pessoas nesta eleição mais do que nunca se não as coisas vão ficar feia, então pegamos as pessoas mais comprometidas e..."
Pois bem, meu pai não foi ao ministério porque Ele tinha um chamado, mas compraram o seu voto lhe dando uma patente maior, e um homem de 65 anos vai de carona daqui de São Paulo a Brasília, aposentado com um salario mínimo e meio, sem nenhum recurso da igreja, com problema seríssimo na coluna (foi aposentado por invalides) para dar o seu voto pois acredita que o chefe é o máximo.
De lá para cá eu descobrir o que nunca deveria, era apenas a ponta do iceberg o fato do meu Pai o que eu tinha descoberto, e por um acaso o filho do chefe maior é o meu pastor setorial (da qual eu congrego com Ele).
As coisas para mim tomou outro rumo, cristão e temente a Deus desde o berço, hoje não acredito mais no que pregam nos púlpitos, pra mim infelizmente, acredito que tudo é hipocrisia e carta marcada, duvido sempre de tudo que falam e estou deixando de ir a igreja, minha esposa é pianista da orquestra e eu um ex saxofonista, ex coralista, e outras atividades que exercia não participo mais pois pra mim tudo é muito arranjado e hipocrisia, um outro grande exemplo disso é o maestro do coral que é mandado pela esposa e não tem competência nenhuma e diz que a “obra de Deus” é assim mesmo, usam o argumentos de que “são escolhidos de forma que ninguém podem entender pois é mistério de Deus”, será? Ou porque puxam o saco do Pastor? Não satisfeitos ainda assumiram a orquestra. Dai você me pergunta: mas está crescendo? Depende do ponto de vista, na minha já perdemos mais da metade mas na Deles, Deus está separando o trigo do joio, pode uma coisa dessa?
Tenho em mente que a nossa base começou muito mau, a 100 anos atrás, formaram pastores sem base nenhuma e apostando que se dessem poderes a Eles e dissessem que era de Deus estaria tudo certo, e acertaram em cheio, criticamos os Batistas, Metodistas, Adventistas, Mórmons (e até Deus quando as coisas não são como queremos) mas nunca vemos estas e outras igrejas envolvidas em escândalos, admiro muito os batistas em termo de administração, são muito organizados mas ai vem a parte absurda que a nossa igreja pregavam para que não acreditássemos neles: Eles não acreditam no “batismo do Espírito Santo”, são isso, são aquilo, e olha que ironia, Eles tem uma formação, cultura, administração que começou a ser formada no século II, pesquisem um pouco e confirmarão a linda história deles, e nós? Começamos a 100 anos atrás e já achamos que somos os donos da verdade, ??????
Igreja pra mim hoje é: “PODER”, poder este que não é de Deus, mas sim totalmente dominado pelo HOMEM.... vergonhoso.
Me desculpem se não concordam comigo, pelo “desabafo”, mas pra mim é tudo heresia!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...