sábado, 14 de março de 2015

Ensino religioso: STF convida Assembleia de Deus para se pronunciar em audiência pública


STF marca audiência para debater ensino religioso nas escolas públicas

Entidades religiosas foram convidadas a participarem de uma audiência pública organizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para discutir o ensino religioso nas escolas públicas.
O evento foi marcado para o dia 15 de junho e fará parte de um processo aberto por uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) movida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) que pede que a Corte reconheça que o ensino religioso é de natureza não confessional. A ADI pede que a contratação de professores “representantes de confissões religiosas” seja proibida para dar este tipo de aula.
Para este debate o STF convidou representantes de diferentes religiões como a Confederação Israelita do Brasil (Conib); Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB); Convenção Batista Brasileira (CBB); Federação Brasileira de Umbanda (FBU); Federação Espírita Brasileira (FEB); Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (Fambras); Igreja Assembleia de Deus; Liga Humanista Secular do Brasil (LIHS); Sociedade Budista do Brasil (SBB) e Testemunhas de Jeová.
Além desses representantes o STF oferece a oportunidade de estudiosos de diferentes ramos participarem da audiência, desde que se inscrevam apresentando suas especialidades por meio de um currículo. Os interessados passarão por uma seleção e apenas algumas serão convidados a participar da audiência.
Na visão da PGR o professor de ensino religioso não pode tomar partido de uma religião, ensinando em sala de aula o conteúdo programático que consiste em fazer a exposição “das doutrinas, das práticas, das histórias e da dimensão social das diferentes religiões”.
A ação foi movida em 2010 pela então vice-procuradora Débora Duprat que contesta o ensino religioso que é apresentado nas escolas por ele adotar o “ensino da religião católica” e de outros credos, o que estaria afrontando o princípio de laicidade do Estado.
Com informações EBC via Pr. Daladier Lima
Meu comentário:
O referido convite é uma excelente oportunidade para marcarmos nossa posição a respeito do assunto, o que não temos feito em oportunidades semelhantes.
Resta saber, qual das convenções foram oficialmente convidadas, se CGADB, CONAMAD, outra independente, ou todas.
Creio que, como ainda há muito tempo suficiente, é hora dos nossos parlamentares no Congresso Nacional entrarem em ação, no sentido de que sejamos dignamente representados, bem como nossos líderes demonstrarem o interesse que representa o desejo da maioria dos assembleianos, principalmente aqueles envolvidos com a educação. Oremos!

Um comentário:

Pastor Geremias Couto disse...

O prazo para as inscrições termina no dia 15 de abril. Não se pode perder tempo. Não importa qual delas tenha sido convidada, a CGADB deve fazer-se representar pelo órgão que trata do tema nessa área e não enviar políticos para desempenharem um papel que não lhes cabe neste caso específico. Relevância se mostra dessa forma.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...