quarta-feira, 11 de março de 2015

Google, Coca, Apple, Microsoft e Facebook pró-casamento gay


Empresas apelam para "o valor da diversidade" e argumentam que a proibição ao casamento gay pode ser uma barreira no ambiente de trabalho

A pressão pela mudança dos valores e do conceito de família nos Estados Unidos é intensa. Apple, Facebook, Google, Microsoft, Coca-Cola e Johnson & Johnson estão entre as 379 empresas que apresentaram um documento na Suprema Corte dos Estados Unidos, pressionando o fim da proibição do casamento gay em estados americanos.
Segundo o documento, enquanto não é aplicado um princípio de igualdade, seus funcionários sofrem com significativos problemas. As empresas apelam para o valor da diversidade e da inclusão no ambiente de trabalho, argumentando que a proibição do casamento gay pode ser uma barreira no recrutamento e treinamento de funcionários.
"As leis estaduais que proíbem ou se recusam a reconhecer os casamentos entre casais do mesmo sexo prejudicam os esforços para recrutar e manter a força de trabalho o mais talentosa possível nesses Estados. Nosso sucesso depende do bem-estar e moral de todos os trabalhadores, sem distinção", diz o documento lançado nesta quinta-feira (5).
Ontem, a Suprema Corte disse que ouvirá representantes das empresas em 28 de abril nos estados onde casamento entre homossexuais são ou banidos como Michigan, Ohio, Tennesse e Kentucky. Em novembro, o Tribunal de Apelação dos EUA confirmou as proibições nesses locais – já que, anteriormente, a Suprema Corte havia dado o sinal verde para o casamento entre homossexuais.
Essas “leis estaduais inconsistentes e discriminatórias” levam a desnecessárias confusões, tensões, além da diminuição da moral dos funcionários, defende as empresas.
Ainda ontem, a Suprema Corte disse que no dia 28 de abril ouvirá representantes dos Estados que proíbem o casamento gay – Michigan, Ohio, Kentucky e Tennessee. Anteriormente, a Suprema Corte havia aprovado o casamento gay no país. Mas em novembro, o Tribunal de Apelação dos EUA confirmou as proibições nesses estados. 
A Tiffany & Co., uma das maiores joalherias do mundo, também aderiu ao movimento homossexual em sua campanha, apresentando um homem de joelhos pedindo outro em casamento tendo nas mãos uma caixa trazendo um anel da Tiffany.
Fonte: Guiame, com informações de USA Today via CPADNews

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...