domingo, 16 de agosto de 2015

APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS - LB Adultos EBD/CPAD - Lição 8 - 3º Trim./ 2015 - Subsídio Teológico


APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS - LB Adultos EBD/CPAD por Adaylton de Almeida Conceição


Vivemos em dias tão difíceis onde o mundo vai de mal a pior, onde as pessoas não querem saber de Deus, onde o evangelho é desprezado, onde a palavra de Deus é desconsiderada. Os cristãos deveriam ser a diferença, como o Senhor Jesus disse, "o sal da terra" e a "luz do mundo", mas na realidade, quando olhamos para o cristianismo de hoje, vemos que esta premissa está deixando muito a desejar.

Deus nestes dias tão trabalhosos tem contado muito com aqueles que se dispõe a fazer a sua obra dentro dos parâmetros da sã doutrina. Certamente, nunca faltaram tantos voluntários para trabalhar na seara do Senhor, como nos dias de hoje. Talvez você possa dizer que nunca houve tantos evangélicos como nos dias de hoje. Porém, uma coisa não tem nada ver com a outra, já que, a salvação é dada pela graça de Deus

Considerando o Evangelho 

Paulo começa o capítulo 2, dando uma exortação para que Timóteo se mantenha firme na fé, se fortalecendo na graça que ele recebeu em Cristo Jesus.                                                   
Paulo disse a Timóteo na sua segunda carta, capítulo 1 e versículo 8, as seguintes palavras: 

"antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus". Apesar de Timóteo ser jovem, ele tinha uma grande responsabilidade em relação ao evangelho; mesmo não tendo o dom de evangelizar, teria que fazer a obra de um evangelista. Observe o que diz em 2 Timóteo 4:5: "mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista". No capítulo 2 e no versículo 3, Paulo disse: "sofre, pois, comigo, as aflições, como um bom soldado de Jesus Cristo". No capítulo 3, versículo 11, ele fala de suas aflições que aconteceram em Antioquia, em Icônio e Listra, e, no versículo 12, ele diz que aquele que quiser viver piamente em Cristo padecerá perseguições. Timóteo deveria ser diferente em todos os aspectos, observe as expressões: "Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus" (2:1). 

Timóteo foi um dos líderes mais destacado da igreja primitiva.

A esse jovem líder, o apóstolo Paulo escreveu duas de suas epístolas. Sua mãe era judia e seu pai grego (At 6.1). Timóteo tinha bom testemunho em sua cidade e também fora de seu domicilio (At 16.2).

Em  um comentário anterior sobre as Pastorais, notamos que a  ênfase de Paulo nestas duas cartas (I e II Timóteo) está sempre voltada à palavra de Deus. Tudo o que Timóteo precisava, tanto para corrigir erros doutrinários como para ficar firme no meio de tribulação, ele poderia achar na palavra do Senhor. Por este motivo, Paulo exorta a Timóteo: “aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino” (1 Timóteo 4:13), e “procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro…que maneja bem a palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15).

O Apóstolo Paulo, tendo encorajado Timóteo a continuar no seu serviço de evangelista (veja 2 Timóteo 1:6-8,13-14), Paulo agora o exorta a encarar os sofrimentos deste trabalho, desenvolvendo as seguintes características do ministro fiel: Mestre da palavra (2:1-2). Em sofrimento, o servo de Deus deve procurar força na graça de Deus, e não em sua própria capacidade ou sabedoria (2:1; veja Hebreus 12:28; Tito 2:11-14; 2 Coríntios 12:7-10). Assim fortificado, é necessário que o servo ensine a palavra da graça de Cristo para outros (2:2; veja Atos 20:32). Nisto notemos duas coisas importantíssimas: É a vontade de Deus que a mesma palavra se passe de uma geração para outra. Paulo disse, "o que da minha parte ouviste... isso mesmo transmite a homens...para instruir a outros" (2:2). Deus não quer que novas gerações ensinem coisas novas sem fundamento na sã doutrina (veja Gálatas 1:8).

A prática de oração (2:1-8). 

Visto que Timóteo precisava de firmeza na luta contra falsa doutrina (1:3-20), Paulo o exortou que começasse “antes de tudo” orando (2:1). Jesus falou muito da importância de oração (veja Marcos 9:14-29; Lucas 18:1-8), e oração constante é evidente nas vidas dos seus discípulos (veja Atos 1:12-14; 4:23-31). Paulo exortou a Timóteo que praticasse a oração em todas as suas formas:

- Súplicas: pedidos específicos, baseados em necessidades. Timóteo precisava de coragem para pregar apenas a verdade.

- Orações: palavras direcionadas a Deus. A oração é uma conversa com o Pai celeste, o Criador do universo.

- Intercessões: pedidos em favor de outras pessoas. O cristão tem acesso ao Pai através de Jesus (veja Romanos 5:2; Efésios 2:18 e 3:12) e deve ajudar aos outros que estão perdidos.

- Ações de graças: agradecimento por tudo que Deus já fez. 

Lembrar que a sua força vem de Jesus

“Fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus” (v:1).

Diante dos problemas podemos tentar reunir forças em muitas coisas. Uns buscam a sua força no dinheiro, outros na posição social, uns na ameaça e na violência e outros em si mesmos. O problema é que essas fontes que são usadas para os fortalecerem em meio às crises, são transitórias, não dão uma base sólida e suas forças não são suficientes. Aliás, confiar nelas é como esperar que um cadáver ressuscite por ele próprio. É por isso que Paulo incentiva a Timóteo a se fortalecer na fonte de vida que estar em Cristo Jesus, confiando em Sua graça.

Soldado, atleta, lavrador (2:3-13

Como soldado, terá que sacrificar certos confortos e seus próprios desejos para conquistar o objetivo do seu capitão. O treinamento militar dá muita importância à disciplina, à submissão e à sobrevivência. Para ser um bom soldado é necessário cumprir algumas condições: Além disso, todo o soldado precisa respeitar as normas do exército.

Como atleta, terá de seguir regras, sacrificando a sua liberdade para receber o prêmio. O servo do Senhor precisa ser bem treinado e disciplinado para que possa alcançar os alvos de Deus. 

Ser um atleta vencedor é uma questão de dedicação e treinamento. Nenhum atleta vencerá apenas porque tem o dom, é preciso desenvolver o dom pelo treinamento e disciplina.

A ilustração final do custo do discipulado e a recompensa do Evangelho foi retratada por Paulo no árduo trabalho do agricultor cujo suor e labuta lhe deu preeminente alegação sobre a seu cultivo. A ênfase deste versículo encontra-se na palavra "trabalho" (kapiao). Esta palavra especial difere das outras palavras gregas para "trabalho" em que se fala de um trabalho até se esgotar. O ministério é algo exaustivo, a semeadura e colheita nos campos de Deus nos trará ao ápice da fadiga física, mental e espiritual. Na parábola dos trabalhadores da vinha, os trabalhadores foram chamados a suportar "o peso e o calor do dia." (Mt. 20:12) 

Como lavrador, terá que trabalhar duro com muita paciência, para depois receber o fruto (2:3-7). As principais características de um lavrador bem-sucedido é a sua diligência em trabalhar com a terra e a sua perseverança em esperar que a semente germine. O lavrador prudente sabe que o tamanho de sua colheita depende da generosidade de sua semeadura ( II Coríntios 9.6; João 4.35). Paulo diz que a Igreja é lavoura de Deus e nós somos os lavradores ( I Coríntios 3.9).

A interpretação é que a conquista de conversões é também uma colheita. "A seara na verdade é grande", disse Jesus referindo-se aos muitos que esperam por ouvir e receber o evangelho (Mt 9: 37; cf. Jo 4: 35; Rm 1:13). Nesta seara é claro que "é Deus quem dá o crescimento" (1 Co 3: 6-7). Tanto a semeadura da boa semente da Palavra de Deus como a colheita são trabalhos duros, especialmente quando há poucos trabalhadores. Com muito custo almas são ganhas para Cristo, não com a engenhosa e automática aplicação de uma fórmula, mas com lágrimas, suor e dores, e especialmente com oração e sacrifícios. 

Conservando a sã doutrina.

Ciro Sanches Zibordi  em um artigo muito oportuno nos fala sobre ser ou não ser conservador. ele diz: "Muitos cristãos da atualidade não podem nem ouvir o termo “conservador”. Associam-no a farisaísmo, legalismo, fanatismo e posturas extremistas quanto a usos e costumes. Pensam que o conservador é aquele crente retrógrado, inimigo de tudo o que é novo, que parece viver em seu “mundinho”, como se pertencesse a uma religião ascética (cf. Cl 2.23, ARA). Entretanto, à luz da Palavra de Deus, todo salvo em Cristo deve ser conservador. Por quê? Porque conservar, do ponto de vista bíblico, não significa ter uma falsa santidade, estereotipada, que faz dos usos e costumes a causa, e não o efeito. Antes, implica observância à sã doutrina, a qual nos leva a ter santidade interna e externa.

Em 2 Timóteo 1.13 está escrito: “Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e na caridade que há em Cristo Jesus”. A Bíblia nos manda guardar, conservar, o que temos recebido do Senhor (1 Tm 6.20; 2 Tm 1.14). E, para as igrejas da Ásia que estavam agradando ao Senhor Jesus, Ele transmitiu mensagens que implicavam manutenção, conservação (Ap 2.25; 3.11). Mas, por que muitos não querem ser conservadores? Ser conservador não é apenas ter aparência de piedade (Cl 2.20-22), tampouco se isolar da sociedade".

MANEJANDO CORRETAMENTE A PALAVRA DA VERDADE

Entre outras coisas, quando estudava jornalismo, fomos instruídos a sempre fazer cinco perguntas (quem, o que, quando, onde, por quê?), de modo que as matérias reflitam exatamente os fatos apresentados. Esse princípio é vitalmente importante de se ter em mente sempre que estudamos a Palavra de Deus. Precisamos comparar as Escrituras com as Escrituras e evitar tirar algo de seu contexto.

"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade."(2 Timóteo 2:15). A palavra da verdade é a Palavra de Deus, a Bíblia. Como o versículo acima nos diz, somos responsáveis diante de Deus de corretamente manejar sua Palavra. A tradução Grega para “manejar corretamente” é a palavra “orthotomounta”. Esta palavra é composta pelo adjetivo “orthos” que significa “perfeitamente correto ou em linha reta” e o verbo “tomo” significa “cortar”. Assim “orthotomounta a palavra da verdade” significa “cortar perfeitamente ou em linha reta a palavra da verdade”. Agora para Deus nos chamar a cortar perfeitamente ou em linha reta Sua Palavra, significa que você não pode ter três ou até mesmo dois cortes e eles serem perfeitamente corretos. Apenas uma interpretação da Palavra de Deus é “perfeitamente correta”. Para saber como chegar a este corte perfeito e reto, a uma perfeita e correta interpretação da Bíblia, vamos a II Pedro 1:20. Lá nós lemos: Sabendo primeiramente isto, que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação, porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo.”

A importância deste versículo 

Apresentar - O Apóstolo Paulo inicia este versículo dizendo para Timóteo se apresentar. Isso significa: colocar-se a disposição de Deus para o seu serviço. O primeiro passo que o cristão deve dar, após a sua salvação, é colocar-se a disposição de Deus para o seu serviço. Isaías tomou essa decisão, quando o Senhor lhe perguntou: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós?”(Is 6.8a), sua resposta foi: “eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8b). A verdade é que o Senhor está à procura destes. Jesus, certa vez, caminhando com os discípulos, avistou uma multidão, tendo grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor. Então Ele disse: “A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara”(Mt 9.37-38).

Na vida secular todo o profissional qualificado precisa demonstrar sua competência na área que se propõe trabalhar, ninguém exerce uma função de confiança sem primeiro passar pelos testes; o médico, o advogado, o engenheiro, e tantos outros profissionais após longos anos nas escolas superiores (conhecimento teórico) vão aos hospitais, às indústrias, como residentes e estagiários, para depois de aprovados, tornarem-se titulares; chegamos então à conclusão que, para ser aprovado, o homem antes precisa ser provado.

Na vida espiritual há muita semelhança. O Senhor nos prova permitindo-nos passar por circunstâncias adversas, aquelas que os nossos irmãos chamam de: “desertos”, “funis”, etc., termos que lembram solidão, aperto, dificuldades; tudo isto faz parte das provas. Isto muitas vezes é desanimador, porém, extremamente necessário, pois nos lugares baixos da vida estamos mais sensíveis para ouvir a voz de Deus. 

Qual é o objetivo de Deus ao nos provar? Testar as nossas reações instantâneas; nosso domínio próprio em áreas vulneráveis; a nossa disposição de obediência e fidelidade a longo prazo; forjar nosso caráter e gerar perseverança.

QUALIDADES DE UM OBREIRO APROVADO

No comentário anterior sobre  o tema "Eu sei em quem tenho crido", comentamos sobre algumas peculiaridades do verdadeiro servo de Deus, vamos ampliar tecendo alguns comentários sobre o tema.

A fidelidade

A fidelidade é indispensável na vida de um obreiro, todo obreiro que finge ser fiel, em algum momento vai cair em contradição. A fidelidade envolve todas as áreas da vida do obreiro. 

Fidelidade com Deus, fidelidade com a família, fidelidade com a igreja, fidelidade ministerial, fidelidade nos negócios, enfim, em todas as coisas. O apóstolo Paulo instruindo o jovem pastor Timóteo, disse: "Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé. na pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá. Medita estas coisas, ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos".1Tm.4.12,13,15.

Autentico

Tu porém, fala o que convém à sã doutrina (Tt.2.1). "Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as sua próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando as fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faz a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério" (2Tm.4.1-5).

Timóteo, um líder que cuida dos interesses do povo.

O líder é um sevo. Ele não visa seus próprios interesses, mas cuida dos interesses do povo de Deus. Timóteo não cuidava dos interesses do povo para alcançar com isso algum favor pessoal. Ele não usava as pessoas. Sua relação com as pessoas não era utilitarista. O apóstolo Paulo diz: “Porque a ninguém tenho de igual sentimento, que sinceramente cuide dos vossos interesses” (Fp 2.20). Jesus foi o maior de todos os líderes e ele disse que não veio para ser servido, mas para servir. Quando seus discípulos disputavam entre si quem era o maior dentre eles, Jesus tomou a bacia e a toalha e lavou os pés dos discípulos. Timóteo, um líder de caráter aprovado. 

Timóteo era um homem de Deus. 

Sua vida estava centrada em Cristo. Ele era comprometido com as Escrituras, fiel a Cristo Jesus e dedicado à igreja. Timóteo não buscava glória para si mesmo. Ele não construía monumentos ao seu próprio nome. Ele buscava na igreja os interesses de Cristo. Paulo denuncia o fato de existirem na igreja homens que buscavam interesses próprios, porém Timóteo, diferente desses, buscava os interesses de Cristo. Leiamos o registro do apóstolo: 

… pois todos eles buscam o que é seu próprio, não o que é de Cristo Jesus” (Fp 2.21).

Timóteo, um líder de caráter provado. 

Timóteo tinha zelo pela sua vida e também da doutrina. Ele era um homem consistente na teologia e na conduta. Seu caráter era provado. O apóstolo escreve: “E conheceis o seu caráter provado…” (Fp 2.22). Timóteo era um homem irrepreensível, que tinha bom testemunho dentro e fora da igreja. A vida do líder é a vida da sua liderança. Liderança não é apenas performance, mas sobre tudo, integridade. John Maxwell definiu liderança como influência. 

Um líder influencia sempre: para o bem ou para o mal. A liderança jamais é neutra. Um líder é bênção ou maldição. Timóteo era uma bênção, pois sua vida referendava seu ensino.

0 servo de Deus deve esforçar-se para ser um vaso ou utensílio "de honra" na casa de Deus, que é a Igreja. Em qualquer "grande casa" há mobília, vasos e utensílios de várias qualidades e diversos tipos, cada um colocado no seu próprio lugar - cozinha, dormitório, sala de visitas, sala de jantar, quarto das crianças etc.. Cada vaso, seja feito de ouro, de prata, ou de porcelana, ou de madeira, tem o seu próprio lugar e uso.

Humildade.                                                                                                                                                               
A humildade é uma virtude que identifica o verdadeiro homem de Deus. O obreiro aprovado ele não deve ser orgulhoso, soberbo e de olhar altivo; e sim amigo, comunicativo, amável, generoso e humilde. A palavra de Deus nos diz: "A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda" (Pv.16.18). "Antes de ser quebrantado, eleva-se o coração do homem; e, diante da honra, vai a humildade" (Pv.18.12).

CONCLUSÃO

Que sejamos verdadeiros obreiros do Senhor aprovados para toda boa obra.

Pr. Dr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.Th.D.;D.Hu.)
Facebook: Adayl Manancial

Pr. Adaylton de Almeida Conceição é Bacharel, Mestre e Doutor em Teologia, Escritor, Professor Universitário, Psicanalista e Pós Graduado em Ciências Políticas, Doutor em Psicologia e em Humanidade, Diretor da Faculdade Teológica Manancial e Professor do Seminário Teológico Kerigma-Santos/SP.  

BIBLIOGRAFIA

Ronaldo Adriano da Silva (Fredy) - 2 Timóteo 1.8
Geraldo Barbosa - Cinco qualidades do Obreiro aprovado
José Paulo F. Tirone - Lições da carta de Paulo a Timóteo 
Ron Riffe - Manejando corretamente a palavra da verdade.
Ciro Sanches Zibordi - Porque o Cristão deve ser conservador
George Emanuel -Somos Convocados a Sofrer como Lavradores

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...