sábado, 22 de abril de 2017

Precisamos conversar sobre um problema chamado Desafio da Baleia Azul - Com Marisa Lobo

ENTENDENDO O DESAFIO DA BALEIA AZUL PASSO A PASSO COM MARISA LOBO

Baleia azul é um jogo comandado por um "serial killer virtual". Já são sete adolescentes que tentaram suicídio alienados pelo jogo da Baleia Azul, a ponto do prefeito Rafael Greca, de Curitiba (PR), fazer reunião de emergência com as Secretarias de Educação, Saúde e Segurança. Outras autoridades Brasil afora também já começam a se mobilizar.
Há muitos mais casos, inclusive com mortes por todo mundo. Estou fazendo um estudo aprofundado sobre estes fenômenos e palestrando em escolas sobre depressão e os perigos de jogos na internet.
Orem, pois a coisa é mais maligna do que imaginam.
Para se ter uma ideia da gravidade, o nome da pessoa que aliena jovens para o jogo suicida chama-se "curador", que cura a depressão e tristeza dos jovens. A maioria são meninas.
Os 50 desafios são todos de automutilação. As pessoas que se deixam alienar, ficam reféns desses maníacos, psicopatas que sentem prazer ao dominar pela dor e sofrimento suas vítimas.
Entendo isso como um serial killer virtual, mas a verdade é que se trata da ação de psicopatas assassinos. Denunciem páginas, links, tudo que possa sugerir este jogo. Lembrando que não é o único. A origem desse jogo é russa, muitos entram por curiosidade, outros recebem convites.
A problemática desse jogo é que quem entra convida os amigos, que convidam outros amigos. Existe uma linha muito tênue entre vida e morte que fascina e atrai muitos adolescentes, que estão passando por uma crise normal da adolescência, uma crise de contestação da autoridade dos pais, de valores, uma busca de si mesmos.
O grupo, a coletividade, os amigos são importantes nessa fase vulnerável, a ponto de serem influenciados pela coletividade, tornando-se presas fáceis para esse tipo de jogo. Adolescentes nessa fase tendem a serem depressivos, terem baixa autoestima. Muitos desses jovens já praticavam coutting (autoflagelo), que é moda no meio de adolescentes e uma preocupação dos especialistas em saúde mental há muitos anos.
Nossas crianças estão abandonadas, entregues à internet, trancadas em quartos, obcecadas por redes sociais, sem o menor monitoramento dos pais, que estão preocupados demais com seus afazeres.
Precisamos repensar nossa educação. Essa desconstrução da identidade de nossos jovens, essa busca compulsiva por "felicidade", essa falta de fé, vem adoecendo de morte nossas crianças.
Vamos clamar pelas nossas crianças e agir, educar mais, amar mais. Em nome de Jesus , dêem mais atenção aos seus filhos, monitorem seus filhos, dialoguem mais com seus filhos.
A Baleia Azul é apenas um sintoma da má educação, da relativização da fé, da sexualidade, da vida. Temos que falar sobre depressão na infância e adolescência e saber que ela existe e não é frescura.

Vítima do jogo prestes a se suicidar

Sintoma da péssima educação moderna

Esses jogos virtuais, competem com a falta de atenção que os pais não estão dando aos filhos, atitude que colocam na conta temporaneidade. Ensina-se uma educação permissiva, sem autoridade paterna ou materna.
Essa educação moderna onde os pais são "amigos dos filhos" sem exercer o papel de pais, com autoridade e um certo controle, deixa as crianças inseguras, crianças precisam de adultos para protege-las, precisam sentir segurança. Pais podem ser amigos de seus filhos claro, mas nunca esqueceremos que sua função é educar e cuidar.

A Baleia

Vejam como são os desafios. Eles são criados para gerar estresse e alienação psicológica. Impõe medo, falta de sono e obriga a desafios que alteram o comportamento, levando a pessoa ao limite entre razão e loucura.
Os desafios são preparados para desencadear uma compulsão e obsessão pelo fim, para completar o jogo. A dor física gerada é uma estratégia para "diminuir" a angústia gerada pelo jogo. Somadas, as co-morbidades associadas, levam uma pessoa a um surto psicótico a ponto de tirar a própria vida.
Esses desafios diários são criados propositadamente com requintes de um estrategista que conhece técnicas de alienação, submissão, ameaças e imposição do medo. Um serial killer virtual. Há uma explícita maldade demoníaca nas entrelinhas de cada desafio. Perceba:
1 – Com uma navalha, escreva a sigla “F57” na palma da mão e em seguida envie uma foto para o curador;
2 – Assista filmes de terror e psicodélicos às 4:20 da manhã. Mas não pode ser qualquer filme: o curador indicará, lembrando que ele fará perguntas sobre as cenas, pois ele quer saber se você realmente assistiu;
3 – Corte seu braço com uma lâmina. Faça "3 cortes grandes", mas é preciso ser sobre as veias e o corte não precisa ser muito profundo, envie a foto para o curador, e seguirá para o próximo nível;
4 – Desenhe uma baleia azul e envie a foto para o curador;
5 – Se você está pronto para se tornar uma baleia, escreva "SIM" em sua perna. Se não, corte-se muitas vezes, "castigue-se";
6 – Tarefa em código;
7 – Escreva "F40" em sua mão, envie uma foto ao curador;
8 – Em sua rede social, escreva "#i_am_whale" no seu status do VKontakte (rede social russa) ou no Facebook (a hashtag significa "eu sou uma baleia");
9 – Ele te dará uma missão baseada no seu maior medo, ele quer fazer você superar esse medo;
10 – Acorde as 4:20 da manhã e suba em um telhado, quanto mais alto melhor;
11 – Desenhe uma foto de uma baleia azul na mão com uma navalha e envie a foto para o curador;
12 – Assista filmes de terror e psicodélicos à tarde;
13 – Ouça as musicas que os "curadores" te enviarem;
14 – Corte seu lábio;
15 – Fure sua mão com uma agulha muitas vezes;
16 – Faça algo doloroso, "machuque-se", fique doente;
17 – Procure o telhado mais alto, e fique na borda por algum tempo;
18 – Suba em uma ponte e sente-se na borda por algum tempo;
19 – Suba em um guindaste ou pelo menos tente;
20 – No próximo passo o curador irá verificar se você é de confiança;
21 – Encontre outra baleia azul, "outro participante", que o curador te indicará;
22- Pendure-se novamente em um telhado alto, apoiando-se na borda com as pernas penduradas;
23 – Outra tarefa em código;
24 – Tarefa secreta;
25 – Reunião com uma baleia azul que o curador indicará;
26 – O curador indicará a data da sua morte, e você aceitará;
27 – Acorde as 4:20 e vá a uma estrada de ferro;
28 – Não fale com ninguém o dia todo;
29 – Faça um voto de que você é realmente uma Baleia Azul;
30 a 49 – Todos os dias você deve acordar às 4h20 da manhã, assistir a vídeos de terror, ouvir música que "eles" enviarem, fazer 1 corte por dia em seu corpo, falar com "uma baleia" durante o intervalo dos desafios 30 a 49;
50 – Tire sua própria vida.
Filhos precisam de pais amigos, e não amigos que por acaso são pais. Essa nova geração Z está abandonada, entregue à escola, à mídia e aos sentimentos virtuais. Temos que parar e repensar essa modernidade mórbida, que tira a felicidade de nossas crianças.
Temos que entender que um abraço, amor de família, não é virtual, é real, e deve ser exercitado todos os dias. Virtualidade em excesso psicotiza.
Fonte: Gospel+
Marisa Lobo
Psicóloga clínica, escritora, pós-graduada em saúde mental, conferencista realiza palestras pelo Brasil sobre prevenção e enfrentamento ás drogas, e toda forma de bullying, transtornos psicológicos, sexualidade da familia, entre outros assuntos. Teóloga, ela é promoter e organizadora da ExpoCristo realizada no Paraná. Marisa é casada, tem dois filhos e congrega na IBB em Curitiba.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...