terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Retrospectiva da perseguição: os 5 principais casos ao redor do mundo

A perseguição religiosa aos cristãos no mundo se tornou ainda mais evidente em 2019 com o aumento do radicalismo em determinados países, como a Nigéria e Burkina Faso, além dos já conhecidos territórios onde a intolerância à liberdade de fé é constante, tais como China e Coreia do Norte.
A boa notícia é que nações como o Brasil agora estão mais comprometidas em denunciar a perseguição aos cristãos, cobrando e chamando atenção do mundo para um problema que na maioria das vezes é ignorado, por exemplo, pela Organização das Nações Unidas.
Só em 2019, a perseguição resultou na morte de centenas de cristãos. Em abril, por exemplo, cerca de 300 cristãos foram mortos e outras 500 pessoas ficaram feridas, após uma série de explosões atingir o Santuário de Santo Antônio, localizado na cidade de Colombo, capital do Sri Lanka, e também a Igreja de São Sebastião em pleno feriado de Páscoa.
Em Junho, 29 pessoas morreram em decorrência de ataques em Burkina Faso, na África, nas cidades de Arbinda e Namentengaq. Lá na região, os extremistas islâmicos estão divulgando a seguinte mensagem aos moradores: "Fujam, convertam-se ou morram".
A Nigéria, por sua vez, vive um verdadeiro genocídio de cristãos. Em março desse ano, mais de 200 cristãos foram mortos no país. "Difícil foi encontrar no noticiário algo a respeito do massacre desses cristãos. Nada de passeatas em homenagem aos cristãos martirizados () nada de camisetas com 'Je suis Charlie', nenhuma indignação popular", comentou o Padre Benedict Kiely em 4 de setembro.

47 cristãos mortos em ataque

Na província de Kivu, do Norte da República Democrática do Congo (RDC), "Forças Democráticas Aliadas", composta por extremistas islâmicos, fizeram um ataque em novembro passado deixando 84 pessoas foram mortas, sendo 47 delas cristãs.
"A República Democrática do Congo tem vivido um tempo de revolução que já tirou a vida de soldados e civis de 9 nações. Os grupos rebeldes armados chamam esse episódio da história do país de 'A Grande Guerra da África' que se iniciou dentro do território congolês", informou a Portas Abertas.
Em Moçambique e Tanzânia ocorre um verdadeiro êxodo de cristãos. Isso porque, apenas como exemplo, em um vilarejo do distrito de Nangane 12 cristãos foram mortos. O país é parte de um grupo de nações africanas que vem enfrentando o crescimento do radicalismo islâmico.
Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...