segunda-feira, 2 de setembro de 2013

CGADB - AGE de São Paulo - A dança das liminares na justiça




CGADB - AGE de São Paulo - A dança das liminares e o Mandado de Segurança impetrado pelo Pr. Josias de Almeida Silva


Desde que começou disputa acirrada pela presidência da CGADB - Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, seja do ponto de vista da manutenção ou tomada do poder, as ações judiciais passaram a ser a tônica e as manchetes da causa. Liminares que são conquistadas, tempos depois derrubadas e várias ações que se arrastam nos tribunais, algumas, sabe-se lá quando terão seu fim.

Uns se envolvem diretamente na "guerra" outros assistem, mas o certo é que todos aqueles que são filiados à instituição findam por serem atingidos pelo o clima tenso que se evidencia e ao que parece, não tem fim previsto.

Aqui neste blog, tenho procurado ser o mais imparcial, dentro das possibilidades existentes, até porque ao longo dos seis anos de existência deste espaço virtual, tenho conquistado leitores diversos, independente de suas preferências dentro da raia assembleiana. Minha meta tem sido publicar as noticias que julgo relevantes, sempre priorizando a informação. Mesmo tendo informação privilegiada por e-mail's que recebo, sôbre ações que estão em trâmite, costumo publicar somente as decisões já publicadas nos tribunais.

No caso da AGE de SP, não foi diferente, publiquei:

- Convocação da assembleia, (veja aqui),
- Decisão liminar que a suspendeu, conforme comunicado em perfil do Facebook (veja aqui),
- Informação de que a Mesa Diretora manteve a convocação da AGE (veja aqui) e
- Medida judicial que confirma a AGE, derrubando a anterior que a suspendia (veja aqui)

Como podem verificar nas publicações acima, procurei não fazer juízo de valor sôbre as decisões, mas apenas disponibilizar a informação do fato.

Todos sabemos que qualquer medida judicial cautelar e ou liminar, como queiram, são precárias e portanto, vulneráveis a um melhor juízo em instância superior, até que finalmente a ação principal seja transitada e definitivamente julgada. 

O problema consiste na forma pela qual o marketing virtual dos interessados a publicam: A que  nos interessa é como se fosse definitiva, a do "concorrente" é frágil, não é definitiva e passível de ser anulada dentro de poucas horas.  Ora, ora, essa fragilidade é para qualquer medida liminar, independente de que lado seja. É o ônus de quem se mete nisso.


MANDADO DE SEGURANÇA IMPETRADO PELO PR. JOSIAS DE ALMEIDA SILVA


Quanto ao Mandado de Segurança impetrado pelo Pr. Josias de Almeida Silva, meu pai e Pastor Presidente, no Judiciário de São Paulo, o GOSPELHOJE, site de notícias que, pelas "aparências", atende a interesses dessa "guerra", publicou: Ex-Tesoureiro Josias Silva entra na justiça contra CGADB para voltar ao cargo.

COMENTO:

Tenho recebido mensagens cobrando minha posição sôbre o caso, e o porque da não publicação do fato. Ora, aqui neste blog, tenho publicado decisões, e não aquilo que está em trâmite, independente de que lado seja o interesse. Isso não muda neste caso.

Por outro lado, considero a manchete do site em apreço, uma jogada de marketing de interesse, no afã de tirar o foco da liminar que confirmava a realização da AGE, afinal de contas, a gestão do cargo de Primeiro Tesoureiro da CGADB que o Pr. Josias de Almeida Silva ocupava, expirou em Abril do corrente quando da eleição realizada em Brasília. Sua permanência no exercício das funções atendeu a determinações superiores, até que chegasse quem de direito para assumir os trabalhos, portanto aquela gestão expirou e não há mais como se voltar.

O Mandado de Segurança impetrado pelo Pr. Josias de Almeida Silva, caso venha se configurar a vacância na AGE de SP, salvaguarda o seu direito em uma nova situação, afinal de contas, tendo ocupado a segunda colocação na eleição de Brasília para o cargo de PRIMEIRO TESOUREIRO, e, em vindo a ser definitivamente afastado (hipótese) o Pr. Ivan Bastos, o mesmo nem teria chegado assumir a função. Nesse caso, o que está em questão, é o entendimento jurídico da convocação de eleição para o cargo de SEGUNDO TESOUREIRO, por parte da Comissão Eleitoral, quando o cargo passível de ser considerado vago é o de PRIMEIRO TESOUREIRO. Juridicamente a situação é discutível e cabe sim a busca do melhor entendimento.

Quanto ao termo usado pelo referido site, "ludibriar o judiciário de São Paulo", educadamente o considero inoportuno, uma vez que a Medida Liminar expedida pelo Judiciário de Manaus que suspendia a AGE, era tão vulnerável como todas, tanto que foi anulada no dia seguinte pelo próprio Tribunal do Amazonas, e as liminares servem justamente para isso, salvaguardarem direitos e evitarem prejuízos eminentes prestes a acontecer.

MEU POSICIONAMENTO ACERCA DA INTERFERÊNCIA DA JUSTIÇA COMUM

No ano de 2007, quando ainda não existia este blog, escrevi um artigo sob o título: ASSEMBLEIA DE DEUS - Um grito pelo discernimento (em 2012 publiquei aqui), o qual versava sôbre essa guerra eclesiástica pela CGADB. Ora, se eu era contra tudo isso naquela época, continuo sendo muito mais agora, principalmente por toda essa interferência da justiça secular nas coisas do Reino.

Alguém dirá, o Reino de Deus nada tem a ver com isso, então reverbero, tem sim, porque pastores só são pastores por causa da Igreja, e através dela são levados à convenção. Nossas reuniões convencionais, são iniciadas com oração, louvor, leitura e exposição da Palavra de Deus. Enquanto a maioria está lá louvando a Deus, orando e ouvindo a Palavra, outros estão nos bastidores maquinando as "lambanças" para tirarem a paz do plenário. Sou contra isso.

Poderão me perguntar. Então concorda com o Mandado de Segurança impetrado pelo Pr. Josias de Almeida Silva só porque ele é seu pai?

A minha resposta é NÃO, e meu pai e pastor foi o primeiro com quem compartilhei os prós e contras dessa medida, no intra muros das nossas tratativas, e no meu entender os motivos contrários são principalmente os de caráter espiritual, porque isso traz exposição negativa a uma autoridade eclesiástica diante do rebanho, e também uma semeadura nefasta para a Igreja, senão vejamos:

A coisa começou com a CGADB, passou para as convenções regionais e agora igrejas já são atingidas com essa mania de ações judiciais. A oração, o comum acordo, a comunhão e o bom relacionamento entre os irmãos ficou fora de pauta, e mais ainda, segundo Bíblia, extintas todas as possibilidades, é melhor que alguém sofra a injustiça e o dano, deixando a JUSTIÇA nas mãos de Deus,   do optar pela exposição da igreja.

"Porque é coisa agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente." 1 Pedro 2:19

"Na verdade é já realmente uma falta entre vós, terdes demandas uns contra os outros. Por que não sofreis antes a injustiça? Por que não sofreis antes o dano?" - 1 Coríntios 6:7

Em que pese o que acredito e exponho no parágrafo anterior continuar sendo minha meta pessoal, a decisão é uma questão de fórum íntimo de cada um, e infelizmente, o momento vivido pela nossa liderança navega por tais águas turbulentas, ainda que entenda perfeitamente que, quando alguém é acionado judicialmente, a única saída é se defender, mas convenhamos, tem que haver um ponto final, pois a situação está insuportável.

Ideologicamente tenho ideias próprias, e jamais serei alienado, mas por outro lado, também aprendi ser voto vencido, e por isso procuro ser um soldado submisso e fiel do ponto de vista institucional e eclesiástico, assim como devem ser todos aqueles que militam com o atual Presidente da CGADB ou também os que trabalham com aquele que deseja o seu lugar.

Em assim sendo, por entender que o pleiteado pelo meu pai e pastor presidente, é plausível de consideração e entendimento jurídico, mesmo pensando de maneira divergente quanto a aplicação da medida, não nos dividiremos institucionalmente por esse motivo e oro para que o Senhor faça pela nossa denominação, aquilo que perdemos a condição de fazer.

O ETERNO TENHA MISERICÓRDIA DA ASSEMBLEIA DE DEUS NO BRASIL!

No temor do Senhor,

Pr. Carlos Roberto Silva

12 comentários:

Marcos Bueno - AD Santo André disse...

Seu equlíbrio na discussão desta temática como tantas outras que tenho acompanhado em seu blog, deveria ser "invejado" e adotado pelos lideres da CGADB, líderes estes (salvo exceções) que na minha ótica, já ultrapassaram a linha tênue do poder outorgado outorgado por Deus. Virou um vale-tudo. Lastimável.

Marcos Bueno - AD Santo André disse...

Seu equlíbrio na discussão desta temática como tantas outras que tenho acompanhado em seu blog, deveria ser "invejado" e adotado pelos lideres da CGADB, líderes estes (salvo exceções) que na minha ótica, já ultrapassaram a linha tênue do poder outorgado outorgado por Deus. Virou um vale-tudo. Lastimável.

Anônimo disse...

Pr. carlos!


Eu tbm lí o referido artigo no site GOSPEL HOJE,e tbm não concordei com a frase: "ludibriar o judiciário de São Paulo", se referindo ao Mandado de Segurança impetrado pelo pr. Josias... Achei pesado e inadequado.
Sinceramente, não sei pq publicaram desta maneira. Pois entendo que o espírito do pr. Samuel Câmara é de conciliação, de união, e essa publicação não combina com o estilo dele.

Mas...
Estava lendo o artigo do Gutierres Fernandes Siqueira e deparei-me com essa frase:

"E não me venham falar em anjos. Não há anjos nessa disputa. É briga de coronéis."
Acho que serve muito bem para os dois: JW e SC. Apesar de eu achar o SC um pouco melhor! E falo isso do alto de minha convivência com os dito cujos.
http://www.teologiapentecostal.com/

Abelardo Jardim

Murillo Vinagre disse...

O melhor comentário que li a respeito de todo esse imbróglio nos últimos tempos Pastor.

Peço vossa permissão para republica-lo com os devidos créditos nas páginas que administro,

Em Cristo,
Vosso conservo, intercessor e admirador.

Eliseu Antonio Gomes disse...

Pastor Carlos, tenho usado as redes sociais com uma interrogação indignada. Postarei logo abaixo, e se não publicá-la, entenderei e respeitarei.

É o seguinte:

"Liminares para cá, liminares para lá. Isto custa muito caro! Com qual dinheiro esses pastores custeiam essa briguinha besta pelo poder da CGADB? Com dízimos e ofertas de assembleianos? Desperte povo, oferta e dízimo são frutoS de seu suor, não são capins secos à fogueira de vaidades, são coisas santas dedicadas ao Senhor. Administre bem seu culto ao Senhor, Deus não aceita ofertas em altares rachados."

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e Pr. Marcos Bueno,

Grato pelas palavras de apoio e seja sempre muito bem vindo por aqui.

Saúde & Paz a todos os amigos da AD Santo Andé-SP

Seu conservo,

Pr. Carlos Roberto

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro Abelardo Jardim,

Graça & Paz!

Em momento de nervos à flor da pele, algumas coisas saem do controle dos comandantes.

Oremos.

Volte sempre!

Pr. Carlos Roberto

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro Murilo Vinagre,

Grato pela palavra de apoio. Tenha total liberdade para reverberar.

Um grande abraço!

Saúde & Paz!

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro Elizeu Gomes,

Graça & Paz!

Faço parte da CGADB como filiado, mas entendo que tudo tem limite. Seu comentário é pertinente e precisamos de mudanças que nos façam retornar ao princípio da instituição, de todos os lados e em todos os sentidos.

Um grande abraço,

Pr. Carlos Roberto

Robson Aguiar disse...

Meu nobre amigo, pastor Carlos, que a Paz do Eterno Deus esteja contigo.

Não preciso dizer que lhe admiro por sua coragem e espiritualidade, como também creio não precisar lhe dizer que nessa história não tenho partido.

Todavia, apesar de concordar com 90% do que o senhor escreveu, devo lhe relatar que acho essa AGE imoral, pois, apesar da Liminar favorável, se houvesse bom senso por parte de quem a convocou, não seria Belenzinho o lugar oportuno para tal Assembléia.

Da maneira como fizeram só nos leva a acreditar que realmente alguma coisa anda errada dentro da CGADB, mas, diz as Sagradas Escrituras que não há nada encoberto que não seja revelado, nisso creio.

Não conheço na intimidade o pastor Samuel, mas, não estou me levantando apenas em favor dele, e sim, em favor de todos os pastores que poderão sofrer as mesmas sanções que hoje estão sendo aplicadas ao Rev. Câmara e cia, basta irem de encontro ao sistema que hoje governa a CGADB.

Sinceramente, houve um tempo em que nos orgulhávamos de pertencer a essa Convenção, pois, sua fama era de imaculada instituição, regida com espiritualidade por homens comprometidos com o evangelho, mas, hoje, já não sabemos mais o que ela é, já não vemos nela espiritualidade. Depois que cresceu, perdeu o foco, a ponto de publicar heresias através de sua Casa Publicadora. A ganância, o ódio, o revanchismo, a dissenção, tomou conta dos que pleiteiam a liderança dessa instituição, e nós, assistimos tudo isso, sem saber onde vai parar, confesso, tenho náuseas, ânsia de vômito de ver esse episódio dentro do teatro assembleano.

Meu amigo não me leve a mal, mas, diante de tudo isso, lembro-me das palavras do Pastor Mário Souza sobre o comportamento de alguém, me dizendo "Robson, pastor não é crente". Isso mesmo, parece que não somos crentes, ensinamos a igreja a ser cristão, mas, agimos como ímpio.

Faço votos, que a consciência dos que vão participar dessa AGE fale mais alto dos que os interesses pessoais e que julguem como cristão.

Que Deus tenha misericórdia de nós,

Em Cristo,

Robson Aguiar

Francivaldo disse...

Quero te parabenizar pela excelente matéria, a igreja de Deus presida de homem com o senhor, continue sempre assim. Paz do Senhor Jesus.

Anônimo disse...


Eu me solidarizo com o senhor pelo post indevido e acusativo no portal GOSPEL HOJE! Achoque eles deveriam pedir desculpas, pois o pr. Josias não tem nada haver com a briga deles!

No entanto quero dar minha opnião sobre a AGE:È a mesma que lí num comentárioo no blog do pr. Geremias do Couto:


"1) Este embate não é do Ministerio do Belém e nem da CONFRADESP contra o Pr. Ivan Bastos e seus pares, e, sim, um guerra pessoal que o Pr. JWBC contra os tais. A familia Costa já causou muitas injustiças na Igreja do Belenzinho, muito abuso de poder, e querem porque querem estabelecer na CGADB uma dinastia. O voto é secreto e um direito inalienável de cada convencional garantido pelo nosso estatuto (CGADB), não constitui insubordinação eclesiástica votar LIVRE. A Assembleia de Deus precisa de união, não de racha.

2) Se não houve irregularidade nos pagamentos do boletos da 41º AGO, por que não publicar a conciliação bancária e dar um "tapa sem mão" nos boateiros? Fizeram bobagem à revelia do evangelho, e agora temem ser desmascarados. Querem usar os obreiros do Belenzinho e da CONFRADESP como massa de manobra para ocultarem tais desmandos. Que Deus acabe com estes abusos!"


Saudações,


Miqueias Lima

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...