quarta-feira, 10 de junho de 2015

SBB assinou contrato para a publicação da "Bíblia Gay", mas voltou atrás após pressão de tradicionais

Pr. Marvel Souza

A polêmica sobre o lançamento da Bíblia comentada “Graça sobre Graça” continua. 

Após a grande repercussão da notícia que a Sociedade Bíblica Brasileira (SBB) cedeu o texto da Versão Almeida Revista e Corrigida (ARC) para a publicação do que é chamado de “Bíblia gay” a SBB publicou uma nota negando ter dado autorização.

Portal de notícias de grande expressão no mundo gospel, entrou em contato com o pastor Marvel Souza, que é homossexual, casado com Raphael Lira, e ambos dirigem a igreja inclusiva Comunidade Cidade de Refúgio, em Taguatinga - (DF), e responsável pelas notas e comentários da “Graça sobre Graça”, no sentido de esclarecer a polêmica.

Num primeiro momento ele esclarece que o objetivo da nova Bíblia é alcançar as minorias. O vídeo de promoção do material cita especificamente portadores de necessidades especiais, homossexuais, negros e mulheres.

Marvel explica que ficou dois anos pleiteando a autorização junto à SBB. Recebeu a Cessão de Direito para a Utilização em maio de 2014. Contudo, mesmo com contrato assinado a Sociedade Bíblica voltou atrás após a divulgação da imprensa.

O pastor diz que houve consenso entre ele e a SBB após “os levantes por parte de grupos religiosos tradicionais que pressionaram a Instituição a desfazer o contrato!”.

Isso pode atrasar, mas não impedirá o pastor de publicar a Graça sobre Graça. Ele não explica que versão usará, mas garante que hoje trabalha “fazendo paráfrases, traduções, citações e comparações textuais”. Adiada para o final do ano, a Bíblia será lançada sem que ele altere versículos.

Sua abordagem, esclarece, é tornar “claros para a compreensão dos leitores, além de tecer comentários que tornarão os textos mais ricos em termos acadêmicos”.

Questionado sobre sua motivação para o projeto, assevera que era um desejo de “fomentar assuntos relevantes para igreja cristã da atualidade frente à intolerância religiosa, racial, de gênero, de orientação sexual, de condição física, etc”.

Seu projeto não é uma versão brasileira de outras bíblias chamadas de inclusivas. Ele garante que seu trabalho é “inédito no Brasil e no mundo”.

Na preparação do material, ele conta que está sendo assessorado por empresas nacionais e internacionais que o ajudarão na divulgação do projeto no Brasil e em países de língua portuguesa.

Para Marvel é preciso que a Igreja entenda melhor que “a graça divina é simplesmente inclusiva”.

Segundo o site da igreja, a Cidade de Refúgio, fundada originalmente pela missionária e cantora Lana Holder, possui cinco templos no país. Na página existe um vídeo gravada por Lana onde a “teologia inclusiva” é explicada, ressaltando que ela não se resume aos gays. Para eles, Deus cria as pessoas homossexuais e eles não precisam nem de cura nem de libertação.

Os grifos são deste blog.

Fonte: Gospel Prime

MEU COMENTÁRIO:

Corroborando com o meu próprio comentário na última postagem sôbre o tema, confirma-se minha suspeita sôbre o ocorrido.
De acordo com o Pr. Marvel Souza, editor da popularmente chamada "Bíblia Gay", a SBB - Sociedade Bíblica do Brasil assinou o contrato e, sofrendo pressões, preferiu voltar atrás e, de acordo com as palavras do próprio editor, entraram em consenso. 
Menos ruim, mas não deixa de ser lamentável, além de uma mancha em uma história tão importante e de credibilidade como a da SBB.
Isso é sinal de que alguma coisa não anda bem por lá, do ponto de vista financeiro, comercial, ou mesmo com sua ideologia editorial.
Oremos! 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...